Category Archives: Biografia

NESTE DIA, 18 de OUTUBRO de 1867, nasceu Eugénio Tavares

  Em 18 de Outubro, mas de 1867, nasceu na Ilha Brava (Vila Nova Sintra), Eugénio Tavares, o grande poeta cabo-verdiano (m. 1 de Junho de 1930). Autodidacta, dominava com perfeição, quer a língua portuguesa, quer o crioulo de Cabo

NESTE DIA, 18 de OUTUBRO de 1867, nasceu Eugénio Tavares

  Em 18 de Outubro, mas de 1867, nasceu na Ilha Brava (Vila Nova Sintra), Eugénio Tavares, o grande poeta cabo-verdiano (m. 1 de Junho de 1930). Autodidacta, dominava com perfeição, quer a língua portuguesa, quer o crioulo de Cabo

EXPOSIÇÃO “ANTÓNIO BRONZE – DESENHOS e um painel de afetos” – INAUGURAÇÃO AMANHÃ, SÁBADO, 13 de OUTUBRO, pelas 16 horas, no MUSEU MUNICIPAL AMADEO SOUZA-CARDOSO, em AMARANTE

          O Presidente da Câmara Municipal de Amarante, José Luís Gaspar, e o Diretor do Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, António Cardoso, convidam V. Ex.a a assistir à inauguração da exposição ‘‘ANTÓNIO BRONZE_DESENHOS e um painel

EXPOSIÇÃO “ANTÓNIO BRONZE – DESENHOS e um painel de afetos” – INAUGURAÇÃO AMANHÃ, SÁBADO, 13 de OUTUBRO, pelas 16 horas, no MUSEU MUNICIPAL AMADEO SOUZA-CARDOSO, em AMARANTE

          O Presidente da Câmara Municipal de Amarante, José Luís Gaspar, e o Diretor do Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, António Cardoso, convidam V. Ex.a a assistir à inauguração da exposição ‘‘ANTÓNIO BRONZE_DESENHOS e um painel

PEPETELA, “SUA EXCELÊNCIA, DE CORPO PRESENTE” – UMA LEITURA por MANUEL SIMÕES

    Pepetela (Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos) nasceu em Benguela em 29 de Outubro de 1941, e é filho de pais portugueses, já nascidos em Angola. Estudou no Colégio dos Maristas em Sá da Bandeira (actualmente Lubango), passou

PEPETELA, “SUA EXCELÊNCIA, DE CORPO PRESENTE” – UMA LEITURA por MANUEL SIMÕES

    Pepetela (Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos) nasceu em Benguela em 29 de Outubro de 1941, e é filho de pais portugueses, já nascidos em Angola. Estudou no Colégio dos Maristas em Sá da Bandeira (actualmente Lubango), passou

CARTA DE BARCELONA – “Cartes a Mahalta”, la nostra “Muntanya màgica” – por JOSEP A. VIDAL

L’any 1935, Màrius Torres, un jove metge lleidatà, malalt de tuberculosi, es veu obligat a recloure’s en un sanatori. Té 25 anys i, encara en la fase inicial de l’exercici de la professió mèdica, cultiva ja una imprecisa vocació d’escriptor

CARTA DE BARCELONA – “Cartes a Mahalta”, la nostra “Muntanya màgica” – por JOSEP A. VIDAL

L’any 1935, Màrius Torres, un jove metge lleidatà, malalt de tuberculosi, es veu obligat a recloure’s en un sanatori. Té 25 anys i, encara en la fase inicial de l’exercici de la professió mèdica, cultiva ja una imprecisa vocació d’escriptor

MARIA VELEDA e “A MULHER E A CRIANÇA” por Clara Castilho

  Maria Carolina Frederico Crispin, mulher algarvia, escolheu o nome Maria Veleda para ser conhecida . Nascida numa família culta, estudou em colégios e aos sete anos estreou-se no Teatro Lethes. Lia muito, sobretudo Almeida Garrett e Alexandre Herculano. Aos

MARIA VELEDA e “A MULHER E A CRIANÇA” por Clara Castilho

  Maria Carolina Frederico Crispin, mulher algarvia, escolheu o nome Maria Veleda para ser conhecida . Nascida numa família culta, estudou em colégios e aos sete anos estreou-se no Teatro Lethes. Lia muito, sobretudo Almeida Garrett e Alexandre Herculano. Aos

ANA DE CASTRO OSÓRIO (1872 – 1935), a “MÃE” DA LITERATURA INFANTIL por Clara Castilho

  Foi neste início do século XX que Ana de Castro Osório se notabilizou como defensora dos direitos das mulheres, com a mesma coragem com que assumia a publicação de obras marcantes da literatura para crianças. Escritora, editora, jornalista, ensaísta, pedagoga, feminista,

ANA DE CASTRO OSÓRIO (1872 – 1935), a “MÃE” DA LITERATURA INFANTIL por Clara Castilho

  Foi neste início do século XX que Ana de Castro Osório se notabilizou como defensora dos direitos das mulheres, com a mesma coragem com que assumia a publicação de obras marcantes da literatura para crianças. Escritora, editora, jornalista, ensaísta, pedagoga, feminista,

DO MITO À PROCURA DA VERDADE SOBRE A 1.ª REPÚBLICA – por ANTÓNIO GOMES MARQUES

    I Saí da aldeia onde nasci —Chã de Alvares/Góis— com 10 anos, mas foi ainda ali que comecei a ouvir falar da 1.ª República como um tempo melhor para todos do que aquele que então se vivia, o

DO MITO À PROCURA DA VERDADE SOBRE A 1.ª REPÚBLICA – por ANTÓNIO GOMES MARQUES

    I Saí da aldeia onde nasci —Chã de Alvares/Góis— com 10 anos, mas foi ainda ali que comecei a ouvir falar da 1.ª República como um tempo melhor para todos do que aquele que então se vivia, o

IMPULSIONADORA DAS MATERNIDADES – ADELAIDE CABETE (1867-1935) por Clara Castilho

Em Elvas, famílias humildes apanhavam as célebres ameixas e trabalhavam noutros árduos trabalhos. Foi assim que cresceu Adelaide, que casou aos 18 anos, analfabeta. Incentivada pelo marido, começou a estudar aos 20 anos. Aos 23 fez o exame de instrução

IMPULSIONADORA DAS MATERNIDADES – ADELAIDE CABETE (1867-1935) por Clara Castilho

Em Elvas, famílias humildes apanhavam as célebres ameixas e trabalhavam noutros árduos trabalhos. Foi assim que cresceu Adelaide, que casou aos 18 anos, analfabeta. Incentivada pelo marido, começou a estudar aos 20 anos. Aos 23 fez o exame de instrução

IN MEMORIAM – O ADEUS A JOÃO MARQUES, por JÚLIO MARQUES MOTA – em apêndice “SERÁ QUE APRENDEMOS AS LIÇÕES DA CRISE FINANCEIRA?”, de GILLIAN TETT.

Ontem foi dia de despedida, para sempre, de um amigo meu, o jornalista João Marques. Familiares e amigos disseram-lhe o último adeus, ontem, 26 de Setembro. Dele, conservo na memória a retidão de princípios e de comportamentos. Dele sublinho a

IN MEMORIAM – O ADEUS A JOÃO MARQUES, por JÚLIO MARQUES MOTA – em apêndice “SERÁ QUE APRENDEMOS AS LIÇÕES DA CRISE FINANCEIRA?”, de GILLIAN TETT.

Ontem foi dia de despedida, para sempre, de um amigo meu, o jornalista João Marques. Familiares e amigos disseram-lhe o último adeus, ontem, 26 de Setembro. Dele, conservo na memória a retidão de princípios e de comportamentos. Dele sublinho a

THE JAMES JOYCE CENTRE 2018 AUTUMN/WINTER LECTURE SERIES – ED MULHALL – THE FIRST SIGHTINGS OF JAMES JOYCE’S ULYSSES – Monday 1st October at 6.30pm – HOJE, SEGUNDA-FEIRA, 1 de OUTUBRO, às 18.30.

  The James Joyce Centre 2018 Autumn/Winter Lecture Series ED MULHALL – THE FIRST SIGHTINGS OF JAMES JOYCE’S ULYSSES Monday 1st October at 6.30pm   The James Joyce Centre are delighted to welcome Ed Mulhall to open our 2018 Autumn/Winter Lecture

THE JAMES JOYCE CENTRE 2018 AUTUMN/WINTER LECTURE SERIES – ED MULHALL – THE FIRST SIGHTINGS OF JAMES JOYCE’S ULYSSES – Monday 1st October at 6.30pm – HOJE, SEGUNDA-FEIRA, 1 de OUTUBRO, às 18.30.

  The James Joyce Centre 2018 Autumn/Winter Lecture Series ED MULHALL – THE FIRST SIGHTINGS OF JAMES JOYCE’S ULYSSES Monday 1st October at 6.30pm   The James Joyce Centre are delighted to welcome Ed Mulhall to open our 2018 Autumn/Winter Lecture