Category Archives: Finanças

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 10. Como é que a crise não resolvida na zona euro nos põe a todos em perigo

(Grace Blakeley, 23 de Janeiro de 2019)

A crise da zona euro é, no fundo, uma crise política. O principal obstáculo à sua resolução é a recusa da Alemanha e dos seus aliados do norte da Europa em apoiar uma política macroeconómica inflacionista – maior despesa pública e reduções fiscais – em toda a UE.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 10. Como é que a crise não resolvida na zona euro nos põe a todos em perigo

(Grace Blakeley, 23 de Janeiro de 2019)

A crise da zona euro é, no fundo, uma crise política. O principal obstáculo à sua resolução é a recusa da Alemanha e dos seus aliados do norte da Europa em apoiar uma política macroeconómica inflacionista – maior despesa pública e reduções fiscais – em toda a UE.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 9. No 20º aniversário do euro, a homenagem de Draghi perpetua mitos há muito rejeitados

(Ashoka Mody,  25 de Janeiro de 2019)

O problema com a UE e o Euro é que se baseiam em mentiras sob a presunção de que, se repetidas com suficiente frequência, se tornarão realidade. Isto funcionou bem durante algum tempo, mas como disse Abraham Lincoln: “Você pode enganar todas as pessoas em algum momento do tempo, e algumas pessoas o tempo todo, mas  não pode enganar todas as pessoas durante todo o tempo. O número de pessoas que  pode enganar está a afundar-se   muito rapidamente.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 9. No 20º aniversário do euro, a homenagem de Draghi perpetua mitos há muito rejeitados

(Ashoka Mody,  25 de Janeiro de 2019)

O problema com a UE e o Euro é que se baseiam em mentiras sob a presunção de que, se repetidas com suficiente frequência, se tornarão realidade. Isto funcionou bem durante algum tempo, mas como disse Abraham Lincoln: “Você pode enganar todas as pessoas em algum momento do tempo, e algumas pessoas o tempo todo, mas  não pode enganar todas as pessoas durante todo o tempo. O número de pessoas que  pode enganar está a afundar-se   muito rapidamente.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 8. O euro, 20 anos de cegueira

(Romain Masson , 10 de Janeiro de 2019)

Os defensores dos “Estados Unidos da Europa” também ignoram ou fingem ignorar que o federalismo implica uma política fiscal comum para permitir transferências das regiões mais ricas para as mais pobres, como está a acontecer  dentro das nações. No entanto, desde a criação do euro, a Alemanha recusou-se categoricamente a avançar para uma união de transferências que os teria obrigado a subsidiar os outros Estados-Membros e continua a opor-se-lhe.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 8. O euro, 20 anos de cegueira

(Romain Masson , 10 de Janeiro de 2019)

Os defensores dos “Estados Unidos da Europa” também ignoram ou fingem ignorar que o federalismo implica uma política fiscal comum para permitir transferências das regiões mais ricas para as mais pobres, como está a acontecer  dentro das nações. No entanto, desde a criação do euro, a Alemanha recusou-se categoricamente a avançar para uma união de transferências que os teria obrigado a subsidiar os outros Estados-Membros e continua a opor-se-lhe.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 7. O conflito na zona euro e o seu futuro

(Antonio Lettieri , 20 de Janeiro de 2019)

Este ano, a zona euro faz vinte anos. Se os primeiros dez anos foram caracterizados por uma complexa fase de arranque em busca de um equilíbrio interno, a segunda década foi marcada por uma crise que ainda não encontrou solução. A zona euro sofreu duas crises em 2008-2009 e 2012-13. E, atualmente, está novamente marcada por um declínio no crescimento e por um aumento do desemprego.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 7. O conflito na zona euro e o seu futuro

(Antonio Lettieri , 20 de Janeiro de 2019)

Este ano, a zona euro faz vinte anos. Se os primeiros dez anos foram caracterizados por uma complexa fase de arranque em busca de um equilíbrio interno, a segunda década foi marcada por uma crise que ainda não encontrou solução. A zona euro sofreu duas crises em 2008-2009 e 2012-13. E, atualmente, está novamente marcada por um declínio no crescimento e por um aumento do desemprego.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 6. A Europa, um continente que se transforma num desolado modelo alemão

(Heiner Flassbeck, 25 de Janeiro de 2019)

Os políticos de centro-direita alemães dizem que os britânicos devem ser punidos por ousarem abandonar a União, enquanto os alemães de centro-esquerda lamentam que tenhamos de enfrentar seriamente uma reforma fundamental da UE, em vez de esperarmos uma desagregação da Europa. Há um grande debate na esquerda porque há quem acredite que o Brexit prova que sair da UE é uma “loucura”. Talvez a verdade esteja no meio ou noutro lugar qualquer.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 6. A Europa, um continente que se transforma num desolado modelo alemão

(Heiner Flassbeck, 25 de Janeiro de 2019)

Os políticos de centro-direita alemães dizem que os britânicos devem ser punidos por ousarem abandonar a União, enquanto os alemães de centro-esquerda lamentam que tenhamos de enfrentar seriamente uma reforma fundamental da UE, em vez de esperarmos uma desagregação da Europa. Há um grande debate na esquerda porque há quem acredite que o Brexit prova que sair da UE é uma “loucura”. Talvez a verdade esteja no meio ou noutro lugar qualquer.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 4. Porque é que o euro falhou

( Ashoka Moya, 3 de Setembro de 2018)

A falha essencial da moeda única era elementar. Ao renunciarem às suas moedas nacionais, os membros da zona euro perderam importantes alavancas políticas. Se um país membro entrasse em recessão, não teria uma moeda que pudesse desvalorizar para que as suas empresas pudessem vender no estrangeiro a preços mais baixos em dólares  americanos, a fim de aumentar as exportações e o emprego. O país membro também não teria um banco central que pudesse reduzir as suas taxas de juros para incentivar a despesa internamente  e estimular o crescimento.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 4. Porque é que o euro falhou

( Ashoka Moya, 3 de Setembro de 2018)

A falha essencial da moeda única era elementar. Ao renunciarem às suas moedas nacionais, os membros da zona euro perderam importantes alavancas políticas. Se um país membro entrasse em recessão, não teria uma moeda que pudesse desvalorizar para que as suas empresas pudessem vender no estrangeiro a preços mais baixos em dólares  americanos, a fim de aumentar as exportações e o emprego. O país membro também não teria um banco central que pudesse reduzir as suas taxas de juros para incentivar a despesa internamente  e estimular o crescimento.

O AUMENTO DO NÚMERO DE TRABALHADORES DA FUNÇÃO PÚBLICA DURANTE O GOVERNO DE COSTA APENAS COMPENSOU UM TERÇO DA DESTRUIÇÃO DO PSD/CDS, E O PODER DE COMPRA DOS TRABALHADORES EM 2018 AINDA ERA INFERIOR EM 18,8% AO DE 2010 – por EUGÉNIO ROSA.

O AUMENTO DOS TRABALHADORES DA FUNÇÃO PÚBLICA DURANTE O GOVERNO PS/COSTA APENAS COMPENSOU 35% DA DESTRUIÇÃO FEITA PELO GOVERNO PSD/CDS Quadro 1 – Variação do número dos trabalhadores das Administrações Públicas-2011/18 PODER DE COMPRA MÉDIO DOS TRABALHADORES DA FUNÇÃO PÚBLICA

O AUMENTO DO NÚMERO DE TRABALHADORES DA FUNÇÃO PÚBLICA DURANTE O GOVERNO DE COSTA APENAS COMPENSOU UM TERÇO DA DESTRUIÇÃO DO PSD/CDS, E O PODER DE COMPRA DOS TRABALHADORES EM 2018 AINDA ERA INFERIOR EM 18,8% AO DE 2010 – por EUGÉNIO ROSA.

O AUMENTO DOS TRABALHADORES DA FUNÇÃO PÚBLICA DURANTE O GOVERNO PS/COSTA APENAS COMPENSOU 35% DA DESTRUIÇÃO FEITA PELO GOVERNO PSD/CDS Quadro 1 – Variação do número dos trabalhadores das Administrações Públicas-2011/18 PODER DE COMPRA MÉDIO DOS TRABALHADORES DA FUNÇÃO PÚBLICA

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 3. A zona euro tem 20 anos – Parte II

( Jacques Sapir, 1 de Janeiro de 2019)

O fracasso da zona euro é agora evidente para a grande maioria dos observadores. Este fracasso conduz os países da zona euro à sua perda, mas, para além disso, tem um impacto significativo na economia internacional. O facto de o Euro condenar um grupo de países a um baixo crescimento tem consequências importantes para o resto do mundo. É por isso que a dissolução da zona euro parece ser agora uma prioridade absoluta.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 3. A zona euro tem 20 anos – Parte II

( Jacques Sapir, 1 de Janeiro de 2019)

O fracasso da zona euro é agora evidente para a grande maioria dos observadores. Este fracasso conduz os países da zona euro à sua perda, mas, para além disso, tem um impacto significativo na economia internacional. O facto de o Euro condenar um grupo de países a um baixo crescimento tem consequências importantes para o resto do mundo. É por isso que a dissolução da zona euro parece ser agora uma prioridade absoluta.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 3. A zona euro tem 20 anos – Parte I

( Jacques Sapir, 1 de Janeiro de 2019)

Recorde-se aqui que depois de disfarçar o euro como sendo uma forma de garantia contra os movimentos e flutuações especulativas, os  apologistas  do euro apresentaram-no como uma vantagem para o crescimento na Europa. No entanto, ficaram decepcionados e até Jacques Delors repudiou o euro tal como ele existe hoje.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 3. A zona euro tem 20 anos – Parte I

( Jacques Sapir, 1 de Janeiro de 2019)

Recorde-se aqui que depois de disfarçar o euro como sendo uma forma de garantia contra os movimentos e flutuações especulativas, os  apologistas  do euro apresentaram-no como uma vantagem para o crescimento na Europa. No entanto, ficaram decepcionados e até Jacques Delors repudiou o euro tal como ele existe hoje.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto 2. A zona euro organiza estruturalmente a divergência de países

(Patrick Artus, 28 de Março de 2018)

Quando um país da zona euro tem uma elevada competitividade de custos e um excedente externo, os seus salários aceleram-se  pouco e assim pode manter a sua vantagem competitiva.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto 2. A zona euro organiza estruturalmente a divergência de países

(Patrick Artus, 28 de Março de 2018)

Quando um país da zona euro tem uma elevada competitividade de custos e um excedente externo, os seus salários aceleram-se  pouco e assim pode manter a sua vantagem competitiva.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto 1. Por enquanto, a zona euro é um fracasso

(Patrick Artus, 05 de Setembro de 2018)

No entanto, desde a crise de 2010-2013 na zona  euro, a mobilidade de capitais desapareceu entre os países da zona  euro. Uma tal situação  deve-se ao  facto do excedente externo da Alemanha e dos Países Baixos já não tem como contrapartida o défice externo dos outros países da zona  euro, mas sim por um excedente externo global da zona euro.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto 1. Por enquanto, a zona euro é um fracasso

(Patrick Artus, 05 de Setembro de 2018)

No entanto, desde a crise de 2010-2013 na zona  euro, a mobilidade de capitais desapareceu entre os países da zona  euro. Uma tal situação  deve-se ao  facto do excedente externo da Alemanha e dos Países Baixos já não tem como contrapartida o défice externo dos outros países da zona  euro, mas sim por um excedente externo global da zona euro.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Introdução.

(Júlio Marques Mota, 18 de Fevereiro de 2019)

Com esta serie de textos sobre a trajetória do euro nestes seus vinte anos de vida difícil ,  tomamos como eixo central da série, por um lado,  o que os neoliberais e defensores do euro consideravam que seriam os resultados económicos obtidos com a criação da moeda única, e por outro lado,  os resultados económicos a que se chega nestes 20 anos de moeda única.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Introdução.

(Júlio Marques Mota, 18 de Fevereiro de 2019)

Com esta serie de textos sobre a trajetória do euro nestes seus vinte anos de vida difícil ,  tomamos como eixo central da série, por um lado,  o que os neoliberais e defensores do euro consideravam que seriam os resultados económicos obtidos com a criação da moeda única, e por outro lado,  os resultados económicos a que se chega nestes 20 anos de moeda única.

Sobre o que foi o ano de 2018, sobre os perigos que nos ameaçam em 2019 – uma pequena série de textos. 16. O Inverno do descontentamento europeu

(Arthur Goldhammer, 09 de Janeiro de 2019)

Tem sido frequentemente observado que a UE evolui de forma impulsiva. O impulso da geração do pós-guerra, da geração de Maastricht, da geração que trouxe o Mercado Único e a livre circulação de capitais, bens e pessoas, está agora esgotada. A geração mais jovem que a irá substituir ainda não descobriu para onde quer ir. Enquanto assim for, a Europa permanecerá num impasse, numa situação de desconforto entre as celebrações da paz que a União Europeia se considera ter alcançado e os conflitos que as suas contradições internas estão hoje a incitar.

Sobre o que foi o ano de 2018, sobre os perigos que nos ameaçam em 2019 – uma pequena série de textos. 16. O Inverno do descontentamento europeu

(Arthur Goldhammer, 09 de Janeiro de 2019)

Tem sido frequentemente observado que a UE evolui de forma impulsiva. O impulso da geração do pós-guerra, da geração de Maastricht, da geração que trouxe o Mercado Único e a livre circulação de capitais, bens e pessoas, está agora esgotada. A geração mais jovem que a irá substituir ainda não descobriu para onde quer ir. Enquanto assim for, a Europa permanecerá num impasse, numa situação de desconforto entre as celebrações da paz que a União Europeia se considera ter alcançado e os conflitos que as suas contradições internas estão hoje a incitar.

Sobre o que foi o ano de 2018, sobre os perigos que nos ameaçam em 2019 – uma pequena série de textos. 15. Um touro dentro de um bazar chinês – PARTE II

(John Mauldin, 27 de Janeiro de 2019)

A alavancagem é uma coisa curiosa.  Ela permite que se façam  coisas que de outra forma não se  conseguiria fazer. A desalavancagem é o oposto de diversão porque neste  caso deve-se  fazer coisas que se  prefere evitar.

Sobre o que foi o ano de 2018, sobre os perigos que nos ameaçam em 2019 – uma pequena série de textos. 15. Um touro dentro de um bazar chinês – PARTE II

(John Mauldin, 27 de Janeiro de 2019)

A alavancagem é uma coisa curiosa.  Ela permite que se façam  coisas que de outra forma não se  conseguiria fazer. A desalavancagem é o oposto de diversão porque neste  caso deve-se  fazer coisas que se  prefere evitar.