Author Archives: José Fernando Magalhães

About José Fernando Magalhães

Escrevo e fotografo pelo imenso prazer que daí tiro

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (243)

  ASSIM! Nós não éramos assim Nós não somos assim Assim, não vamos lá Estamos a aceitar tudo o que nos colocam à disposição. Estamos, dia-a-dia a perder a nossa identidade, e os nossos valores estão tão esquecidos que parece

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (243)

  ASSIM! Nós não éramos assim Nós não somos assim Assim, não vamos lá Estamos a aceitar tudo o que nos colocam à disposição. Estamos, dia-a-dia a perder a nossa identidade, e os nossos valores estão tão esquecidos que parece

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (124)

      ERA QUASE NADA     Quase com cuidado Muito ao de leve O silêncio foi quebrado. Era quase nada! Como se fora Do cair da neve O rumor que se adivinhava. Ou talvez da leve brisa De

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (124)

      ERA QUASE NADA     Quase com cuidado Muito ao de leve O silêncio foi quebrado. Era quase nada! Como se fora Do cair da neve O rumor que se adivinhava. Ou talvez da leve brisa De

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (242)

LIDES DE GAIA No passado dia 6 lá estivemos no Mosteiro de Grijó. Sentados nas bancadas improvisadas, com o conforto possível, assistimos a um espectáculo, excelentemente montado, sobre a história de D. Rodrigo Sanches. Vimo-nos no início da nossa nacionalidade,

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (242)

LIDES DE GAIA No passado dia 6 lá estivemos no Mosteiro de Grijó. Sentados nas bancadas improvisadas, com o conforto possível, assistimos a um espectáculo, excelentemente montado, sobre a história de D. Rodrigo Sanches. Vimo-nos no início da nossa nacionalidade,

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (241)

O PORTO EM IMAGENS (60)             HOJE FOI ASSIM   NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA E NO SÁBADO VAI SER DESTA FORMA     E NA PRÓXIMA SEMANA, DESTA MANEIRA   . . . “Portugal é um

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (241)

O PORTO EM IMAGENS (60)             HOJE FOI ASSIM   NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA E NO SÁBADO VAI SER DESTA FORMA     E NA PRÓXIMA SEMANA, DESTA MANEIRA   . . . “Portugal é um

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (123)

“MINHA MISS P”   Continuo apaixonado Pelas coisas, Pela vida, Pela verdade E por ti Essencialmente por ti E o meu amor arderá Até que o mundo acabe.   As lembranças que tenho De nós os dois, As palavras em

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (123)

“MINHA MISS P”   Continuo apaixonado Pelas coisas, Pela vida, Pela verdade E por ti Essencialmente por ti E o meu amor arderá Até que o mundo acabe.   As lembranças que tenho De nós os dois, As palavras em

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (240)

UM PASSEIO FORA DE PORTAS   VISITA AO TOM D´ELLA   Às vezes faço isso. Meto-me a caminho, umas vezes só, outras com companhia, e vou re-conhecer outros lugares. Desta vez fui, acompanhado, re-visitar uma das regiões da minha predilecção.

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (240)

UM PASSEIO FORA DE PORTAS   VISITA AO TOM D´ELLA   Às vezes faço isso. Meto-me a caminho, umas vezes só, outras com companhia, e vou re-conhecer outros lugares. Desta vez fui, acompanhado, re-visitar uma das regiões da minha predilecção.

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (239)

O PORTO EM IMAGENS (59)   GENTES E LUGARES                   . . . CHEGOU O VERÃO ÀS 11H07! VERÃO QUE AINDA NOS VAI TRAZER CALOR! (Se correr bem) O Solstício de Verão

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (239)

O PORTO EM IMAGENS (59)   GENTES E LUGARES                   . . . CHEGOU O VERÃO ÀS 11H07! VERÃO QUE AINDA NOS VAI TRAZER CALOR! (Se correr bem) O Solstício de Verão

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (122)

SOU MAIS EU     Sou mais eu Quando me encontro sozinho Com os meus pensamentos. Sinto que sou mais meu E olho-me devagarinho Em cada um desses momentos. Só depois me torno teu Muito, muito teu, só teu E

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (122)

SOU MAIS EU     Sou mais eu Quando me encontro sozinho Com os meus pensamentos. Sinto que sou mais meu E olho-me devagarinho Em cada um desses momentos. Só depois me torno teu Muito, muito teu, só teu E

UMA CARTA DO PORTO – por José Magalhães (238)

2º ENCONTRO NACIONAL DE LITERATURISMO Nos passados dias 8 e 9 de Junho, realizou-se na Foz do Douro o 2º Encontro Nacional de Literaturismo, que, como da 1ª vez, teve o Comissariado do Dr. José Valle de Figueiredo. Tal como

UMA CARTA DO PORTO – por José Magalhães (238)

2º ENCONTRO NACIONAL DE LITERATURISMO Nos passados dias 8 e 9 de Junho, realizou-se na Foz do Douro o 2º Encontro Nacional de Literaturismo, que, como da 1ª vez, teve o Comissariado do Dr. José Valle de Figueiredo. Tal como

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (237)

  O PORTO EM IMAGENS (58)                       AMANHÃ, 8 DE JUNHO E SÁBADO 9, 2º ENCONTRO NACIONAL DE LITERATURISMO NÃO DEIXE DE COMPARECER! TAMBÉM AMANHÃ, JANTAR LITERÁRIO NA “TASCA DO

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (237)

  O PORTO EM IMAGENS (58)                       AMANHÃ, 8 DE JUNHO E SÁBADO 9, 2º ENCONTRO NACIONAL DE LITERATURISMO NÃO DEIXE DE COMPARECER! TAMBÉM AMANHÃ, JANTAR LITERÁRIO NA “TASCA DO

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (121)

  OU O QUE QUER QUE SEJA     Tenho Atravessado na garganta O desejo melodioso da flauta O sereno silêncio do assobio E o sabor gracioso de uma cereja. . Tenho-te a ti, rosa branca Água da manhã, bebida

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (121)

  OU O QUE QUER QUE SEJA     Tenho Atravessado na garganta O desejo melodioso da flauta O sereno silêncio do assobio E o sabor gracioso de uma cereja. . Tenho-te a ti, rosa branca Água da manhã, bebida

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (236)

  O PORTO EM IMAGENS (57)                   2º ENCONTRO NACIONAL DE LITERATURISMO   No dia 8 de Junho há mais um dos habituais jantares literários: “Camilo, Raul Brandão e Aquilino Ribeiro vêm

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (236)

  O PORTO EM IMAGENS (57)                   2º ENCONTRO NACIONAL DE LITERATURISMO   No dia 8 de Junho há mais um dos habituais jantares literários: “Camilo, Raul Brandão e Aquilino Ribeiro vêm

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (235)

ONTEM, NO CASTELO DA FOZ, no âmbito de mais uma Foz Literária, comissariada como habitualmente por José Valle de Figueiredo, aconteceu: ANTÓNIO CUNHA E SILVA, FRANCISCO MESQUITA GUIMARÃES E JOSÉ FERNANDO MAGALHÃES,  falaram, respectivamente, da Barca Bahiana, das casas de

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (235)

ONTEM, NO CASTELO DA FOZ, no âmbito de mais uma Foz Literária, comissariada como habitualmente por José Valle de Figueiredo, aconteceu: ANTÓNIO CUNHA E SILVA, FRANCISCO MESQUITA GUIMARÃES E JOSÉ FERNANDO MAGALHÃES,  falaram, respectivamente, da Barca Bahiana, das casas de

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (234)

O PORTO EM IMAGENS (56)                                 . .   . CAMPANHÃ Parque Oriental recebeu encontro de 11500 alunos       Pedro Matos Chaves e

UMA CARTA DO PORTO – Por José Magalhães (234)

O PORTO EM IMAGENS (56)                                 . .   . CAMPANHÃ Parque Oriental recebeu encontro de 11500 alunos       Pedro Matos Chaves e

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (120)

MILHARES DE PÉTALAS A ABRIR     No alto deste morro Olhando o sol surgir Escuto atentamente o silêncio . São tão calmos Os breves momentos Da natureza a sorrir . A brisa não se ouve Nem o ralo Nem

IMAGEM E POESIA – Por José Magalhães (120)

MILHARES DE PÉTALAS A ABRIR     No alto deste morro Olhando o sol surgir Escuto atentamente o silêncio . São tão calmos Os breves momentos Da natureza a sorrir . A brisa não se ouve Nem o ralo Nem