EDITORIAL  – KOMMENO – UMA ALDEIA NA GRÉCIA

logo editorial

Faz hoje 73 anos que uma companhia do exército invasor alemão entrou na aldeia de Kommeno, situada na zona de Arta, na região do Epiro, no noroeste da Grécia, e aí chacinou 317 civis, incluindo homens, mulheres e crianças (diz-nos a Wikipedia que 74 destas tinham menos de 10 anos). O sacerdote da aldeia terá sido abatido a tiro pelo tenente que comandava a tropa executora desta acção sinistra. O pretexto invocado terá sido o avistamento na região de resistentes à invasão.

Uma placa de mármore, no largo no centro da aldeia, recorda os nomes dos assassinados. A Associação Cultural de Kommeno foi criada em 1976 (pouco tempo depois da reinstauração da república e da democracia no país) para recordar a história da aldeia e lutar por valores culturais e humanísticos.

O primeiro ministro Alexis Tsipras esteve hoje em Kommeno, nos actos oficiais em honra das vítimas, e recordou a dívida de guerra para com a Grécia que a Alemanha se recusa a pagar, enquanto que em conjunto com os seus lacaios impõem condições usurárias ao país no reembolso de dívidas, em sessões públicas de humilhação, ameaçando com uma expulsão que nem está prevista nos chamados tratados europeus. Nem paga a multa que estes prevêem para os excedentes comerciais acima de certo nível.

Hoje incluímos neste editorial a imagem do monumento às vítimas de Kommeno, com a devida vénia aos autores e à agência que faz a divulgação (ver quarto link abaixo).

(Ξένη Δημοσίευση) Στεφάνι κατέθεσε η υφυπουργός παρά τω πρωθυπουργώ  και κυβερνητική εκπρόσωπος, Όλγα Γεροβασίλη (δεν εικονίζεται), στις εκδηλώσεις μνήμης για το ολοκαύτωμα στο Κομμένο Άρτας, Κυριακή 16 Αυγούστου 2015. ΑΠΕ-ΜΠΕ/ ΑΠΕ-ΜΠΕ/ STR
(Ξένη Δημοσίευση) Στεφάνι κατέθεσε η υφυπουργός παρά τω πρωθυπουργώ και κυβερνητική εκπρόσωπος, Όλγα Γεροβασίλη (δεν εικονίζεται), στις εκδηλώσεις μνήμης για το ολοκαύτωμα στο Κομμένο Άρτας, Κυριακή 16 Αυγούστου 2015. ΑΠΕ-ΜΠΕ/ ΑΠΕ-ΜΠΕ/ STR

E recordamos que o parlamento grego, há pouco mais de dois meses, proibiu a relação dos políticos com as offshores (ver segundo link abaixo). Quando seguiremos o exemplo em Portugal?

Propomos a leitura dos artigos a que podem aceder clicando nos links abaixo:

 

http://www.lemonde.fr/europe/article/2016/08/16/la-grece-demande-le-paiement-de-reparations-pour-l-occupation-nazie_4983602_3214.html

http://www.infogrecia.net/2016/06/parlamento-proibe-relacao-politicos-offshores-direita-sai-da-sala/

http://www.hfmeyer.com/albanian/veroeffentlichungen/kommeno/index.html

http://www.amna.gr/english/article/14810/PM-Tsipras-to-attend-commemoration-events-for-WWII-massacre-in-Kommeno

 

Leave a Reply