Author Archives: Pedro Godinho

lisboa[1]

CARTA DE LISBOA – Valha-nos São Cavaco e livre-nos da tentação- por Pedro Godinho

Os pregoeiros do modelo da democracia representativa – sem mandato imperativo – têm, agora, dificuldade em engolir do seu remédio. Os herdeiros de Burke sempre afirmaram que, uma vez eleitos, os deputados – representantes do povo – representavam, como muito bem entendiam

lisboa[1]

CARTA DE LISBOA – Valha-nos São Cavaco e livre-nos da tentação- por Pedro Godinho

Os pregoeiros do modelo da democracia representativa – sem mandato imperativo – têm, agora, dificuldade em engolir do seu remédio. Os herdeiros de Burke sempre afirmaram que, uma vez eleitos, os deputados – representantes do povo – representavam, como muito bem entendiam

lisboa[1]

CARTA DE LISBOA – Um governo islandês para Portugal – por Pedro Godinho

Hoje tomou posse o governo que se espera não dure. A troika Passos, Portas e Cavaco já fez mal que baste, às pessoas e ao país. Sem que, ao menos, passado o período do sofrimento e empobrecimento, se possa dizer

lisboa[1]

CARTA DE LISBOA – Um governo islandês para Portugal – por Pedro Godinho

Hoje tomou posse o governo que se espera não dure. A troika Passos, Portas e Cavaco já fez mal que baste, às pessoas e ao país. Sem que, ao menos, passado o período do sofrimento e empobrecimento, se possa dizer

lisboa[1]

CARTA DE LISBOA – Cavaco, o cabo-de-esquadra – por Pedro Godinho

Cavaco é um presidente de facção – tudo por si e pelos seus. Por acaso cronológico exerce num tempo de democracia (embora imperfeita) mas, intrinsecamente, por impulso e instinto, é um autoritário, filosoficamente um neo-salazarista. Pudesse e seria partidário do

lisboa[1]

CARTA DE LISBOA – Cavaco, o cabo-de-esquadra – por Pedro Godinho

Cavaco é um presidente de facção – tudo por si e pelos seus. Por acaso cronológico exerce num tempo de democracia (embora imperfeita) mas, intrinsecamente, por impulso e instinto, é um autoritário, filosoficamente um neo-salazarista. Pudesse e seria partidário do

lisboa[1]

CARTA DE LISBOA – A importância de ser Cavaco – por Pedro Godinho

  Cavaco é um sonso, o sonso da República. O político profissional há mais tempo alapado ao poder – capturado pela intriga, maquinação e algumas punhaladas – continua a fazer-se passar pelo não político, até com alguma aversão a essa coisa

lisboa[1]

CARTA DE LISBOA – A importância de ser Cavaco – por Pedro Godinho

  Cavaco é um sonso, o sonso da República. O político profissional há mais tempo alapado ao poder – capturado pela intriga, maquinação e algumas punhaladas – continua a fazer-se passar pelo não político, até com alguma aversão a essa coisa

lisboa[1]

CARTA DE LISBOA – Diumenge és l’hora – por Pedro Godinho

  Antes das eleições portuguesas de 4 de Outubro, e depois das gregas, outras eleições são relevantes, também, para Portugal. A Catalunha vota a 27 de Setembro – Diumenge és l’hora. Vota pelo direito a votar. Vota pelo direito a

lisboa[1]

CARTA DE LISBOA – Diumenge és l’hora – por Pedro Godinho

  Antes das eleições portuguesas de 4 de Outubro, e depois das gregas, outras eleições são relevantes, também, para Portugal. A Catalunha vota a 27 de Setembro – Diumenge és l’hora. Vota pelo direito a votar. Vota pelo direito a

lisboa

CARTA DE LISBOA – Catalunha, onde começa e acaba a democracia? – por Pedro Godinho

Hoje é o Dia nacional da Catalunha (Diada). A população da Catalunha é de cerca de 7,5 milhões. Entre 1,5 e 2 milhões (550 mil segundo o governo de Madrid; 1,2 milhões de acordo com a polícia local) de pessoas inundaram

lisboa

CARTA DE LISBOA – Catalunha, onde começa e acaba a democracia? – por Pedro Godinho

Hoje é o Dia nacional da Catalunha (Diada). A população da Catalunha é de cerca de 7,5 milhões. Entre 1,5 e 2 milhões (550 mil segundo o governo de Madrid; 1,2 milhões de acordo com a polícia local) de pessoas inundaram

lisboa[1]

CARTA DE LISBOA – E a Catalunha, senhores? – por Pedro Godinho

  Dia 11 de Setembro é a Diada, o dia nacional da Catalunha. Dia 27 de Setembro há eleições autonómicas na Catalunha. As eleições antecipadas têm lugar no contexto das movimentações catalãs para a realização duma consulta sobre a independência

lisboa[1]

CARTA DE LISBOA – E a Catalunha, senhores? – por Pedro Godinho

  Dia 11 de Setembro é a Diada, o dia nacional da Catalunha. Dia 27 de Setembro há eleições autonómicas na Catalunha. As eleições antecipadas têm lugar no contexto das movimentações catalãs para a realização duma consulta sobre a independência