Category Archives: Geografia/Ambiente/Biodiversidade

ECODEBATE – CIDADANIA & MEIO AMBIENTE – OS OCEANOS APELAM TODOS OS DIAS – por SUCENA SHKRADA RISK.

    A imagem é desconcertante e dramática. Olhamos de um lado e de outro e os oceanos têm mais plásticos do que peixes. O ano é 2050. Cena de filme de ficção? Longe disso. Este é um prognóstico mais

ECODEBATE – CIDADANIA & MEIO AMBIENTE – OS OCEANOS APELAM TODOS OS DIAS – por SUCENA SHKRADA RISK.

    A imagem é desconcertante e dramática. Olhamos de um lado e de outro e os oceanos têm mais plásticos do que peixes. O ano é 2050. Cena de filme de ficção? Longe disso. Este é um prognóstico mais

PROTEJO – MOVIMENTO PELO TEJO – PROCESSO DE DENÚNCIA À COMISSÃO EUROPEIA POR “CATÁSTROFE AMBIENTAL E PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA POR POLUIÇÃO DO RIO TEJO”.

O proTEJO – Movimento pelo Tejo apresentou uma Denúncia à Comissão Europeia por “Catástrofe Ambiental e problema de saúde pública por poluição do rio Tejo”, tendo recebido a resposta da Direção Geral do Ambiente da Comissão Europeia relativamente à qual

PROTEJO – MOVIMENTO PELO TEJO – PROCESSO DE DENÚNCIA À COMISSÃO EUROPEIA POR “CATÁSTROFE AMBIENTAL E PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA POR POLUIÇÃO DO RIO TEJO”.

O proTEJO – Movimento pelo Tejo apresentou uma Denúncia à Comissão Europeia por “Catástrofe Ambiental e problema de saúde pública por poluição do rio Tejo”, tendo recebido a resposta da Direção Geral do Ambiente da Comissão Europeia relativamente à qual

CARLOS REIS – LISBOA DESAPARECIDA

  https://www.vortexmag.net/lisboa-desaparecida-35-belissimos-edificios-que-ja-nao-existem/   Lojas, apartamentos e um hotel de luxo. Isto é o que vai nascer no quarteirão da Pastelaria Suíça Rita Neto   A pastelaria suíça Comprado há cerca de um ano, este quarteirão no Rossio viu vários dos

CARLOS REIS – LISBOA DESAPARECIDA

  https://www.vortexmag.net/lisboa-desaparecida-35-belissimos-edificios-que-ja-nao-existem/   Lojas, apartamentos e um hotel de luxo. Isto é o que vai nascer no quarteirão da Pastelaria Suíça Rita Neto   A pastelaria suíça Comprado há cerca de um ano, este quarteirão no Rossio viu vários dos

A GALIZA COMO TAREFA – civilização – Ernesto V. Souza

O dia nasceu escuro. Por importunar Santa Luzia e o saber popular, parece noite pecha às sete e trinta. Chove ligeiro, mas venta pesadamente e em surpresa. Redemoinhos que lutam a cada volta de rua emboscados, no desespero do campo

A GALIZA COMO TAREFA – civilização – Ernesto V. Souza

O dia nasceu escuro. Por importunar Santa Luzia e o saber popular, parece noite pecha às sete e trinta. Chove ligeiro, mas venta pesadamente e em surpresa. Redemoinhos que lutam a cada volta de rua emboscados, no desespero do campo

A GALIZA COMO TAREFA – habitus- Ernesto V. Souza

Somos filhos da nossa cultura e práticas sociais. Ou dito doutro jeito: a nossa atuação social, estética e comportamentos de grupo: políticos, associativos, alimentícios, estéticos, profissionais vêm definidos pela nossa socialização e habitus cultural. E o que é mais, o

A GALIZA COMO TAREFA – habitus- Ernesto V. Souza

Somos filhos da nossa cultura e práticas sociais. Ou dito doutro jeito: a nossa atuação social, estética e comportamentos de grupo: políticos, associativos, alimentícios, estéticos, profissionais vêm definidos pela nossa socialização e habitus cultural. E o que é mais, o

PROTEJO – MOVIMENTO PELO TEJO – TERÇA-FEIRA, 30 de OUTUBRO – APRESENTAÇÕES E CONCLUSÕES DO “TEJO VIVO – SEMINÁRIO PARA A RECUPERAÇÃO DO RIO TEJO E SEUS AFLUENTES”

  O seminário “TEJO VIVO – SEMINÁRIO PARA A RECUPERAÇÃO DO RIO TEJO E SEUS AFLUENTES”, promovido pelo proTEJO – Movimento pelo Tejo em parceria com a Câmara Municipal de Abrantes e a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, realizado no

PROTEJO – MOVIMENTO PELO TEJO – TERÇA-FEIRA, 30 de OUTUBRO – APRESENTAÇÕES E CONCLUSÕES DO “TEJO VIVO – SEMINÁRIO PARA A RECUPERAÇÃO DO RIO TEJO E SEUS AFLUENTES”

  O seminário “TEJO VIVO – SEMINÁRIO PARA A RECUPERAÇÃO DO RIO TEJO E SEUS AFLUENTES”, promovido pelo proTEJO – Movimento pelo Tejo em parceria com a Câmara Municipal de Abrantes e a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, realizado no

A GALIZA COMO TAREFA – elasticidade – Ernesto V. Souza

Há uns dez anos, num barzinho no centro de Valhadolid assistia, por proximidade de cotovelos no balcão, a um debate in crescendo entre um grupo de homens de uns sessenta e algo de anos. A questão de fundo era a

A GALIZA COMO TAREFA – elasticidade – Ernesto V. Souza

Há uns dez anos, num barzinho no centro de Valhadolid assistia, por proximidade de cotovelos no balcão, a um debate in crescendo entre um grupo de homens de uns sessenta e algo de anos. A questão de fundo era a

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – CICLO DE CINEMA AO AR LIVRE – «MODOS DE HABITAR»: “REFUGIÉ-ES CITY PLAZA” e “À PROPOS DE NICE” – HOJE, SEGUNDA-FEIRA, 10 de SETEMBRO, às 21.30

    Ciclo de cinema ao ar livre «Modos de habitar»: Refugié-es City Plaza e À propos de Nice   Enquadrado no ciclo «Outra sociedade – à volta das ideias de Ivan Illich», que revisita as ideias de Ivan Illich (1926-2002)

CASA DA ACHADA – CENTRO MÁRIO DIONÍSIO – CICLO DE CINEMA AO AR LIVRE – «MODOS DE HABITAR»: “REFUGIÉ-ES CITY PLAZA” e “À PROPOS DE NICE” – HOJE, SEGUNDA-FEIRA, 10 de SETEMBRO, às 21.30

    Ciclo de cinema ao ar livre «Modos de habitar»: Refugié-es City Plaza e À propos de Nice   Enquadrado no ciclo «Outra sociedade – à volta das ideias de Ivan Illich», que revisita as ideias de Ivan Illich (1926-2002)

CARTA DE VENEZA – POSTAIS DE VENEZA – por Vanessa Castagna

Neste verão quente, proliferam na net e nas redes sociais imagens inacreditáveis de Veneza, símbolo já de um turismo que é massivo mas sobretudo mal-educado – um turismo, aliás, que afeta e infeta inúmeros destinos magníficos em vias de gentrificação.

CARTA DE VENEZA – POSTAIS DE VENEZA – por Vanessa Castagna

Neste verão quente, proliferam na net e nas redes sociais imagens inacreditáveis de Veneza, símbolo já de um turismo que é massivo mas sobretudo mal-educado – um turismo, aliás, que afeta e infeta inúmeros destinos magníficos em vias de gentrificação.

A GALIZA COMO TAREFA – nas paisagens da peregrinação – Ernesto V. Souza

“e acenando com a mão nos fez chegar até os primeyros degraos da tribuna onde os quatorze Reys estauão assentados, e nos tornou a preguntar como homẽ espantado do que tinha ouuido, pucau, pucau? que quer dizer quanto? quanto?” (Peregrinação,

A GALIZA COMO TAREFA – nas paisagens da peregrinação – Ernesto V. Souza

“e acenando com a mão nos fez chegar até os primeyros degraos da tribuna onde os quatorze Reys estauão assentados, e nos tornou a preguntar como homẽ espantado do que tinha ouuido, pucau, pucau? que quer dizer quanto? quanto?” (Peregrinação,