Author Archives: Pedro Godinho

CARTA DE LISBOA – Valha-nos São Cavaco e livre-nos da tentação- por Pedro Godinho

Os pregoeiros do modelo da democracia representativa – sem mandato imperativo – têm, agora, dificuldade em engolir do seu remédio. Os herdeiros de Burke sempre afirmaram que, uma vez eleitos, os deputados – representantes do povo – representavam, como muito bem entendiam

CARTA DE LISBOA – Valha-nos São Cavaco e livre-nos da tentação- por Pedro Godinho

Os pregoeiros do modelo da democracia representativa – sem mandato imperativo – têm, agora, dificuldade em engolir do seu remédio. Os herdeiros de Burke sempre afirmaram que, uma vez eleitos, os deputados – representantes do povo – representavam, como muito bem entendiam

CARTA DE LISBOA – Um governo islandês para Portugal – por Pedro Godinho

Hoje tomou posse o governo que se espera não dure. A troika Passos, Portas e Cavaco já fez mal que baste, às pessoas e ao país. Sem que, ao menos, passado o período do sofrimento e empobrecimento, se possa dizer

CARTA DE LISBOA – Um governo islandês para Portugal – por Pedro Godinho

Hoje tomou posse o governo que se espera não dure. A troika Passos, Portas e Cavaco já fez mal que baste, às pessoas e ao país. Sem que, ao menos, passado o período do sofrimento e empobrecimento, se possa dizer

CARTA DE LISBOA – Cavaco, o cabo-de-esquadra – por Pedro Godinho

Cavaco é um presidente de facção – tudo por si e pelos seus. Por acaso cronológico exerce num tempo de democracia (embora imperfeita) mas, intrinsecamente, por impulso e instinto, é um autoritário, filosoficamente um neo-salazarista. Pudesse e seria partidário do

CARTA DE LISBOA – Cavaco, o cabo-de-esquadra – por Pedro Godinho

Cavaco é um presidente de facção – tudo por si e pelos seus. Por acaso cronológico exerce num tempo de democracia (embora imperfeita) mas, intrinsecamente, por impulso e instinto, é um autoritário, filosoficamente um neo-salazarista. Pudesse e seria partidário do

CARTA DE LISBOA – A importância de ser Cavaco – por Pedro Godinho

  Cavaco é um sonso, o sonso da República. O político profissional há mais tempo alapado ao poder – capturado pela intriga, maquinação e algumas punhaladas – continua a fazer-se passar pelo não político, até com alguma aversão a essa coisa

CARTA DE LISBOA – A importância de ser Cavaco – por Pedro Godinho

  Cavaco é um sonso, o sonso da República. O político profissional há mais tempo alapado ao poder – capturado pela intriga, maquinação e algumas punhaladas – continua a fazer-se passar pelo não político, até com alguma aversão a essa coisa

CARTA DE LISBOA – Diumenge és l’hora – por Pedro Godinho

  Antes das eleições portuguesas de 4 de Outubro, e depois das gregas, outras eleições são relevantes, também, para Portugal. A Catalunha vota a 27 de Setembro – Diumenge és l’hora. Vota pelo direito a votar. Vota pelo direito a

CARTA DE LISBOA – Diumenge és l’hora – por Pedro Godinho

  Antes das eleições portuguesas de 4 de Outubro, e depois das gregas, outras eleições são relevantes, também, para Portugal. A Catalunha vota a 27 de Setembro – Diumenge és l’hora. Vota pelo direito a votar. Vota pelo direito a

CARTA DE LISBOA – Catalunha, onde começa e acaba a democracia? – por Pedro Godinho

Hoje é o Dia nacional da Catalunha (Diada). A população da Catalunha é de cerca de 7,5 milhões. Entre 1,5 e 2 milhões (550 mil segundo o governo de Madrid; 1,2 milhões de acordo com a polícia local) de pessoas inundaram

CARTA DE LISBOA – Catalunha, onde começa e acaba a democracia? – por Pedro Godinho

Hoje é o Dia nacional da Catalunha (Diada). A população da Catalunha é de cerca de 7,5 milhões. Entre 1,5 e 2 milhões (550 mil segundo o governo de Madrid; 1,2 milhões de acordo com a polícia local) de pessoas inundaram

CARTA DE LISBOA – E a Catalunha, senhores? – por Pedro Godinho

  Dia 11 de Setembro é a Diada, o dia nacional da Catalunha. Dia 27 de Setembro há eleições autonómicas na Catalunha. As eleições antecipadas têm lugar no contexto das movimentações catalãs para a realização duma consulta sobre a independência

CARTA DE LISBOA – E a Catalunha, senhores? – por Pedro Godinho

  Dia 11 de Setembro é a Diada, o dia nacional da Catalunha. Dia 27 de Setembro há eleições autonómicas na Catalunha. As eleições antecipadas têm lugar no contexto das movimentações catalãs para a realização duma consulta sobre a independência

CARTA DE LISBOA – Herói, Traidor ou, simplesmente, grego? – por Pedro Godinho

Era mais fácil não falar sobre o assunto. Como os que esperam pela desgraça para, depois, fazer a autópsia detalhada, com brilhantismo. Não é possível negar o choque e desilusão com a derrota, tão rápida e tão violenta. À euforia

CARTA DE LISBOA – Herói, Traidor ou, simplesmente, grego? – por Pedro Godinho

Era mais fácil não falar sobre o assunto. Como os que esperam pela desgraça para, depois, fazer a autópsia detalhada, com brilhantismo. Não é possível negar o choque e desilusão com a derrota, tão rápida e tão violenta. À euforia

Carta de Lisboa – S.O.S. PORTUGAL – por Pedro Godinho

Paf. Até acolheria com prazer a bolachada e ter de admitir que a razão estava com o governo Passos/Portas. Significaria que nos tínhamos livrado da dívida, recuperado o país – pronto para o crescimento, estruturalmente saudável – reformado o Estado; que

Carta de Lisboa – S.O.S. PORTUGAL – por Pedro Godinho

Paf. Até acolheria com prazer a bolachada e ter de admitir que a razão estava com o governo Passos/Portas. Significaria que nos tínhamos livrado da dívida, recuperado o país – pronto para o crescimento, estruturalmente saudável – reformado o Estado; que

CARTA DE LISBOA – Ó Nóvoa, tens cá disto? – por Pedro Godinho

 A candidatura de Sampaio da Nóvoa começou bem. Anunciou ao que vinha, apresentou-se em nome próprio, pediu e agradeceu – por antecipação – o apoio dos que se lhe quisessem juntar. Assim deve ser. Os candidatos devem começar por ser eles próprios e apresentar-se –

CARTA DE LISBOA – Ó Nóvoa, tens cá disto? – por Pedro Godinho

 A candidatura de Sampaio da Nóvoa começou bem. Anunciou ao que vinha, apresentou-se em nome próprio, pediu e agradeceu – por antecipação – o apoio dos que se lhe quisessem juntar. Assim deve ser. Os candidatos devem começar por ser eles próprios e apresentar-se –

CARTA DE LISBOA – Contra o otomano – por Pedro Godinho

  A tentação imperial nunca desaparece, espera por uma nova oportunidade. Repetindo erros que pensam que só é revolucionária a acção armada e que os fins justificam mesmo as acções terroristas – indiscriminadamente tomando todos como alvos legítimos ou simples danos colaterais, desumanizando pessoas

CARTA DE LISBOA – Contra o otomano – por Pedro Godinho

  A tentação imperial nunca desaparece, espera por uma nova oportunidade. Repetindo erros que pensam que só é revolucionária a acção armada e que os fins justificam mesmo as acções terroristas – indiscriminadamente tomando todos como alvos legítimos ou simples danos colaterais, desumanizando pessoas

CARTA DE LISBOA – Revolta em dois tempos – por Pedro Godinho

  I. Grave alla tedesca  A Grécia era o elo mais fraco. Primeiro foi a conivência  – tu cá tu lá, somos todos europeus – com a oligarquia corrupta, e alternadeira, das secções locais do PPE e do PSE. Enquanto

CARTA DE LISBOA – Revolta em dois tempos – por Pedro Godinho

  I. Grave alla tedesca  A Grécia era o elo mais fraco. Primeiro foi a conivência  – tu cá tu lá, somos todos europeus – com a oligarquia corrupta, e alternadeira, das secções locais do PPE e do PSE. Enquanto

Carta de Lisboa – Não merecemos os deputados que temos

Os partidos são parte da democracia, mas não a esgotam. Estes partidos tornaram-se um obstáculo à democracia, por a quererem exclusiva, pelo comportamento clubista e clientelar. A representação é uma solução técnica para a dificuldade duma participação geral, directa e

Carta de Lisboa – Não merecemos os deputados que temos

Os partidos são parte da democracia, mas não a esgotam. Estes partidos tornaram-se um obstáculo à democracia, por a quererem exclusiva, pelo comportamento clubista e clientelar. A representação é uma solução técnica para a dificuldade duma participação geral, directa e

CARTA DE LISBOA – Os PP, não valem um corno – por Pedro Godinho

  Foi preciso vir o FMI afirmar que sem uma reestruturação da dívida não há saída sustentável para a Grécia  – só empobrecimento e declínio dum lado enquanto o outro acumula juros sobre juros – que, sem aquela, nunca terá condições

CARTA DE LISBOA – Os PP, não valem um corno – por Pedro Godinho

  Foi preciso vir o FMI afirmar que sem uma reestruturação da dívida não há saída sustentável para a Grécia  – só empobrecimento e declínio dum lado enquanto o outro acumula juros sobre juros – que, sem aquela, nunca terá condições

CARTA DE LISBOA – Eusébio fora do Panteão – por Pedro Godinho

  Se fosse deputado votava contra. Não cultivo o culto dos mortos, mas mesmo para estes há outras e melhores formas de reconhecer o mérito e prestar homenagem a quem foram e ao que fizeram. Quando governo, partidos e políticos

CARTA DE LISBOA – Eusébio fora do Panteão – por Pedro Godinho

  Se fosse deputado votava contra. Não cultivo o culto dos mortos, mas mesmo para estes há outras e melhores formas de reconhecer o mérito e prestar homenagem a quem foram e ao que fizeram. Quando governo, partidos e políticos