Author Archives: José Fernando Magalhães

About José Fernando Magalhães

Escrevo e fotografo pelo imenso prazer que daí tiro

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (130)

SE EU NÃO EXISTISSE     Não me importa morrer, Fisicamente, Morrer, Não faz mal, É assim, é natural, O que me chateia, claramente, É deixar de viver, Facto que é para mim, vital, E, como é evidente, Um assunto

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (130)

SE EU NÃO EXISTISSE     Não me importa morrer, Fisicamente, Morrer, Não faz mal, É assim, é natural, O que me chateia, claramente, É deixar de viver, Facto que é para mim, vital, E, como é evidente, Um assunto

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (254)

O PORTO EM IMAGENS (67)           . . .    

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (254)

O PORTO EM IMAGENS (67)           . . .    

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (253)

O PORTO EM IMAGENS (66)   Como exercício, e ajuda a quem não sabe, quem nos quer dizer onde fica cada um destes sítios?                           Obrigado . .

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (253)

O PORTO EM IMAGENS (66)   Como exercício, e ajuda a quem não sabe, quem nos quer dizer onde fica cada um destes sítios?                           Obrigado . .

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (129)

OU NOUTRO QUALQUER LUGAR     Falando do tempo E da minha desejada eternidade Escrevo do dia que há-de vir Recomeçando o movimento Da escrita das palavras Mostrando o resíduo da dor Como se tivesse a certeza De que amanhã,

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (129)

OU NOUTRO QUALQUER LUGAR     Falando do tempo E da minha desejada eternidade Escrevo do dia que há-de vir Recomeçando o movimento Da escrita das palavras Mostrando o resíduo da dor Como se tivesse a certeza De que amanhã,

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (252)

TÁXIS PARADOS   Aqui na cidade, a exemplo de mais duas outras no País, os profissionais da indústria dos táxis, pararam. Juntaram-se aos magotes na Avenidas dos Aliados, vindos do Castelo do Queijo e de Campanhã, esperaram pelas resoluções governativas

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (252)

TÁXIS PARADOS   Aqui na cidade, a exemplo de mais duas outras no País, os profissionais da indústria dos táxis, pararam. Juntaram-se aos magotes na Avenidas dos Aliados, vindos do Castelo do Queijo e de Campanhã, esperaram pelas resoluções governativas

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (251)

A RIBEIRA DE GAIA   A Ribeira de Gaia tem no seu Cais uma área turística composta por esplanadas, restaurantes e bares. Está localizada na margem esquerda do rio Douro, em Vila Nova de Gaia, em frente à zona histórica

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (251)

A RIBEIRA DE GAIA   A Ribeira de Gaia tem no seu Cais uma área turística composta por esplanadas, restaurantes e bares. Está localizada na margem esquerda do rio Douro, em Vila Nova de Gaia, em frente à zona histórica

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (128)

HOJE PRECISEI DE TI  Hoje precisei de tiDe madrugada,Era para ser só hoje.Na penumbraDa sala gelada,Vi uma sombra de tiUm sorriso qualquerUma palavra qualquerMesmo sem a tua presença.Precisei encontrar-teEm qualquer lado,E chorei lágrimas de tiNum orgasmo atempado.Era para ser só

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (128)

HOJE PRECISEI DE TI  Hoje precisei de tiDe madrugada,Era para ser só hoje.Na penumbraDa sala gelada,Vi uma sombra de tiUm sorriso qualquerUma palavra qualquerMesmo sem a tua presença.Precisei encontrar-teEm qualquer lado,E chorei lágrimas de tiNum orgasmo atempado.Era para ser só

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (250)

O PORTO EM IMAGENS (65)                   Consegue identificar os locais?   ++++ NÃO SE ESQUEÇA, COMPAREÇA!     . . . . . .   . . “O Porto não pode viver

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (250)

O PORTO EM IMAGENS (65)                   Consegue identificar os locais?   ++++ NÃO SE ESQUEÇA, COMPAREÇA!     . . . . . .   . . “O Porto não pode viver

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (249)

SÃO PEDRO DE RATES (de novo) Como disse na crónica nº 218, de 25 de Janeiro p.p., “De vez em quando acontece, saímos do Porto!” E assim foi, mais uma vez, regressando a Rates.       Respondendo ao desafio

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (249)

SÃO PEDRO DE RATES (de novo) Como disse na crónica nº 218, de 25 de Janeiro p.p., “De vez em quando acontece, saímos do Porto!” E assim foi, mais uma vez, regressando a Rates.       Respondendo ao desafio

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (127)

  O MAR DA FOZ     Ondas enormes batem no farol. Sentado na esplanada Do castelo da Foz Olho o mar Por entre camadas de sol E de nuvens de água feita em nada. Ouço das ondas a voz

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (127)

  O MAR DA FOZ     Ondas enormes batem no farol. Sentado na esplanada Do castelo da Foz Olho o mar Por entre camadas de sol E de nuvens de água feita em nada. Ouço das ondas a voz

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (248)

  O PORTO EM IMAGENS (64)               . . IMAGENS DA CIDADE MAIS LINDA DO MUNDO . .

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (248)

  O PORTO EM IMAGENS (64)               . . IMAGENS DA CIDADE MAIS LINDA DO MUNDO . .

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (247)

O PORTO EM IMAGENS (63)                   . . São Bartolomeu  Cortejo do Traje de Papel é já neste Domingo   VEJA A EXPOSIÇÃO DE TRAJES DE PAPEL DE CORTEJOS DE ANOS ANTERIORES

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (247)

O PORTO EM IMAGENS (63)                   . . São Bartolomeu  Cortejo do Traje de Papel é já neste Domingo   VEJA A EXPOSIÇÃO DE TRAJES DE PAPEL DE CORTEJOS DE ANOS ANTERIORES

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (126)

  QUE FALTA ME FAZ O TEU REGAÇO     Que falta me faz o teu regaço   Tem dias em que abafo Preso nestas paredes De pedra  Dias compridos onde Deambulo entre palavras   O meu pensamento arde Por

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (126)

  QUE FALTA ME FAZ O TEU REGAÇO     Que falta me faz o teu regaço   Tem dias em que abafo Preso nestas paredes De pedra  Dias compridos onde Deambulo entre palavras   O meu pensamento arde Por

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (246)

O PORTO EM IMAGENS (62)                    

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (246)

O PORTO EM IMAGENS (62)                    

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (245)

  UM PORTUENSE DESCONHECIDO   FRANCISCO DA SILVA GOUVEIA (Um Tripeiro de S. Nicolau) 1872 – 1951     A poucos dias de mais um aniversário do seu nascimento, venho falar-lhes de um ilustre desconhecido. Francisco da Silva Gouveia nasceu

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (245)

  UM PORTUENSE DESCONHECIDO   FRANCISCO DA SILVA GOUVEIA (Um Tripeiro de S. Nicolau) 1872 – 1951     A poucos dias de mais um aniversário do seu nascimento, venho falar-lhes de um ilustre desconhecido. Francisco da Silva Gouveia nasceu