Category Archives: Belas-artes.

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (111)

  TUDO TÃO PRÓXIMO  . Sentado no chão Do lado de lá, Costas de encontro à porta cerrada Sufoco Sem rumo ou solução Ansiando o outro lado O de cá. Abraço os joelhos Abraço a vida e os meus receios

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (111)

  TUDO TÃO PRÓXIMO  . Sentado no chão Do lado de lá, Costas de encontro à porta cerrada Sufoco Sem rumo ou solução Ansiando o outro lado O de cá. Abraço os joelhos Abraço a vida e os meus receios

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – ARQUITECTURA – EXPOSIÇÕES GERAIS DE ARTES PLÁSTICAS – OFICINAS – UM CALENDÁRIO PARA 2018

  Arquitectar para quem? A partir das Exposições Gerais de Artes Plásticas   Sábado, 9 de Dezembro, 16h Quem encomenda, a quem se destina e como se usa a arquitectura? com Ana Assis Pacheco (arquitecta), Alexandra Ai Quintas (arquitecta) e Margarida Acciaiuoli (historiadora

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – ARQUITECTURA – EXPOSIÇÕES GERAIS DE ARTES PLÁSTICAS – OFICINAS – UM CALENDÁRIO PARA 2018

  Arquitectar para quem? A partir das Exposições Gerais de Artes Plásticas   Sábado, 9 de Dezembro, 16h Quem encomenda, a quem se destina e como se usa a arquitectura? com Ana Assis Pacheco (arquitecta), Alexandra Ai Quintas (arquitecta) e Margarida Acciaiuoli (historiadora

ADÃO CRUZ – BOTÃO-FLOR DA PRIMEIRA FOLHA VERDE

  Há uma mulher de alvor azul, com um fio de azeite nos lábios finos e uma gota de água no canto dos olhos secos. Os lábios foram carnudos e vermelhos de sangue, e os olhos eram verdes como o

ADÃO CRUZ – BOTÃO-FLOR DA PRIMEIRA FOLHA VERDE

  Há uma mulher de alvor azul, com um fio de azeite nos lábios finos e uma gota de água no canto dos olhos secos. Os lábios foram carnudos e vermelhos de sangue, e os olhos eram verdes como o

ADÃO CRUZ – AO REDOR DO VENTO

  Não me encontraste mas eu sei que vieste ao meu encontro porque pedalavas suavemente ao longo do rio tão levemente que os teus olhos mo diziam e nem as gaivotas fugiam. Outrora o sol nascia pachorrento a esta hora

ADÃO CRUZ – AO REDOR DO VENTO

  Não me encontraste mas eu sei que vieste ao meu encontro porque pedalavas suavemente ao longo do rio tão levemente que os teus olhos mo diziam e nem as gaivotas fugiam. Outrora o sol nascia pachorrento a esta hora

ADÃO CRUZ – UMA VIRGEM DE BRANCO

Ela percorre a noite com a vida suja enfiada num saco, tentando vendê-la ao desbarato, enquanto a chuva pegajosa lambe as paredes negras sem lua, e os olhos caiem no chão dos curtíssimos horizontes de todas as incertezas. No ar

ADÃO CRUZ – UMA VIRGEM DE BRANCO

Ela percorre a noite com a vida suja enfiada num saco, tentando vendê-la ao desbarato, enquanto a chuva pegajosa lambe as paredes negras sem lua, e os olhos caiem no chão dos curtíssimos horizontes de todas as incertezas. No ar

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (110)

  PROCURO O DESTINO DAS PALAVRAS   Procuro a vida secreta Que entrevejo nas palavras Na rima Na imagem No sabor e no cheiro E não sei qual a minha meta. Ignoro por onde vou Que letras virão ao meu

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (110)

  PROCURO O DESTINO DAS PALAVRAS   Procuro a vida secreta Que entrevejo nas palavras Na rima Na imagem No sabor e no cheiro E não sei qual a minha meta. Ignoro por onde vou Que letras virão ao meu

ADÃO CRUZ – VENHO DE UM JARDIM DISTANTE

Venho de um jardim distante florido de memórias ou de um sonho qualquer entre risos e lágrimas caindo de um céu de chumbo ou de um céu de magnólias. Venho do seio do orvalho da madrugada num punhado de vida

ADÃO CRUZ – VENHO DE UM JARDIM DISTANTE

Venho de um jardim distante florido de memórias ou de um sonho qualquer entre risos e lágrimas caindo de um céu de chumbo ou de um céu de magnólias. Venho do seio do orvalho da madrugada num punhado de vida

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – EXPOSIÇÃO – UM GRANDE COMÍCIO SEM PALAVRAS

BIBLIOTECA E MEDIATECA DA ACHADA Segundas, quintas, sextas, das 15h às 20h Sábados e domingos, das 11h às 18h A Biblioteca Pública da Achada tem secções de Literatura, Arte, Cinema, Teatro, História, Ciência, Literatura Infanto-Juvenil, etc… Pode-se ler no local

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – EXPOSIÇÃO – UM GRANDE COMÍCIO SEM PALAVRAS

BIBLIOTECA E MEDIATECA DA ACHADA Segundas, quintas, sextas, das 15h às 20h Sábados e domingos, das 11h às 18h A Biblioteca Pública da Achada tem secções de Literatura, Arte, Cinema, Teatro, História, Ciência, Literatura Infanto-Juvenil, etc… Pode-se ler no local

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (109)

A ESSÊNCIA DA VIDA     Preciso de espaço para talvez querer O que não sei. A minha atitude é de recusa Resignação e revolta. Mesmo sem o saber O que não quero, já dei Num dia, ao fim da

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (109)

A ESSÊNCIA DA VIDA     Preciso de espaço para talvez querer O que não sei. A minha atitude é de recusa Resignação e revolta. Mesmo sem o saber O que não quero, já dei Num dia, ao fim da