RAPARIGAS E RAPAZES DE LISBOA – MARIA ARCHER NÃO FOI “APENAS UMA MULHER”

dia de lisboa

 

O título de uma das suas obras é “Ela é apenas uma mulher”, publicada em 1944, onde as suas figuras femininas foram apresentadas com grande vanguardismo. Por esta e outra razões, podemos dizer que Maria Archer não foi “apenas uma mulher”.

Maria Archer  nasceu em Lisboa, a 4 de Janeiro de 1899. Viveu em jovem em Moçambique, Guiné e Angola. Mais tarde viu-se obrigada a procurar no Brasil os meios de subsistência, voltando a Portugal depois do 25 de Abril. Escreveu literatura para a infância e juventude e estudos antropológicos.

Acompanhou, de perto, o julgamento de Henrique Carlos Galvão no Tribunal Militar de Santa Clara. Tendo-se proposto escrever um livro sobre o mesmo, sua casa foi invadida pela Polícia Internacional e de Defesa do Estado (PIDE) logo após o final do julgamento, em 1953. Viria a publicá-lo em 1959, no Brasil, sob o título Os Últimos Dias do Fascismo Português.”

maria archer 2

O seu romance Casa Sem Pão (1947) foi também apreendido pela Censura. Foi filiada no Movimento de Unidade Democrática desde 1945, e alvo de perseguições que se intensificam após ter feito a reportagem do julgamento de Humberto Delgado em 1952. Em 1954, exilou-se no Brasil. Voltou a Portugal em 1977, doente e na mais completa destituição, acabando os seus dias num asilo” (Mansão de Santa Maria de Marvila, 23 de Janeiro de 1982).

A sua obra foi objecto de vários estudos universitários: “Maria Archer entre o Feminismo e o Neo-Realismo : Uma leitura dos romances Ela é apenas Mulher e Aristocratas” de Maria La Salete Coelho, na Universidade do Minho e “ Entre travessias e transições: Identidades femininas – Um estudo de Niketche: uma história de poligamia, de Paulina Chiziane (Moçambique) e Ela é apenas mulher, de Maria Archer (Portugal)”, da Profa. Dra. Elisabeth Batista1 (UNEMAT). Ambas aprofundam a forma como a autora apresenta as figuras femininas, com grande vanguardismo para a época em que escreveu a referida obra (“Ela é apenas uma mulher”, de 1944).

Faleceu a 23 de Janeiro de 1982.

Leave a Reply