Category Archives: Ciências Sociais.

A GALIZA COMO TAREFA – periferias periféricas- Ernesto V. Souza

A visão geral que da Península Ibérica é transmitida no ensaio europeu dos séculos XIX e XX é a da periferia. O tema, qualquer que se gize no género ensaio, é irrelevante, mas a noção da distância e lonjura a

A GALIZA COMO TAREFA – periferias periféricas- Ernesto V. Souza

A visão geral que da Península Ibérica é transmitida no ensaio europeu dos séculos XIX e XX é a da periferia. O tema, qualquer que se gize no género ensaio, é irrelevante, mas a noção da distância e lonjura a

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – CONVERSA: O QUE TE DIZ A GUERRA DE ESPANHA? / OFICINA: COMO FAZER UMA REVOLUÇÃO? – LEITURA: A PALETA E O MUNDO – CINEMA: ILHA DAS FLORES + OS FUZIS

CONVERSA: O QUE TE DIZ A GUERRA DE ESPANHA? Sábado, 18 de Março, 16h A Guerra de Espanha marcou a história do século XX como um dos exemplos maiores da luta contra o fascismo e da solidariedade internacionalista. Portugal esteve

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – CONVERSA: O QUE TE DIZ A GUERRA DE ESPANHA? / OFICINA: COMO FAZER UMA REVOLUÇÃO? – LEITURA: A PALETA E O MUNDO – CINEMA: ILHA DAS FLORES + OS FUZIS

CONVERSA: O QUE TE DIZ A GUERRA DE ESPANHA? Sábado, 18 de Março, 16h A Guerra de Espanha marcou a história do século XX como um dos exemplos maiores da luta contra o fascismo e da solidariedade internacionalista. Portugal esteve

EDITORIAL – A Arte de Furtar

O Padre António Vieira, talvez o mais destacado ícone da literatura seiscentista portuguesa – Fernando Pessoa considerou-o como o «imperador da língua portuguesa», um lisboeta que os historiadores da Literatura Brasileira reivindicam como baiano – desmontou na sua obra, com

EDITORIAL – A Arte de Furtar

O Padre António Vieira, talvez o mais destacado ícone da literatura seiscentista portuguesa – Fernando Pessoa considerou-o como o «imperador da língua portuguesa», um lisboeta que os historiadores da Literatura Brasileira reivindicam como baiano – desmontou na sua obra, com

A IDEIA – textos e escolhas de António Cândido Franco – AS PRISÕES EM PORTUGAL NO SÉCULO XIX – por António Pedro Dores

– PRISÃO COMO ESPONJA MÁGICA Tal como os médicos tradicionais arranjam umas esponjas que retiram dos doentes os males de que padecem, inflando as primeiras para transportar para longe os segundos, assim as prisões criam o mundo do crime para

A IDEIA – textos e escolhas de António Cândido Franco – AS PRISÕES EM PORTUGAL NO SÉCULO XIX – por António Pedro Dores

– PRISÃO COMO ESPONJA MÁGICA Tal como os médicos tradicionais arranjam umas esponjas que retiram dos doentes os males de que padecem, inflando as primeiras para transportar para longe os segundos, assim as prisões criam o mundo do crime para

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – CONVERSA: BALDIOS, NAS MÃOS DE TODOS? – OFICINA: RODA DE DESENHO – LEITURA: A PALETA E O MUNDO – CINEMA: MI HERMANO FIDEL + MEMÓRIAS DO SUBDESENVOLVIMENTO

CONVERSA: BALDIOS, NAS MÃOS DE TODOS? Sábado, 4 de Março, 16h Nas comunidades rurais, «baldios» são terrenos que circundam as aldeias e pertencem a quem habita o lugar a cada momento. São territórios que se habitam e trabalham em conjunto,

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – CONVERSA: BALDIOS, NAS MÃOS DE TODOS? – OFICINA: RODA DE DESENHO – LEITURA: A PALETA E O MUNDO – CINEMA: MI HERMANO FIDEL + MEMÓRIAS DO SUBDESENVOLVIMENTO

CONVERSA: BALDIOS, NAS MÃOS DE TODOS? Sábado, 4 de Março, 16h Nas comunidades rurais, «baldios» são terrenos que circundam as aldeias e pertencem a quem habita o lugar a cada momento. São territórios que se habitam e trabalham em conjunto,