Author Archives: carlosloures

A NOSSA PENÍNSULA – 3 – A Lusitânia Setentrional – por Carlos Loures

(continuação) Fazendo uma pausa na busca do gentílico mais adequado aos portugueses, sabendo-se que lusitanos constitui uma liberdade poética pouco sustentada etimologicamente, hispanos e hispânicos não colhem grande adesão e espanhóis provoca uma acentuada repulsa, vou contar a história pouco

A NOSSA PENÍNSULA – 3 – A Lusitânia Setentrional – por Carlos Loures

(continuação) Fazendo uma pausa na busca do gentílico mais adequado aos portugueses, sabendo-se que lusitanos constitui uma liberdade poética pouco sustentada etimologicamente, hispanos e hispânicos não colhem grande adesão e espanhóis provoca uma acentuada repulsa, vou contar a história pouco

A NOSSA PENÍNSULA-1 Os Portugueses serão hispanos, lusitanos…? – por Carlos Loures

A nossa Península é um cadinho onde se misturam povos, costumes, tradições, culturas… Numa área relativamente reduzida (inferior à do Estado do Texas), concentram-se povos com idiomas, História, percursos culturais, distintos; protagonizaram a gesta dos Descobrimentos, que, relativamente aos limites

A NOSSA PENÍNSULA-1 Os Portugueses serão hispanos, lusitanos…? – por Carlos Loures

A nossa Península é um cadinho onde se misturam povos, costumes, tradições, culturas… Numa área relativamente reduzida (inferior à do Estado do Texas), concentram-se povos com idiomas, História, percursos culturais, distintos; protagonizaram a gesta dos Descobrimentos, que, relativamente aos limites

ALVES DOS REIS, burlão ou mestre da «engenharia financeira»? – por Carlos Loures.

  Foi no dia 6 de Dezembro de 1925 que a notícia da prisão de Alves dos Reis foi tema de conversa em tertúlias de cafés e por outros locais, os chamados “mentideiros”. Presidia aos destinos da República um dos

ALVES DOS REIS, burlão ou mestre da «engenharia financeira»? – por Carlos Loures.

  Foi no dia 6 de Dezembro de 1925 que a notícia da prisão de Alves dos Reis foi tema de conversa em tertúlias de cafés e por outros locais, os chamados “mentideiros”. Presidia aos destinos da República um dos

EDITORIAL – Carta aberta aos Argonautas – por Carlos Loures

Regresso a casa, após um demorado périplo por hospitais e residências de cuidados continuados. O motivo foi (é ainda) uma estenose esofágica – na minha idade, os órgãos começam a atingir e a ultrapassar o prazo de validade. É natural.

EDITORIAL – Carta aberta aos Argonautas – por Carlos Loures

Regresso a casa, após um demorado périplo por hospitais e residências de cuidados continuados. O motivo foi (é ainda) uma estenose esofágica – na minha idade, os órgãos começam a atingir e a ultrapassar o prazo de validade. É natural.

Bon colp de falç, amics! – Por Carlos Loures e Josep Anton Vidal

Há quase 380 anos, em 1 de Dezembro de 1640, Portugal recuperava a sua independência perdida 60 anos antes. Todos sabemos, até aos mínimos pormenores, como foi esse dia «em que valentes guerreiros / nos deram livre a Nação». Interessante que

Bon colp de falç, amics! – Por Carlos Loures e Josep Anton Vidal

Há quase 380 anos, em 1 de Dezembro de 1640, Portugal recuperava a sua independência perdida 60 anos antes. Todos sabemos, até aos mínimos pormenores, como foi esse dia «em que valentes guerreiros / nos deram livre a Nação». Interessante que

EM MEMÓRIA DE ARMANDO SILVA CARVALHO (1938-2017)- por Manuel Simões

    – (Ao Armando, um dos grandes poetas portugueses, em jeito de homenagem)   Acaba de nos deixar o escritor Armando Silva Carvalho, uma das vozes mais importantes da poesia portuguesa contemporânea. O seu livro de estreia, Lírica Consumível

EM MEMÓRIA DE ARMANDO SILVA CARVALHO (1938-2017)- por Manuel Simões

    – (Ao Armando, um dos grandes poetas portugueses, em jeito de homenagem)   Acaba de nos deixar o escritor Armando Silva Carvalho, uma das vozes mais importantes da poesia portuguesa contemporânea. O seu livro de estreia, Lírica Consumível

EDITORIAL: As praxes académicas, feitas por medida para estudantes imbecis e reitores desonestos – por Carlos Loures.

O Ensino Superior é uma estrutura onde os cidadãos vão colher saberes e competências  que lhes permitam desenvolver actividades especializadas indispensáveis ao funcionamento das comunidades – não será demagogia considera-los trabalhadores ou aprendizes de trabalhadores. Talvez há cem, cento e cinquenta anos

EDITORIAL: As praxes académicas, feitas por medida para estudantes imbecis e reitores desonestos – por Carlos Loures.

O Ensino Superior é uma estrutura onde os cidadãos vão colher saberes e competências  que lhes permitam desenvolver actividades especializadas indispensáveis ao funcionamento das comunidades – não será demagogia considera-los trabalhadores ou aprendizes de trabalhadores. Talvez há cem, cento e cinquenta anos

REFLEXÃO – Alojamento local – por Adão Cruz

O que os deputados do PS pretendem é “assegurar que a atividade de alojamento local, no caso de prédios urbanos destinados a habitação, não seja exercida com desconsideração dos direitos dos demais condóminos” e acrescenta ao rol de documentos necessários

REFLEXÃO – Alojamento local – por Adão Cruz

O que os deputados do PS pretendem é “assegurar que a atividade de alojamento local, no caso de prédios urbanos destinados a habitação, não seja exercida com desconsideração dos direitos dos demais condóminos” e acrescenta ao rol de documentos necessários

EDITORIAL: Foi há 91 anos…por Carlos Loures

O dia 28 de Maio de há 91 anos tem sido numerosa veze referido neste blogue, com abordagens diferentes,  mas coincidentes na era de subdesenvolvimento. de privação dos direitos fundamentais dos cidadãos que a Ditadura Nacional e o Estado Corporativo

EDITORIAL: Foi há 91 anos…por Carlos Loures

O dia 28 de Maio de há 91 anos tem sido numerosa veze referido neste blogue, com abordagens diferentes,  mas coincidentes na era de subdesenvolvimento. de privação dos direitos fundamentais dos cidadãos que a Ditadura Nacional e o Estado Corporativo

A OPINIÃO DE DANIEL AARÃO REIS- O enigma do sistema

É um nunca acabar de emoções…Financiamentos por baixo do pano, achaques, subornos, propinas,  compras de leis e de decisões judiciais tornaram-se corriqueiros, banais. O mais expressivo é que o vendaval de denúncias  não parece afetar os envolvidos – eles continuam

A OPINIÃO DE DANIEL AARÃO REIS- O enigma do sistema

É um nunca acabar de emoções…Financiamentos por baixo do pano, achaques, subornos, propinas,  compras de leis e de decisões judiciais tornaram-se corriqueiros, banais. O mais expressivo é que o vendaval de denúncias  não parece afetar os envolvidos – eles continuam

A COLUNA DE OCTOPUS. Está na altura de por fim às praxes

As praxes no ensino superior não passam de rituais de humilhação e violência psicológica que não fazem qualquer sentido. Não se trata de integração. Pelos vistos, tanto são “responsáveis” por tais práticas os que as realizam, como os que se

A COLUNA DE OCTOPUS. Está na altura de por fim às praxes

As praxes no ensino superior não passam de rituais de humilhação e violência psicológica que não fazem qualquer sentido. Não se trata de integração. Pelos vistos, tanto são “responsáveis” por tais práticas os que as realizam, como os que se

A COLUNA DE OCTOPUS:Quem vai pagar a factura do próximo Festival da Canção?

. . A tradição faz com que quem ganha o Festival da Canção da Eurovisão será o organizador no ano seguinte. Mas isso tem custos. Claro que os pequenos países vêm nessa “oportunidade” a ocasião de serem “badalados” e de

A COLUNA DE OCTOPUS:Quem vai pagar a factura do próximo Festival da Canção?

. . A tradição faz com que quem ganha o Festival da Canção da Eurovisão será o organizador no ano seguinte. Mas isso tem custos. Claro que os pequenos países vêm nessa “oportunidade” a ocasião de serem “badalados” e de

ENTREVISTA DE MÁRIO DE OLIVEIRA AO JORNAL«EL ESPAÑOL»

 a Edición omía Empresas Mercados Macroeconomía El cura portugués que no cree en Fátima: “Los pastorcillos fueron manipulados, las apariciones son mentira” El padre Mário de Oliveira asegura que lo ocurrido en 1917 es uno de los mayores timos de

ENTREVISTA DE MÁRIO DE OLIVEIRA AO JORNAL«EL ESPAÑOL»

 a Edición omía Empresas Mercados Macroeconomía El cura portugués que no cree en Fátima: “Los pastorcillos fueron manipulados, las apariciones son mentira” El padre Mário de Oliveira asegura que lo ocurrido en 1917 es uno de los mayores timos de

EDITORIAL: O PEREGRINO, por Carlos Loures

Sobre a vinda a Fátima de um peregrino chamado Francisco que é o chefe supremo da Igreja Católica Apostólica Romana, nada tenho a dizer. O argonauta Mário de Oliveira, presbítero da referida igreja, em vídeo que ontem publicámos, diz tudo o

EDITORIAL: O PEREGRINO, por Carlos Loures

Sobre a vinda a Fátima de um peregrino chamado Francisco que é o chefe supremo da Igreja Católica Apostólica Romana, nada tenho a dizer. O argonauta Mário de Oliveira, presbítero da referida igreja, em vídeo que ontem publicámos, diz tudo o

FRATERNIZAR – O PECADO E O CRIME DO PAPA FRANCISCO – por Mário de Oliveira

  Ao serviço de quê e de quem vem ele a Fátima?     O grande Capital que domina e dirige o mundo século XXI tem no papa Francisco, todo de branco vestido, a máscara da bondade, da misericórdia, da

FRATERNIZAR – O PECADO E O CRIME DO PAPA FRANCISCO – por Mário de Oliveira

  Ao serviço de quê e de quem vem ele a Fátima?     O grande Capital que domina e dirige o mundo século XXI tem no papa Francisco, todo de branco vestido, a máscara da bondade, da misericórdia, da