O RIO DANÚBIO, por João Machado

Ao longo de cerca de 2850 quilómetros, o rio Danúbio atravessa a Europa, desde a Floresta Negra, na Alemanha, até à Roménia no Mar Negro. Atravessa ou bordeja dez países, banhando numerosas cidades, das quais quatro, Viena, Bratislava, Budapeste e Belgrado são capitais de Estados europeus, respectivamente a Áustria, a Eslováquia, a Hungria e a Sérvia. A sua bacia hidrográfica cobre cerca de 800 000 quilómetros quadrados, com mais de 80 milhões de habitantes, que se distribuem por dezanove países, dos quais catorze, a Alemanha, Áustria, Eslovénia, Eslováquia, República Checa, Hungria, Croácia, Bósnia-Herzegovina, Montenegro, Sérvia, Ucrânia, Roménia, Bulgária e Moldávia assinaram, em conjunto com a União Europeia, em 1994 uma Convenção para a Protecção do Rio Danúbio, e formaram a International Comission for the Protection of the Danube River. Ver http://www.icpdr.org.

A bacia do rio Danúbio é povoada desde tempos imemoriais. O nome Danúbio, parece ser antiquíssimo, proveniente de um radical indo-europeu, que quereria dizer precisamente rio, torrente. A sua importância para a agricultura, para o comércio, para as comunicações é enorme. A história dos povos que têm habitado as suas margens é riquíssima, muito agitada, e cheia de conflitos, mas também de realizações. O Danúbio não é uma via de comunicação tão utilizada como o Reno, por exemplo o volume de carga fluvial nele transportado não excede 10-20 % do segundo, apesar da abertura do canal de ligação entre os dois, mas há que ter em  conta os desequilíbrios entre as nações que lhe são ribeirinhas, e a tumultuosa história passada. O império otomano ainda chegava às suas margens no século XIX, acontecendo que as guerras constantes que afectaram os Balcãs até à I Guerra Mundial dificultaram de sobremaneira a estabilidade e o desenvolvimento da região. O conflito leste-oeste, após a enorme devastação da II Guerra Mundial, também não permitiu melhorias. Existe falta de complementaridade entre economias vizinhas, e o caso do projecto hidroeléctrico de Gabcikovo-Nagymares, comum à Eslováquia e à Hungria, que andou muito tempo no Tribunal Internacional, é bem exemplificativo, das dificuldades que têm havido.

Nascente do Rio Danúbio, na Alemanha.

A defesa do ambiente e da biodiversidade também tem atravessado diferentes fases. Um caso interessante é o do Delta do Danúbio, onde há uma zona protegida, que contém a Floresta Letea, com mais de 500 000 hectares. Existe ali a maior reserva de juncos do mundo, e mais de 300 espécies de aves e numerosas espécies de peixe. A UNESCO reconheceu a zona como de importância mundial em 1991. Até à data, tem-se conseguido a preservação da zona, apesar de múltiplas ameaças. Ao longo do rio, tem havido grandes problemas, como em 2010 na Hungria, quando ocorreu um caso muito grave de derramamento de resíduos tóxicos.

Delta do Danúbio

6 Comments

  1. O rio Danubio me faz lembrar as maravilhosas valsas vienenses, grandes orquestras, musicos imortais.
    Imagens e lembranças musicais, filmes, elevam meu espirito a alturas inimagináveis. È fantástico, parece que eu já vivi nesses lugares.

  2. Parabéns ao autor. conheço parte do percurso, (Passau/Bratislava e quanto à descrição da beleza das suas nargens, só peca por defeit. Reitero os meus sinceros para pelo trabalho que nos faculta e bem haja!

Leave a Reply