Category Archives: Psicologia

A pandemia é um portal. Por Arundhati Roy

Seleção e tradução de Francisco Tavares A pandemia é um portal Nada podia ser pior que um regresso à normalidade  Por Arundhati Roy Publicado por  em 03/04/2020 (‘The pandemic is a portal’, ver aqui)     A escritora fala sobre

O IMPACTO DA RECESSÃO OU MESMO DA DEPRESSÃO PROLONGADA DA ECONOMIA, CAUSADA PELO “CORONAVÍRUS” QUE A PARALISOU, VAI SER DESIGUAL A NÍVEL DO PAÍS, DEVIDO ÀS PROFUNDAS ASSIMETRIAS REGIONAIS EXISTENTES, E TAMBÉM PARA OS PORTUGUESES DEVIDO ÀS DESIGUALDADES SOCIAIS QUE SE AGRAVARAM APÓS A CRISE DE 2008 – por EUGÉNIO ROSA

AS PROFUNDAS ASSIMETRIAS (desigualdades) REGIONAIS QUE CONTINUAM A EXISTIR NO NOSSO PAÍS DETERMINARÃO QUE OS EFEITOS DA CRISE, EMBORA ENORMES PARA TODOS, SEJAM DESIGUAIS A NIVEL DE CADA REGIÃO E PARA CADA CLASSE SOCIAL A QUEBRA SIGNIFICATIVA DAS REMUNERAÇÕES DOS

LANÇAMENTO de “UM CAMINHO DE SABEDORIA – Como Livrar-se das Emoções Tóxicas e Viver Feliz e Saudável”, de A. J. RODRIGUES GONÇALVES – SÁBADO, 1 de FEVEREIRO, pelas 15 horas, na BIBLIOTECA MUNICIPAL de OLIVEIRA DO HOSPITAL

Para ler mais sobre o autor e a obra clique em: https://www.ancora-editora.pt/pt/autores/a-j-rodrigues-gonalves-5e2599e05db18

APRESENTAÇÃO de “DESENHO INFANTIL – ESPELHO DO MUNDO INTERNO DA CRIANÇA”, de ORLANDO FIALHO – AMANHÃ, SÁBADO, 19 de OUTUBRO, às 18.15, no HOLIDAY INN LISBON-CONTINENTAL, Rua LAURA ALVES, 9, em LISBOA

Saiba mais sobre a OBRA e sobre o  AUTOR AQUI! Edições Colibri http://www.edi-colibri.pt colibri@edi-colibri.pt

A GALIZA COMO TAREFA – reconhecimento – Ernesto V. Souza

Cando eu me consideraba o derradeiro supervivente dun pobo suicida, chegou a min a voz alentadora dun escritor. Era Antón Vilar Ponte.  A súa chamada tivo a virtude de xuntar a uns poucos galegos que non-os coñeciamos, pero que dende

A GALIZA COMO TAREFA – construções – Ernesto V. Souza

Na lógica dos documentários, e em favor da verossimilhança da narrativa, poderíamos indicar que a gente da Galiza, e com ela as suas elites intelectuais, políticas e econômicas, apresentam bastantes divergências de atuação, lógica e comportamento das demais espanholas. Mesmo

A CRIANÇA NÃO QUER A RUPTURA AFECTIVA por Luísa Lobão Moniz

O horror da aceitação da Violência contra crianças sentida pela própria! Como é possível que a criança sinta que se os pais, ou outros adultos, lhe baterem é porque querem ensinar os filhos a serem “homens”? Foi feito um estudo

A GALIZA COMO TAREFA – discordâncias – Ernesto V. Souza

Quintas, toca-me, normalmente, levar os cativos à Escola Municipal de Música. Flauta uma, saxofone outro e mais banda, ambos. Com algum tempo de espera entre aulas, isto quer dizer que tiro toda a tarde, por perto, entre passeios no parque,

A GALIZA COMO TAREFA – geografia – Ernesto V. Souza

Nos últimos anos, as escolhas da Real Academia Galega afastaram-me mais que muito de uma celebração muito querida e que me pareceu, desde que lembre, um grande acerto político e cultural, académico e popular. O Dia das Letras galegas, já

A GALIZA COMO TAREFA – não é nossa – Ernesto V. Souza

Esta é uma das mais conhecidas estampas de Castelao, depois citada, contracitada, variada, repetida em reprodução inúmeras vezes na imprensa galeguista e protagonista da Campanha Pro-estatuto de Autonomia de 1936. Levava por pé o seguinte texto: A nosa Terra non

UM NOVO OLHAR SOBRE FREUD por Clara Castilho

“Sigmund Freud na sua época e em nosso tempo” é um livro de Elisabeth Roudinesco, editado em português pela Zahar. A partir de novos arquivos abertos pela Biblioteca do Congresso em Washington, Elisabeth Roudinesco reconstitui a vida de Freud através das intensas

A GALIZA COMO TAREFA – souvenirs – Ernesto V. Souza

  Cumpre dizer, assim no início e sendo dia de Santos, para não entrar depois em equívocos lógicos: Ernest Renan – aquele conhecido historiador, polemista e escritor romântico francês, o intelectual capaz de ajustar contas com o cristianismo e de

A GALIZA COMO TAREFA – nada de dramas – Ernesto V. Souza

Apanhou-me a mudança de Governo da Espanha desenferrujando uma velha pá de jardim e mangando-a de novo com uma madeira de reciclagem topada na rua. Serras, plaina, limas e lixa. Agora está pronta, de cabo bem firme e pintadinha, transformada

MELANCOLIA por Luísa Lobão Moniz

  Há um estado de alma que não sabemos muito bem como descreve-lo. Por vezes, o corpo pára e ficamos vazios, nem sabemos bem porquê, só sabemos que desapareceu do nosso olhar, que já não se senta na mesma cadeira,

A GALIZA COMO TAREFA – oblomovismo – Ernesto V. Souza

Em 1859, Ivan Alexandrovitch Gontcharov, após uma década de escrita, publicou Oblomov, esse genial romance que figura entre os maiores clássicos da literatura e no que perfilou a legendária personagem que lhe dá nome. A história gira arredor da figura