Category Archives: Política

A crítica demolidora de Michael Pettis à teoria e à política económica neoliberal – 1. A China e a História dos modelos de crescimento dos Estados Unidos (3ª parte-conclusão). Por Michael Pettis

Seleção e tradução por Júlio Marques Mota 1. A China e a História dos modelos de crescimento dos Estados Unidos (3ª parte-conclusão). Por Michael Pettis  Editado por Yves Smith em 15 de fevereiro de 2013 em https://www.nakedcapitalism.com/2013/02/pettis-china-and-the-history-of-us-growth-models.html (publicado de MacroBusiness)

A crítica demolidora de Michael Pettis à teoria e à política económica neoliberal – 1. A China e a História dos modelos de crescimento dos Estados Unidos (3ª parte-conclusão). Por Michael Pettis

Seleção e tradução por Júlio Marques Mota 1. A China e a História dos modelos de crescimento dos Estados Unidos (3ª parte-conclusão). Por Michael Pettis  Editado por Yves Smith em 15 de fevereiro de 2013 em https://www.nakedcapitalism.com/2013/02/pettis-china-and-the-history-of-us-growth-models.html (publicado de MacroBusiness)

A crítica demolidora de Michael Pettis à teoria e à política económica neoliberal – 1. A China e a História dos modelos de crescimento dos Estados Unidos (2ª parte) Por Michael Pettis

1. A China e a História dos modelos de crescimento dos Estados Unidos (2ª parte). Por Michael Pettis  Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Editado por Yves Smith em 15 de fevereiro de 2013 em https://www.nakedcapitalism.com/2013/02/pettis-china-and-the-history-of-us-growth-models.html (publicado de MacroBusiness)

A crítica demolidora de Michael Pettis à teoria e à política económica neoliberal – 1. A China e a História dos modelos de crescimento dos Estados Unidos (2ª parte) Por Michael Pettis

1. A China e a História dos modelos de crescimento dos Estados Unidos (2ª parte). Por Michael Pettis  Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Editado por Yves Smith em 15 de fevereiro de 2013 em https://www.nakedcapitalism.com/2013/02/pettis-china-and-the-history-of-us-growth-models.html (publicado de MacroBusiness)

DIÁSPORA. LA SOCIEDAD OBRERA “ADELANTE”, por Moisés Cayetano Rosado.

  Los trabajos históricos locales tienen muchas veces el defecto de lo anecdótico y particularista, por lo que se suelen tomar con prevención. Pero cuando vienen de la mano de autores de la reconocida solvencia de Antonio D. López Rodríguez,

DIÁSPORA. LA SOCIEDAD OBRERA “ADELANTE”, por Moisés Cayetano Rosado.

  Los trabajos históricos locales tienen muchas veces el defecto de lo anecdótico y particularista, por lo que se suelen tomar con prevención. Pero cuando vienen de la mano de autores de la reconocida solvencia de Antonio D. López Rodríguez,

A crítica demolidora de Michael Pettis à teoria e à política económica neoliberal – 1. A China e a História dos modelos de crescimento dos Estados Unidos (1ª parte). Por Michael Pettis

1. A China e a História dos modelos de crescimento dos Estados Unidos (1ª parte). Por Michael Pettis  Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Editado por Yves Smith em 15 de fevereiro de 2013 em https://www.nakedcapitalism.com/2013/02/pettis-china-and-the-history-of-us-growth-models.html (publicado de MacroBusiness)

A crítica demolidora de Michael Pettis à teoria e à política económica neoliberal – 1. A China e a História dos modelos de crescimento dos Estados Unidos (1ª parte). Por Michael Pettis

1. A China e a História dos modelos de crescimento dos Estados Unidos (1ª parte). Por Michael Pettis  Seleção e tradução por Júlio Marques Mota Editado por Yves Smith em 15 de fevereiro de 2013 em https://www.nakedcapitalism.com/2013/02/pettis-china-and-the-history-of-us-growth-models.html (publicado de MacroBusiness)

PORTUGAL E A DEMOCRACIA, por ANTÓNIO GOMES MARQUES

  Fui surpreendido por uma notícia do jornal Público do passado dia 11 de Setembro, com o título «Portugal está em 10.º lugar no ranking das democracias mundiais», à qual reagi de imediato com uma gargalhada; depois, sem demora, pensei:

PORTUGAL E A DEMOCRACIA, por ANTÓNIO GOMES MARQUES

  Fui surpreendido por uma notícia do jornal Público do passado dia 11 de Setembro, com o título «Portugal está em 10.º lugar no ranking das democracias mundiais», à qual reagi de imediato com uma gargalhada; depois, sem demora, pensei:

De setembro de 2008 a setembro de 2018, uma década perdida, uma década que se quer esquecida – Narrativas sobre a incapacidade, a recusa e a desonestidade intelectual dos nossos dirigentes face aos mecanismos que levaram à crise – 1. A narrativa delirante da União Europeia sobre a crise.

10 anos passaram desde o rebentamento da crise, mesmo que o ponto de referência seja setembro de 2007 quando o BNP Paribas fechou três dos seus fundos de investimento nos Estados Unidos. Um ano depois o Lehman Brothers era declarado

De setembro de 2008 a setembro de 2018, uma década perdida, uma década que se quer esquecida – Narrativas sobre a incapacidade, a recusa e a desonestidade intelectual dos nossos dirigentes face aos mecanismos que levaram à crise – 1. A narrativa delirante da União Europeia sobre a crise.

10 anos passaram desde o rebentamento da crise, mesmo que o ponto de referência seja setembro de 2007 quando o BNP Paribas fechou três dos seus fundos de investimento nos Estados Unidos. Um ano depois o Lehman Brothers era declarado

Da crise atual à próxima crise, sinais de alarme – Leituras em torno de Chemnitz (VI) – A extrema direita alemã nunca desapareceu, mas inflamou-se no seu bastião do leste.  Por James Hawes

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Leituras em torno de Chemnitz (VI) A extrema direita alemã nunca desapareceu, mas inflamou-se no seu bastião do leste  Por James Hawes Publicado por , em 2 de setembro de 2018   A violência

Da crise atual à próxima crise, sinais de alarme – Leituras em torno de Chemnitz (VI) – A extrema direita alemã nunca desapareceu, mas inflamou-se no seu bastião do leste.  Por James Hawes

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Leituras em torno de Chemnitz (VI) A extrema direita alemã nunca desapareceu, mas inflamou-se no seu bastião do leste  Por James Hawes Publicado por , em 2 de setembro de 2018   A violência

Da crise atual à próxima crise, sinais de alarme – Leituras em torno de Chemnitz (V) – Para determinados adversários da AFD, a identidade significa Hitler. Por Alain Finkielkraut

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Leituras em torno de Chemnitz (V) Para determinados adversários da AFD, a identidade significa Hitler  Por Alain Finkielkraut Publicado por  em 16 de novembro de 2017   “Wir Schaffen das!”, “nós vamos conseguir!”, martelava Angela Merkel,

Da crise atual à próxima crise, sinais de alarme – Leituras em torno de Chemnitz (V) – Para determinados adversários da AFD, a identidade significa Hitler. Por Alain Finkielkraut

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Leituras em torno de Chemnitz (V) Para determinados adversários da AFD, a identidade significa Hitler  Por Alain Finkielkraut Publicado por  em 16 de novembro de 2017   “Wir Schaffen das!”, “nós vamos conseguir!”, martelava Angela Merkel,