Category Archives: Linguagem

A N0SSA PENÍNSULA – 19 – A língua portuguesa – por Carlos Loures

  No passado sábado, 5 de Maio. foi o Dia da Língua Portuguesa. Esta data foi criada a partir de uma resolução da XIV Reunião Ordinária do Conselho de Ministros da CPLP, em 20 de Julho de 2009, realizada em

A N0SSA PENÍNSULA – 19 – A língua portuguesa – por Carlos Loures

  No passado sábado, 5 de Maio. foi o Dia da Língua Portuguesa. Esta data foi criada a partir de uma resolução da XIV Reunião Ordinária do Conselho de Ministros da CPLP, em 20 de Julho de 2009, realizada em

OS AGENTES POLÍTICOS E O (DES)ACORDO ORTOGRÁFICO – por MANUEL SIMÕES

Já se percebeu que a classe política decidiu “assobiar para o lado” em relação ao conhecido “AO90”, de modo a fazer aceitar paulatinamente, e por inacção, uma ortografia da língua portuguesa com as propostas aberrantes que vai impondo através da

OS AGENTES POLÍTICOS E O (DES)ACORDO ORTOGRÁFICO – por MANUEL SIMÕES

Já se percebeu que a classe política decidiu “assobiar para o lado” em relação ao conhecido “AO90”, de modo a fazer aceitar paulatinamente, e por inacção, uma ortografia da língua portuguesa com as propostas aberrantes que vai impondo através da

CARTA DE BRAGA – “Da cultura e da retrete” – por ANTÓNIO OLIVEIRA

    Os senhores do mundo, os que nos controlam directa ou indirectamente – e este nos inclui toda a gente, até os capatazes que eles próprios acarinham e empossam – aprenderam durante os últimos trinta ou quarenta anos, que

CARTA DE BRAGA – “Da cultura e da retrete” – por ANTÓNIO OLIVEIRA

    Os senhores do mundo, os que nos controlam directa ou indirectamente – e este nos inclui toda a gente, até os capatazes que eles próprios acarinham e empossam – aprenderam durante os últimos trinta ou quarenta anos, que

CARTA DE BRAGA – “Acordo e Soberania” – por ANTÓNIO OLIVEIRA

    Bagão Félix chamou-lhe o Acordo Mortográfico e desenvolveu no “Público” do dia 20 do mês passado, uma interessantíssima crónica, referindo as aberrações endógenas, a gama de facultatividades do A.M. e erros resultantes da total confusão do “pós-acordismo” que

CARTA DE BRAGA – “Acordo e Soberania” – por ANTÓNIO OLIVEIRA

    Bagão Félix chamou-lhe o Acordo Mortográfico e desenvolveu no “Público” do dia 20 do mês passado, uma interessantíssima crónica, referindo as aberrações endógenas, a gama de facultatividades do A.M. e erros resultantes da total confusão do “pós-acordismo” que

CATALUNHA – NOTÍCIAS DO BLOQUEIO – 22 – por Maria Joana

  Una altra setmana catalana de la política judicialitzada, ja que el TS ha fet compareixer com a investigats devant el jutge Llarena dos membres del partit de la CUP: Mireya Boya i Anna Gabriel, la cúpula d’ERC, Marta Rovira

CATALUNHA – NOTÍCIAS DO BLOQUEIO – 22 – por Maria Joana

  Una altra setmana catalana de la política judicialitzada, ja que el TS ha fet compareixer com a investigats devant el jutge Llarena dos membres del partit de la CUP: Mireya Boya i Anna Gabriel, la cúpula d’ERC, Marta Rovira

A REVISTA “À NOUS PARIS”, A REVISTA DA ELITE FRANCESA « GLOBISH » QUE SE “ENJAILLE” – por DIANE DE BOURGUESDON

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota   A revista À  Nous Paris, a revista da elite francesa «globish» que se “enjaille” Diane de Bourguesdon, A revista “À  Nous Paris”, a revista da elite francesa «globish» que se “enjaille” Revista Causeur.fr,

A REVISTA “À NOUS PARIS”, A REVISTA DA ELITE FRANCESA « GLOBISH » QUE SE “ENJAILLE” – por DIANE DE BOURGUESDON

Selecção e tradução de Júlio Marques Mota   A revista À  Nous Paris, a revista da elite francesa «globish» que se “enjaille” Diane de Bourguesdon, A revista “À  Nous Paris”, a revista da elite francesa «globish» que se “enjaille” Revista Causeur.fr,

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – TRADUÇÃO E IDEOLOGIA OU O MISTÉRIO DA EQUIVALÊNCIA – HOJE, SÁBADO, 17 de FEVEREIRO, às 16 horas.

Tradução e ideologia ou O mistério da equivalência Sábado, 17 de Fevereiro, 16h As línguas não existem em abstracto nem os tradutores produzem no vazio: as circunstâncias linguísticas, editoriais, ideológicas, económicas condicionam sempre o que é e não é traduzido,

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – TRADUÇÃO E IDEOLOGIA OU O MISTÉRIO DA EQUIVALÊNCIA – HOJE, SÁBADO, 17 de FEVEREIRO, às 16 horas.

Tradução e ideologia ou O mistério da equivalência Sábado, 17 de Fevereiro, 16h As línguas não existem em abstracto nem os tradutores produzem no vazio: as circunstâncias linguísticas, editoriais, ideológicas, económicas condicionam sempre o que é e não é traduzido,

A GALIZA COMO TAREFA – 7 cuncas – Ernesto V. Souza

A Galiza tem um fugaz fulgor republicano, um enérgico pulo romântico e um fundo pouso barroco e românico. Sem saudades, nem mitificações: são épocas históricas nas que por causas económicas favoráveis, circunstâncias sociais determinadas e reivindicativas prendeu, na parte mais

A GALIZA COMO TAREFA – 7 cuncas – Ernesto V. Souza

A Galiza tem um fugaz fulgor republicano, um enérgico pulo romântico e um fundo pouso barroco e românico. Sem saudades, nem mitificações: são épocas históricas nas que por causas económicas favoráveis, circunstâncias sociais determinadas e reivindicativas prendeu, na parte mais

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – AINDA EM JANEIRO

  ciclo AGORA FALO OUTRA LÍNGUA Por estranhas línguas corre o mundo, e é nesse mundo que as pessoas dão às suas línguas em ruidosa confusão (de engano), à procura da palavra exacta, à procura da mentira justa. Línguas que

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – AINDA EM JANEIRO

  ciclo AGORA FALO OUTRA LÍNGUA Por estranhas línguas corre o mundo, e é nesse mundo que as pessoas dão às suas línguas em ruidosa confusão (de engano), à procura da palavra exacta, à procura da mentira justa. Línguas que

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – JANEIRO

JANEIRO na CASA da ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO ​ ciclo AGORA FALO OUTRA LÍNGUA Por estranhas línguas corre o mundo, e é nesse mundo que as pessoas dão às suas línguas em ruidosa confusão (de engano), à procura da

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – JANEIRO

JANEIRO na CASA da ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO ​ ciclo AGORA FALO OUTRA LÍNGUA Por estranhas línguas corre o mundo, e é nesse mundo que as pessoas dão às suas línguas em ruidosa confusão (de engano), à procura da

A GALIZA COMO TAREFA – silêncios – Ernesto V. Souza

Talvez nas distopias escuras de Ursula K. Le Guin, nos contos de terror de Edgar Allan Poe ou nas cosmogénesis oníricas de H. P. Lovecraft pudéssemos encontrar um silêncio atafegante, mítico, medonho, carregado com o peso das consciências coletivas, da

A GALIZA COMO TAREFA – silêncios – Ernesto V. Souza

Talvez nas distopias escuras de Ursula K. Le Guin, nos contos de terror de Edgar Allan Poe ou nas cosmogénesis oníricas de H. P. Lovecraft pudéssemos encontrar um silêncio atafegante, mítico, medonho, carregado com o peso das consciências coletivas, da

O PRIMEIRO PASSO DEPOIS DO 1-O: CONSTRUIR UMA IDENTIDADE PLURILINGUE EM ESPANHA, por ARMANDO FERNÁNDEZ STEINKO – SELECÇÃO E TRADUÇÃO por FRANCISCO TAVARES

  O PRIMEIRO PASSO DEPOIS DO 1-O: CONSTRUIR UMA IDENTIDADE PLURILINGUE EM ESPANHA Por Armando Fernández Steinko, em 29 de setembro de 2017   MANIFESTO PELO RECONHECIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA PLURALIDADE LINGUÍSTICA DE ESPANHA Os signatários deste Manifesto, criadores

O PRIMEIRO PASSO DEPOIS DO 1-O: CONSTRUIR UMA IDENTIDADE PLURILINGUE EM ESPANHA, por ARMANDO FERNÁNDEZ STEINKO – SELECÇÃO E TRADUÇÃO por FRANCISCO TAVARES

  O PRIMEIRO PASSO DEPOIS DO 1-O: CONSTRUIR UMA IDENTIDADE PLURILINGUE EM ESPANHA Por Armando Fernández Steinko, em 29 de setembro de 2017   MANIFESTO PELO RECONHECIMENTO E O DESENVOLVIMENTO DA PLURALIDADE LINGUÍSTICA DE ESPANHA Os signatários deste Manifesto, criadores

SINAIS DE FOGO – SOMOS TODOS JESUS?… – por Soares Novais

    O linguarejar do Jesus causa-me náuseas. O de Jesus e de muitos outros. Como o do Gabriel. Não o “Pensador”, mas aquele que diz coisas tão sábias como esta: “A selecção não jogou nem bem nem mal, antes

SINAIS DE FOGO – SOMOS TODOS JESUS?… – por Soares Novais

    O linguarejar do Jesus causa-me náuseas. O de Jesus e de muitos outros. Como o do Gabriel. Não o “Pensador”, mas aquele que diz coisas tão sábias como esta: “A selecção não jogou nem bem nem mal, antes