Na Fundação Calouste Gulbenkian dias 6 e 7 de Novembro de 2015 Caminhos da Infância (ciclo de cinema)

Na Gulbenkian – Sala Polivalente CAM – dias 6 e 7 de Novembro às 21:00

caminhos da infância

Caminhos da Infância

Ciclo de cinema

Todos os filmes são legendados em português.
Todas as conversas têm tradução simultânea para português.


Sexta, 6 de Novembro

 21h
O Caminho da Vida
, de Nikolai Ekk
Com a presença de Pierre Léon, Manuela Barros Ferreira e Cláudio Torres

O Caminho da Vida
Título original: “Путёвка в жизнь / Putjowka w schisn”
Realização: Nikolai Ekk
Pais de origem: Rússia
Ano: 1931
Duração: 105’

As crianças órfãs roubam, prostituem-se e, às vezes, podem até matar. Assim, é decidido raptá-las de forma a impedi-las de viver na rua. Mas para evitar que elas escapem e se “percam”, como de costume, um professor “moderno” decide antecipar-se e liberta-os para irem trabalhar com ele numa colónia do leste do país. Curiosas, as crianças seguem-no e descobrem as virtudes do trabalho e a satisfação de assumir responsabilidades.

 

Sábado, 7 novembro

10h30-12h30
Mesa redonda com Pierre Léon, Bernard Eisenschitz, Manuela Barros Ferreira e Cláudio Torres

15h
Diario di un Maestro (I)
, de Vittorio de Seta
Duração: 136′
Com a presença de Bernard Eisenschitz e José Manuel Costa

18h30
Diario di un Maestro (II)
, de Vittorio de Seta
Duração: 134′
Com a presença de Bernard Eisenschitz e José Manuel Costa

Diario di un Maestro será apresentado em duas partes, às 15h (parte I) e às 18h30 (parte II), na versão originalmente transmitida na televisão italiana.

Diario di un Maestro
Realização: Vittorio de Seta
Pais de origem: Itália
Ano: 1973

Numa escola situada na periferia da cidade de Roma, um jovem professor, novo nesse contexto, em vez de ignorar a sua sala de aula semi-vazia, decide confrontar o problema do incumprimento da escolaridade obrigatória, não de uma forma burocrática mas procurando pelas crianças da vizinhança que não frequentam as aulas e oferecendo-lhes uma estrutura absolutamente atípica, quase revolucionando o programa daquela época. O resultado é o nascimento de uma relação enriquecedora entre os pequenos alunos e o professor.

Programado pela Associação “Os Filhos de Lumière”, este ciclo de cinema pretende estimular a discussão em torno de questões educativas a partir de uma seleção variada de filmes.

«Para os cineastas que há 15 anos atrás fundaram a associação Os Filhos de Lumière – e se dedicam à sensibilização de crianças e jovens para o cinema como forma de olhar o mundo, de desenvolver um imaginário, de crescer, de viver com os outros -, a reflexão sobre as questões da educação tornou-se um elemento crucial da sua actividade.
O desafio que o Programa Gulbenkian Qualificação das Novas Gerações lançou para organizarmos um ciclo de cinema que servisse de mote para pensar a educação veio, assim, ao encontro de algo que está no centro das nossas interrogações.
Os filmes escolhidos para este programa não tocam forçosamente a escola (embora também o façam), mas sim a infância, o imaginário e as questões que cada realizador levanta sobre o que é crescer e aprender a viver no mundo.
Mas a confrontação essencial entre uma escola com um formato cada vez mais fechado e burocratizado e o mundo exterior (a vida), não pode deixar de ser um dos aspectos chave dessa reflexão.
Apesar de ser – como lembra o cineasta Víctor Erice – a mais secreta das linguagens artísticas e a menos compreendida, o Cinema é um meio fundamental para nos levar a pensar, mas também a sonhar e a imaginar outras formas de ver e de viver.
Os autores, cineastas e pedagogo  presentes irão tecer uma multiplicidade de olhares singulares sobre estas questões, “dar a ver o outro lado das coisas”, uma das faces mais importantes do olhar cinematográfico.
A Fundação Lucinda Atalaia, que há muito reflecte sobre estas questões, participa em conjunto connosco nesta procura e neste olhar novo sobre a educação e sobre o cinema.
A Cinemateca Portuguesa, para quem a relação entre o cinema e a educação é uma questão crucial, é também um parceiro essencial na concretização deste programa.
Pensar em educação para pensar o cinema, ou vice-versa.»
Teresa Garcia e Pierre-Marie Goulet (Associação Os Filhos de Lumière)

Bilheteira

Preço   €  3,oo

Leave a Reply