Author Archives: clara castilho

“COISAS DO DIABO E ESTÓRIAS DO ARCO DA VELHA” DE JOSÉ D’OLIVEIRA GOMES

O livro “Coisas do Diabo e Estórias do Arco da Velha”,  apresenta-se de José d’Oliveira Gomes, um dos pseudónimos de Pedro Malaquias, conhecido pelas letras produzidas para artistas como Radio Macau ou Paulo Gonzo, bem como pelo seu trabalho como

“COISAS DO DIABO E ESTÓRIAS DO ARCO DA VELHA” DE JOSÉ D’OLIVEIRA GOMES

O livro “Coisas do Diabo e Estórias do Arco da Velha”,  apresenta-se de José d’Oliveira Gomes, um dos pseudónimos de Pedro Malaquias, conhecido pelas letras produzidas para artistas como Radio Macau ou Paulo Gonzo, bem como pelo seu trabalho como

CARTA DE BRAGA – “somos nós” por António Oliveira

  Um ‘rapaz’ bem conhecido em todo o mundo, não só no das redes sociais, mas também no do espectáculo nos ecrãs maiores disse, a terminar o ano, ‘antes de se programar um drama ou mesmo uma comédia sobre bolsonaro,

CARTA DE BRAGA – “somos nós” por António Oliveira

  Um ‘rapaz’ bem conhecido em todo o mundo, não só no das redes sociais, mas também no do espectáculo nos ecrãs maiores disse, a terminar o ano, ‘antes de se programar um drama ou mesmo uma comédia sobre bolsonaro,

NA CINEMATECA, CICLO “ O CENTENÁRIO DE FEDERICO FELLINI”, DIA 20/1, 19 H

  No dia 20 de janeiro de 2020 decorrem 100 anos sobre o nascimento de Federico Fellini em Rimini. A efeméride será o pretexto para uma multiplicidade de eventos em Itália e por todo o mundo que, a partir deste

NA CINEMATECA, CICLO “ O CENTENÁRIO DE FEDERICO FELLINI”, DIA 20/1, 19 H

  No dia 20 de janeiro de 2020 decorrem 100 anos sobre o nascimento de Federico Fellini em Rimini. A efeméride será o pretexto para uma multiplicidade de eventos em Itália e por todo o mundo que, a partir deste

CENTENÁRIO DE BERNARDO SANTARENO, DIA 18/1 NA FUNDAÇÃO GULBENKIAN

Iniciam-se, com o Colóquio “É no Homem, nas suas urgentes e sangrentas ansiedades, que está a raíz da atual criação dramática” as comemorações do centenário de nascimento do escritor Bernardo Santareno, considerado por alguma crítica como “o maior Dramaturgo português

CENTENÁRIO DE BERNARDO SANTARENO, DIA 18/1 NA FUNDAÇÃO GULBENKIAN

Iniciam-se, com o Colóquio “É no Homem, nas suas urgentes e sangrentas ansiedades, que está a raíz da atual criação dramática” as comemorações do centenário de nascimento do escritor Bernardo Santareno, considerado por alguma crítica como “o maior Dramaturgo português

CARTA DE BRAGA – “mariposas e democracia” por António Oliveira

Achei um nome delicioso para aquele leitor de textos só em suporte virtual ou electrónico. Diz o comentador que tal leitor – ‘o leitor mariposa’ – se comporta em geral, como o cavalo numa partida de xadrez: salta de site em site, pondo de

CARTA DE BRAGA – “mariposas e democracia” por António Oliveira

Achei um nome delicioso para aquele leitor de textos só em suporte virtual ou electrónico. Diz o comentador que tal leitor – ‘o leitor mariposa’ – se comporta em geral, como o cavalo numa partida de xadrez: salta de site em site, pondo de

CARTA DE BRAGA – “dos refugiados e da beleza” por António Oliveira

Jared Diamond é membro da Academia de Artes e Ciências dos EUA, biogeógrafo e prémio Pulitzer e, um dia do passado Dezembro, afirmou a um jornal daqui ao lado ‘Em breve os EUA deixarão de ser uma democracia. Dói-me e é

CARTA DE BRAGA – “dos refugiados e da beleza” por António Oliveira

Jared Diamond é membro da Academia de Artes e Ciências dos EUA, biogeógrafo e prémio Pulitzer e, um dia do passado Dezembro, afirmou a um jornal daqui ao lado ‘Em breve os EUA deixarão de ser uma democracia. Dói-me e é

CARTA DE BRAGA – “o poder e a multidão” por António Oliveira

‘O poder não muda as pessoas! Só revela quem realmente são!’ A afirmação pertence ao antigo presidente uruguaio José ‘Pepe’ Mujica e também revela a grandeza de um homem que sempre viveu humildemente, ainda mantendo o ‘carocha’ que já tinha

CARTA DE BRAGA – “o poder e a multidão” por António Oliveira

‘O poder não muda as pessoas! Só revela quem realmente são!’ A afirmação pertence ao antigo presidente uruguaio José ‘Pepe’ Mujica e também revela a grandeza de um homem que sempre viveu humildemente, ainda mantendo o ‘carocha’ que já tinha

CARTA DE BRAGA – “os ‘grandes’ textos nem sempre são grandes notícias!” por António Oliveira

Os que se seguem foram recolhidos num órgão de informação, um dia após uma cerimónia muito seguida e transcrevo-os da mesma maneira que os li, nem lhes mudei o lettering. «”Esta é uma condecoração pensada para a projecção de Portugal no

CARTA DE BRAGA – “os ‘grandes’ textos nem sempre são grandes notícias!” por António Oliveira

Os que se seguem foram recolhidos num órgão de informação, um dia após uma cerimónia muito seguida e transcrevo-os da mesma maneira que os li, nem lhes mudei o lettering. «”Esta é uma condecoração pensada para a projecção de Portugal no

CARTA DE BRAGA – “o que diria hoje Aristóteles?” por António Oliveira

‘Na década passada, o ciclo informativo era de 24 horas, mas foi substituído pelo de 24 minutos. Agora já estamos nos 24 segundos. Este encolhimento dos tempos de enunciação só favorece o enfrentamento. O que se pode dizer quando só

CARTA DE BRAGA – “o que diria hoje Aristóteles?” por António Oliveira

‘Na década passada, o ciclo informativo era de 24 horas, mas foi substituído pelo de 24 minutos. Agora já estamos nos 24 segundos. Este encolhimento dos tempos de enunciação só favorece o enfrentamento. O que se pode dizer quando só

CARTA DE BRAGA – “da invenção e da visão” por António Oliveira

A Carta de hoje é para os ‘jovens’ com a minha idade, um pouco mais, um pouco menos, só por ter ouvido dizer alguém com ar solene, ‘A vida é uma doença degenerativa irreversível’. Sinceramente confesso que ainda a não

CARTA DE BRAGA – “da invenção e da visão” por António Oliveira

A Carta de hoje é para os ‘jovens’ com a minha idade, um pouco mais, um pouco menos, só por ter ouvido dizer alguém com ar solene, ‘A vida é uma doença degenerativa irreversível’. Sinceramente confesso que ainda a não

CARTA DE BRAGA – “sandálias de pneu” por António Oliveira

Magina era um homem velho, bem velho! Notava-se pela carapinha quase toda branca. O gerente nunca o quis mandar embora por ele ser uma pessoa sabedora, um belíssimo contador de estórias e também por já não ter ninguém no povo

CARTA DE BRAGA – “sandálias de pneu” por António Oliveira

Magina era um homem velho, bem velho! Notava-se pela carapinha quase toda branca. O gerente nunca o quis mandar embora por ele ser uma pessoa sabedora, um belíssimo contador de estórias e também por já não ter ninguém no povo

CARTA DE BRAGA – “da cimeira e outros fracassos” por António Oliveira

Se tentarmos fazer um resumo do que foi o falhanço da Cimeira do Clima em Madrid, pegando apenas nos títulos dos jornais desta Europa, chegaremos à conclusão de que o futuro não passa de uma tenebrosa e desesperançada mudança de

CARTA DE BRAGA – “da cimeira e outros fracassos” por António Oliveira

Se tentarmos fazer um resumo do que foi o falhanço da Cimeira do Clima em Madrid, pegando apenas nos títulos dos jornais desta Europa, chegaremos à conclusão de que o futuro não passa de uma tenebrosa e desesperançada mudança de

CARTA DE BRAGA – “do rigor nas palavras e na linguagem” por António Oliveira

‘As línguas não fizeram mal a ninguém. Quem fez o mal foram os animais que têm atrás!’ Esta frase, esta dureza crua e límpida, pertence a Joan Margarit, o poeta laureado em 2019 com o Prémio Cervantes e o Prémio

CARTA DE BRAGA – “do rigor nas palavras e na linguagem” por António Oliveira

‘As línguas não fizeram mal a ninguém. Quem fez o mal foram os animais que têm atrás!’ Esta frase, esta dureza crua e límpida, pertence a Joan Margarit, o poeta laureado em 2019 com o Prémio Cervantes e o Prémio

CARTA DE BRAGA – “dos tempos e dos deveres” por António Oliveira

O ‘velhinho’ Bertrand Russel, que nunca entrou em telenovela nem jogou futebol, costumava dizer, apoiado pela sua imensa sabedoria, ‘os cientistas esforçam-se por fazer possível o impossível. Os políticos por fazer o possível impossível’. E, a seguir, tinha o cuidado

CARTA DE BRAGA – “dos tempos e dos deveres” por António Oliveira

O ‘velhinho’ Bertrand Russel, que nunca entrou em telenovela nem jogou futebol, costumava dizer, apoiado pela sua imensa sabedoria, ‘os cientistas esforçam-se por fazer possível o impossível. Os políticos por fazer o possível impossível’. E, a seguir, tinha o cuidado

CARTA DE BRAGA – “Entreguem o sr. trump ao TPI” por António Oliveira

Tem direito ao ‘sr’ porque estou bem-disposto, por não me apetecer dizer asneiras nem repetir algum dos muitos nomes que já lhe chamaram. Os jornais do passado dia 14 do mês passado, principalmente lá de fora, adiantavam ‘a crise climática prejudicará

CARTA DE BRAGA – “Entreguem o sr. trump ao TPI” por António Oliveira

Tem direito ao ‘sr’ porque estou bem-disposto, por não me apetecer dizer asneiras nem repetir algum dos muitos nomes que já lhe chamaram. Os jornais do passado dia 14 do mês passado, principalmente lá de fora, adiantavam ‘a crise climática prejudicará