Category Archives: Medicina/Saúde

O AGRAVAMENTO DAS DIFICULDADES DO SNS, A FALTA DE MEDIDAS NO PROGRAMA DO ATUAL GOVERNO, O AUMENTO DAS DESPESAS DAS FAMÍLIAS COM SAÚDE, E A EXPLOSÃO DO NEGÓCIO PRIVADO DE SAÚDE EM PORTUGAL À CUSTA DO SNS E DA ADSE – por EUGÉNIO ROSA – parte II

(conclusão) A INTERFERÊNCIA DO GOVERNO NA GESTÃO DA ADSE, A FALTA DE AUTONOMIA, A INCAPACIDADE PARA TOMAR DECISÕES, O PÂNTANO DA “NEGOCIAÇÃO” DAS NOVAS TABELAS PARA NÃO CRIAR “PROBLEMAS AO GOVERNO” QUE É APROVEITADO PELOS GRANDES GRUPOS PRIVADOS, E A

O AGRAVAMENTO DAS DIFICULDADES DO SNS, A FALTA DE MEDIDAS NO PROGRAMA DO ATUAL GOVERNO, O AUMENTO DAS DESPESAS DAS FAMÍLIAS COM SAÚDE, E A EXPLOSÃO DO NEGÓCIO PRIVADO DE SAÚDE EM PORTUGAL À CUSTA DO SNS E DA ADSE – por EUGÉNIO ROSA – parte II

(conclusão) A INTERFERÊNCIA DO GOVERNO NA GESTÃO DA ADSE, A FALTA DE AUTONOMIA, A INCAPACIDADE PARA TOMAR DECISÕES, O PÂNTANO DA “NEGOCIAÇÃO” DAS NOVAS TABELAS PARA NÃO CRIAR “PROBLEMAS AO GOVERNO” QUE É APROVEITADO PELOS GRANDES GRUPOS PRIVADOS, E A

O AGRAVAMENTO DAS DIFICULDADES DO SNS, A FALTA DE MEDIDAS NO PROGRAMA DO ATUAL GOVERNO, O AUMENTO DAS DESPESAS DAS FAMÍLIAS COM SAÚDE, E A EXPLOSÃO DO NEGÓCIO PRIVADO DE SAÚDE EM PORTUGAL À CUSTA DO SNS E DA ADSE – por EUGÉNIO ROSA – parte I

Gráfico 1- A despesa com saúde (pública + privada) em percentagem do PIB, em Portugal e nos países da União Europeia em 2006(PT) ou 2007 – “Health at a Glance-2010” Gráfico 2 – A despesa com saúde (pública + privada)

O AGRAVAMENTO DAS DIFICULDADES DO SNS, A FALTA DE MEDIDAS NO PROGRAMA DO ATUAL GOVERNO, O AUMENTO DAS DESPESAS DAS FAMÍLIAS COM SAÚDE, E A EXPLOSÃO DO NEGÓCIO PRIVADO DE SAÚDE EM PORTUGAL À CUSTA DO SNS E DA ADSE – por EUGÉNIO ROSA – parte I

Gráfico 1- A despesa com saúde (pública + privada) em percentagem do PIB, em Portugal e nos países da União Europeia em 2006(PT) ou 2007 – “Health at a Glance-2010” Gráfico 2 – A despesa com saúde (pública + privada)

HOJE, 14 de NOVEMBRO, É DIA MUNDIAL DA DIABETES – SESSÃO PÚBLICA sobre “DIABETES E FAMÍLIA”, nos PAÇOS DO CONCELHO, às 18 horas

No Dia Mundial da Diabetes, 14 de novembro, a APDP, em parceria com os Direitos Sociais do Município de Lisboa, organiza uma sessão pública na Sala do Arquivo dos Paços do Concelho, a partir das 18h00. O foco deste encontro

HOJE, 14 de NOVEMBRO, É DIA MUNDIAL DA DIABETES – SESSÃO PÚBLICA sobre “DIABETES E FAMÍLIA”, nos PAÇOS DO CONCELHO, às 18 horas

No Dia Mundial da Diabetes, 14 de novembro, a APDP, em parceria com os Direitos Sociais do Município de Lisboa, organiza uma sessão pública na Sala do Arquivo dos Paços do Concelho, a partir das 18h00. O foco deste encontro

COMPANHIA NACIONAL DE BAILADO – “LE CHEF D’ORCHESTRE”, de PAULO RIBEIRO – ESTREIA HOJE, QUINTA-FEIRA, 14 de NOVEMBRO, às 21 horas, no TEATRO CAMÕES

Boa tarde A Companhia Nacional de Bailado vai estrear Le Chef D’Orchestre no próximo dia 14 de novembro no Teatro Camões. Esta é uma nova criação de Paulo Ribeiro para a Companhia Nacional de Bailado, em coprodução com o Thêàtre National de Chaillot.

COMPANHIA NACIONAL DE BAILADO – “LE CHEF D’ORCHESTRE”, de PAULO RIBEIRO – ESTREIA HOJE, QUINTA-FEIRA, 14 de NOVEMBRO, às 21 horas, no TEATRO CAMÕES

Boa tarde A Companhia Nacional de Bailado vai estrear Le Chef D’Orchestre no próximo dia 14 de novembro no Teatro Camões. Esta é uma nova criação de Paulo Ribeiro para a Companhia Nacional de Bailado, em coprodução com o Thêàtre National de Chaillot.

OS 848 MILHÕES € DE PREJUÍZOS DO SNS EM 2018 DIVULGADOS PELAS TELEVISÕES E JORNAIS – entre 2017 e 2018, os gastos do SNS aumentaram 5,4% mas o governo diminuiu as transferências do Orçamento do Estado para o SNS em 0,6%. Menos dinheiro para a saúde – por EUGÉNIO ROSA

ENTRE 2017 E 2018, OS GASTOS DO SNS AUMENTARAM EM 521 MILHÕES € (+5,4%), MAS AS TRANSFERÊNCIAS DO ORÇAMENTO DO ESTADO PARA O SNS DIMINUÍRAM EM 51 MILHÕES € A PRIVATIZAÇÃO CRESCENTE DO SNS DEVIDO AO AUMENTO DE AQUISIÇÃO DE

OS 848 MILHÕES € DE PREJUÍZOS DO SNS EM 2018 DIVULGADOS PELAS TELEVISÕES E JORNAIS – entre 2017 e 2018, os gastos do SNS aumentaram 5,4% mas o governo diminuiu as transferências do Orçamento do Estado para o SNS em 0,6%. Menos dinheiro para a saúde – por EUGÉNIO ROSA

ENTRE 2017 E 2018, OS GASTOS DO SNS AUMENTARAM EM 521 MILHÕES € (+5,4%), MAS AS TRANSFERÊNCIAS DO ORÇAMENTO DO ESTADO PARA O SNS DIMINUÍRAM EM 51 MILHÕES € A PRIVATIZAÇÃO CRESCENTE DO SNS DEVIDO AO AUMENTO DE AQUISIÇÃO DE

DEAMBULAÇÕES EM TORNO DA UTILIZAÇÃO DA CANNABIS – JOHNSON & JOHNSON É A PRIMEIRA GIGANTE CONDENADA POR ALIMENTAR A EPIDEMIA DE OPIÓIDES, por ALEXANDRE MARTINS – extracto do jornal “PÚBLICO”, por JÚLIO MARQUES MOTA

COM A DEVIDA VÉNIA A ALEXANDRE MARTINS E AO “PÚBLICO” Juiz do Oklahoma condenou a empresa a pagar 572 milhões de dólares. A decisão só é válida no estado e ainda pode ser revertida, mas é a primeira vitória em

DEAMBULAÇÕES EM TORNO DA UTILIZAÇÃO DA CANNABIS – JOHNSON & JOHNSON É A PRIMEIRA GIGANTE CONDENADA POR ALIMENTAR A EPIDEMIA DE OPIÓIDES, por ALEXANDRE MARTINS – extracto do jornal “PÚBLICO”, por JÚLIO MARQUES MOTA

COM A DEVIDA VÉNIA A ALEXANDRE MARTINS E AO “PÚBLICO” Juiz do Oklahoma condenou a empresa a pagar 572 milhões de dólares. A decisão só é válida no estado e ainda pode ser revertida, mas é a primeira vitória em

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte I – Grandes planos sobre uma União Europeia em decomposição. 12º Texto: A política monetária esgotou-se

(Martin Wolf, Abril de 2019)

Porque é que as taxas de juro são tão baixas? A hipótese de “estagnação secular” ajuda a explicá-la? O que é que essas taxas de juro baixas implicam para a provável eficácia da política monetária durante outra recessão? Que outras políticas poderiam ser tentadas, seja como alternativa à política monetária ou como forma de torná-la mais eficaz? Estas são as questões mais importantes na macroeconomia. São também extremamente controversas.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte I – Grandes planos sobre uma União Europeia em decomposição. 12º Texto: A política monetária esgotou-se

(Martin Wolf, Abril de 2019)

Porque é que as taxas de juro são tão baixas? A hipótese de “estagnação secular” ajuda a explicá-la? O que é que essas taxas de juro baixas implicam para a provável eficácia da política monetária durante outra recessão? Que outras políticas poderiam ser tentadas, seja como alternativa à política monetária ou como forma de torná-la mais eficaz? Estas são as questões mais importantes na macroeconomia. São também extremamente controversas.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte I – Grandes planos sobre uma União Europeia em decomposição. 11º Texto: A União Europeia à beira da desunião…

(Guillaume Berlat, 24 de Setembro de 2018)

Hoje, mais do que ontem, podemos duvidar! A crise migratória combinada com as invetivas anti-europeias de Donald Trump revelam as insuficiências e os excessos de uma Europa em dificuldades. Uma Europa com a União em perigo, (o termo de desunião seria mais adequado) cada vez mais solta como ela é, antes de uma eventual separação do corpo, ou mesmo de um divórcio total. “Paralisada face aos perigos crescentes, a União Europeia deve deixar de ser o seu melhor inimigo[2]”. Nem todos os caminhos levam a Roma… em Roma, onde a imagem do Tratado se apaga com o passar do tempo (Gérard Bellec).

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte I – Grandes planos sobre uma União Europeia em decomposição. 11º Texto: A União Europeia à beira da desunião…

(Guillaume Berlat, 24 de Setembro de 2018)

Hoje, mais do que ontem, podemos duvidar! A crise migratória combinada com as invetivas anti-europeias de Donald Trump revelam as insuficiências e os excessos de uma Europa em dificuldades. Uma Europa com a União em perigo, (o termo de desunião seria mais adequado) cada vez mais solta como ela é, antes de uma eventual separação do corpo, ou mesmo de um divórcio total. “Paralisada face aos perigos crescentes, a União Europeia deve deixar de ser o seu melhor inimigo[2]”. Nem todos os caminhos levam a Roma… em Roma, onde a imagem do Tratado se apaga com o passar do tempo (Gérard Bellec).

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte I – Grandes planos sobre uma União Europeia em decomposição. 10º Texto: A Europa sob Merkel IV: o Balanço da Impotência – Parte C

(Wolfgang Streeck, Verão de 2018)

Não só a Itália em relação à Alemanha e à França, mas também a Alemanha e a França em relação uma à outra, retiram hoje uma força externa da  sua fraqueza interna. A arma mais poderosa de Macron é o medo alemão de que, no final do seu mandato, o seu populismo centrista possa ser ultrapassado pelo populismo da esquerda ou da direita, ou de ambas, acabando ele tão demolido como Renzi. Merkel, por seu lado, pode defender-se das exigências francesas apontando para uma nova política interna, atando as mãos e tornando as promessas alemãs anteriores irrecuperáveis.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte I – Grandes planos sobre uma União Europeia em decomposição. 10º Texto: A Europa sob Merkel IV: o Balanço da Impotência – Parte C

(Wolfgang Streeck, Verão de 2018)

Não só a Itália em relação à Alemanha e à França, mas também a Alemanha e a França em relação uma à outra, retiram hoje uma força externa da  sua fraqueza interna. A arma mais poderosa de Macron é o medo alemão de que, no final do seu mandato, o seu populismo centrista possa ser ultrapassado pelo populismo da esquerda ou da direita, ou de ambas, acabando ele tão demolido como Renzi. Merkel, por seu lado, pode defender-se das exigências francesas apontando para uma nova política interna, atando as mãos e tornando as promessas alemãs anteriores irrecuperáveis.