UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (114)

carta-do-porto

UMA NOVA RUA NA CIDADE
MAIS UMA OPORTUNIDADE PARA FAZER BEM (2)

A 23 de Abril de 2015, escrevi (aqui) sobre este novo arruamento que agora, já aberto ao trânsito, une os bairros da Pasteleira e de Pinheiro Torres.
Vários foram os considerandos que teci na altura, acabando por dizer que a obra iria beneficiar da minha inteira atenção.
De uma forma geral, o arruamento, aparentemente acabado, cumpre com o que se esperava dele. O espaço está agradável, airoso, o muro de Serralves não terá sido beliscado, e até já há alguma obra de embelezamento do espaço, com plantas espalhadas numa parte considerável.

Muro de Serralves
Muro de Serralves

Zona da Fonte das Ratas e da Flecha dos Mortos (Rua da Pasteleira?)
Zona da Fonte das Ratas e da Flecha dos Mortos
(Rua da Pasteleira?)

Sobre uma das questões essenciais, a da segurança, esta parece ter sido amplamente conseguida. A requalificação do espaço, compreendendo largueza e iluminação, fundamentais para se ver longe e aumentar a confiança dos moradores e dos transeuntes, estão lá.
Sobre a outra questão, a questão cultural, histórica e geográfica, tudo parece ter sido esquecido. Sobre a “Fonte das Ratas” e sobre a “Flecha do Mortos”, nada!
Entrei em contacto com a União das Freguesias de Lordelo do Ouro e de Massarelos, a fim de tomar conhecimento do que se sabia sobre o assunto. Infelizmente nem o nome do arruamento sabem. Será Rua da Pasteleira, ou outro qualquer? Utilizarão a História da Cidade para chamarem Rua da Flecha dos Mortos, ou da Fonte das Ratas ao novo arruamento? Continuarão a esquecer muita da nossa identidade? Para já, nenhuma placa toponímica assinala o local.
Não se sabe, o que é pena!
Mas sei que é imperativo que algo se faça sobre este assunto, sob pena de, mais uma vez, a história da cidade ser esquecida, seja colocando uma placa a assinalar cada um dos locais, seja dando um desses nomes a esta rua, devendo, se possível, a União das Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos tomar essa resolução nas suas mãos.

 

5 Comments

  1. Amigo, um Bom 2016! Parabéns pelas tuas Cartas do Porto – sempre acutilantes e interventivas. Quanto a estas “novas ruas” de acesso compreensível – mais luminosidade, maior abertura e segurança dos bairros em
    questão, estou de acordo contigo! Mas, não podemos esquecer ou “enterrar” as memórias da Viela dos Mortos (ainda se mantém junto ao muro de Serralves/Mata-Sete) e da Fonte das Ratas ou Freicha das Ratas.
    As lutas Liberais e as invasões Francesas, falam destas zonas – morreu muita gente pelo Sítio do Pasteleiro. O Liberalismo e o Romantismo, passaram por aqui e merecem uma referência histórica/placa toponímica a
    enquadrar o local. A Rua da Pasteleira, tinha o seu início, onde hoje é o Hotel Ipanema/Lordelo e terminava na antiga Quinta do Vieira, actual Foz Palace – depois entrava-se na Rua Padre Luís Cabral….Portanto, uma
    das ruas, terá que ser “Rua da Pasteleira”… Nota final – melhor sinalização e alargamento na curva entre Bartolomeu Velho e Pasteleira…Um abraço.

  2. Amigo – Parabéns e um bom 2016! Temos que forçar para que “não enterrem as memórias da Viela dos Mortos (junto ao muro de Serralves) e da “encanada” Fonte das Ratas. Estes locais, foram palco das lutas
    liberais e das invasões francesas. Morreram soldados e até um filho dum general francês, morreu em combate
    por estes “Sítios do Pasteleiro”. Colocar uma Placa/Toponímica a relatar estas histórias é o mínimo que a
    Câmara MPorto, pode e deve fazer! Quanto à Rua da Pasteleira – ela nasce em Lordelo,junto ao Hotel Ipanema e termina na antiga Quinta do Vieira,actual edifício Foz Palace. Paredes meias com o Campo de
    Jogos da ADR Pasteleira e perto do Porto Lazer. Um abraço!

  3. Muito obrigado por mais artigos que nos enriquecem o saber. Estamos sempre a aprender e o mais importante ainda do que apenas aprender com os mais velhos, é aprender com quem muito tem para contar. Obrigado e continue a divulgar os seus conhecimentos. Abraço.

Leave a Reply