Category Archives: Ciências humanas

A GALIZA COMO TAREFA – best-sellers – Ernesto V. Souza

Não será também este ano, pois já vai quase inteiro andado, que aconteça esse Apocalipse do papel, anunciado há décadas pelos profetas do digital, nem virá tão pronto esse mundo futuro imediato, há quanto pregoado, do livro terminator eletrónico. Mas

A GALIZA COMO TAREFA – best-sellers – Ernesto V. Souza

Não será também este ano, pois já vai quase inteiro andado, que aconteça esse Apocalipse do papel, anunciado há décadas pelos profetas do digital, nem virá tão pronto esse mundo futuro imediato, há quanto pregoado, do livro terminator eletrónico. Mas

DIÁSPORA. BUSCANDO EL PARAÍSO, por Moisés Cayetano Rosado

¿Qué buscan esos niños que corren detrás de los autobuses de turistas en las ciudades fronterizas del Estrecho, agarrándose a sus traseras, laterales, en plena marcha, con gran peligro de sus vidas? ¿Qué hacen colocándose como un reptil, aprovechando algún

DIÁSPORA. BUSCANDO EL PARAÍSO, por Moisés Cayetano Rosado

¿Qué buscan esos niños que corren detrás de los autobuses de turistas en las ciudades fronterizas del Estrecho, agarrándose a sus traseras, laterales, en plena marcha, con gran peligro de sus vidas? ¿Qué hacen colocándose como un reptil, aprovechando algún

A GALIZA COMO TAREFA – armas dos ‘probes’ – Ernesto V. Souza

Hibridação, mímese, diferenciação e ambivalência. Tais termos descrevem diversas formas pelas quais as pessoas colonizadas resistiram ao poder do colonizador, de acordo com a teoria de H. K. Bhabha, o grande teórico das análises do postcolonialismo. Edward. W. Said propõe

A GALIZA COMO TAREFA – armas dos ‘probes’ – Ernesto V. Souza

Hibridação, mímese, diferenciação e ambivalência. Tais termos descrevem diversas formas pelas quais as pessoas colonizadas resistiram ao poder do colonizador, de acordo com a teoria de H. K. Bhabha, o grande teórico das análises do postcolonialismo. Edward. W. Said propõe

A GALIZA COMO TAREFA – relíquias – Ernesto V. Souza

Muitas das religiões mantiveram culto a espaços, lugares, objetos de caráter cerimonial transcendidos em sagrado; e as mais delas também veneraram relíquias: objetos, livros, fragmentos da roupa, ou mesmo restos ou excrescências humanas que pertenceram ou foram parte dos antepassados,

A GALIZA COMO TAREFA – relíquias – Ernesto V. Souza

Muitas das religiões mantiveram culto a espaços, lugares, objetos de caráter cerimonial transcendidos em sagrado; e as mais delas também veneraram relíquias: objetos, livros, fragmentos da roupa, ou mesmo restos ou excrescências humanas que pertenceram ou foram parte dos antepassados,

A GALIZA COMO TAREFA – Studiolo – Ernesto V. Souza

O Studiolo é um gabinete de curiosidades nascido na Itália renascentista a imitação de gregos e romanos; o Pequeno estudo ou Camerino era, normalmente uma sala privada, tamanha em função das possibilidades do dono, onde o proprietário podia se retirar para

A GALIZA COMO TAREFA – Studiolo – Ernesto V. Souza

O Studiolo é um gabinete de curiosidades nascido na Itália renascentista a imitação de gregos e romanos; o Pequeno estudo ou Camerino era, normalmente uma sala privada, tamanha em função das possibilidades do dono, onde o proprietário podia se retirar para

A GALIZA COMO TAREFA – spero lucem… – Ernesto V. Souza

PAXAROS; PEIXES, E HOMES, DE DISTINTA CASTA SON : AQUELLES CÓMENSE ASADOS, PERO ¿OS RACIONALES ? NON. Manuel Pardo de Andrade, 1841 Não há tantos anos, uma, duas décadas talvez, naquele remoto Reino da Espanha parecia claro que se consolidara a democracia;

A GALIZA COMO TAREFA – spero lucem… – Ernesto V. Souza

PAXAROS; PEIXES, E HOMES, DE DISTINTA CASTA SON : AQUELLES CÓMENSE ASADOS, PERO ¿OS RACIONALES ? NON. Manuel Pardo de Andrade, 1841 Não há tantos anos, uma, duas décadas talvez, naquele remoto Reino da Espanha parecia claro que se consolidara a democracia;

A GALIZA COMO TAREFA – periferias periféricas- Ernesto V. Souza

A visão geral que da Península Ibérica é transmitida no ensaio europeu dos séculos XIX e XX é a da periferia. O tema, qualquer que se gize no género ensaio, é irrelevante, mas a noção da distância e lonjura a

A GALIZA COMO TAREFA – periferias periféricas- Ernesto V. Souza

A visão geral que da Península Ibérica é transmitida no ensaio europeu dos séculos XIX e XX é a da periferia. O tema, qualquer que se gize no género ensaio, é irrelevante, mas a noção da distância e lonjura a

DIÁSPORA. CALCULANDO LOS HUEVOS DEL DÍA SIGUIENTE, por Moisés Cayetano Rosado

Para saber si al día siguiente podríamos comer huevos, mi tía Elena iba cogiendo una a una a las gallinas, tan pacientes, y les hurgaba en el trasero. – Seis para mañana, decía. O cuatro, o los que fuera. Y

DIÁSPORA. CALCULANDO LOS HUEVOS DEL DÍA SIGUIENTE, por Moisés Cayetano Rosado

Para saber si al día siguiente podríamos comer huevos, mi tía Elena iba cogiendo una a una a las gallinas, tan pacientes, y les hurgaba en el trasero. – Seis para mañana, decía. O cuatro, o los que fuera. Y

EDITORIAL: DOUTORES

Cada vez mais os jovens que concluem um curso superior deparam com dificuldade em encontrar no mercado de trabalho um lugar onde possam usar os conhecimentos adquiridos na Universidade- -Diz-se que  o problema não é exclusivo do nosso  país –

EDITORIAL: DOUTORES

Cada vez mais os jovens que concluem um curso superior deparam com dificuldade em encontrar no mercado de trabalho um lugar onde possam usar os conhecimentos adquiridos na Universidade- -Diz-se que  o problema não é exclusivo do nosso  país –

A GALIZA COMO TAREFA – das velhas traduções – Ernesto V. Souza

Uma das cousas, para mim, que melhor demonstra o golpe de tópicos sobre as línguas é o tempo. Há certas singularidades que manifestam esta passagem das décadas em forma de surpresas ou irritantes mistérios na leitura dos livros velhos. Por que

A GALIZA COMO TAREFA – das velhas traduções – Ernesto V. Souza

Uma das cousas, para mim, que melhor demonstra o golpe de tópicos sobre as línguas é o tempo. Há certas singularidades que manifestam esta passagem das décadas em forma de surpresas ou irritantes mistérios na leitura dos livros velhos. Por que

A GALIZA COMO TAREFA – stultifera navis – Ernesto V. Souza

Sempre tive a sensação, desde cativo, que os que governavam, os que ocupavam os altos postos nos mundos da política, da economia, da empresa, da milícia, das grandes finanças, nas academias e na gerência das mais importantes instituições culturais e

A GALIZA COMO TAREFA – stultifera navis – Ernesto V. Souza

Sempre tive a sensação, desde cativo, que os que governavam, os que ocupavam os altos postos nos mundos da política, da economia, da empresa, da milícia, das grandes finanças, nas academias e na gerência das mais importantes instituições culturais e

DIÁSPORA. LO QUE MÁS LES HA IMPRESIONADO, por Moisés Cayetano Rosado

Visitamos Peniche, Óbidos y Nazaré. Despacio, reposadamente. Viendo de todo, con lluvia y con sol, con ráfagas de viento y con serenidad. Y les pregunto a mis nietos qué es lo que más les ha llamado la atención de lo

DIÁSPORA. LO QUE MÁS LES HA IMPRESIONADO, por Moisés Cayetano Rosado

Visitamos Peniche, Óbidos y Nazaré. Despacio, reposadamente. Viendo de todo, con lluvia y con sol, con ráfagas de viento y con serenidad. Y les pregunto a mis nietos qué es lo que más les ha llamado la atención de lo

A GALIZA COMO TAREFA – desestruturas acríticas- Ernesto V. Souza

Podemos sem dúvida dizer que as condições gerais de vida na Galiza, dos anos 50 até hoje e nomeadamente desde os anos 70, melhoraram em termos quantitativos e qualitativos. Chegaria com dar uma olhadela nas fotos, nas montras das lojas

A GALIZA COMO TAREFA – desestruturas acríticas- Ernesto V. Souza

Podemos sem dúvida dizer que as condições gerais de vida na Galiza, dos anos 50 até hoje e nomeadamente desde os anos 70, melhoraram em termos quantitativos e qualitativos. Chegaria com dar uma olhadela nas fotos, nas montras das lojas

DIÁSPORA. JESUITAS ASESINADOS EN EL SALVADOR, por Moisés Cayetano Rosado

Acabo de leer un libro especial, al que la Real Academia Española le concedió hace poco menos de tres meses su premio anual. Publicado inicialmente por Planeta, en México, el año pasado, y este año por Tusquets en España, estamos

DIÁSPORA. JESUITAS ASESINADOS EN EL SALVADOR, por Moisés Cayetano Rosado

Acabo de leer un libro especial, al que la Real Academia Española le concedió hace poco menos de tres meses su premio anual. Publicado inicialmente por Planeta, en México, el año pasado, y este año por Tusquets en España, estamos

A GALIZA COMO TAREFA – quem passa a Marola – Ernesto V. Souza

A gente galega temos muitas e variadas virtudes, também notáveis defeitos, mas nisto como em tudo a perspetiva e o costume é quem decide, dando-se o pasmoso caso de, não poucas vezes, as que muitos de nós consideramos ser virtudes,

A GALIZA COMO TAREFA – quem passa a Marola – Ernesto V. Souza

A gente galega temos muitas e variadas virtudes, também notáveis defeitos, mas nisto como em tudo a perspetiva e o costume é quem decide, dando-se o pasmoso caso de, não poucas vezes, as que muitos de nós consideramos ser virtudes,