2016 MATOSINHOS VAI SER A CAPITAL DA CULTURA DO EIXO ATLÂNTICO – DUAS INICIATIVAS: A CASA DA ARQUITECTURA E O MUSEU DA DIÁSPORA

Em 2016, Matosinhos será a Capital da Cultura do Eixo Atlântico.  A Comissão Executiva do Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular, organização transfronteiriça do Noroeste Peninsular, engloba 38 autarquias do Norte de Portugal e da Galiza e que visa aprofundar as relações entre ambas as regiões, nomeou há um ano Matosinhos e Vila Real Capitais da Cultura 2016.

Matosinhos_Capital_da_Cultura_do_Eixo_Atl_ntico_2016web_1_570_9999

Falemos de duas das iniciativas.

A da Casa da Arquitectura, que será o primeiro espaço expositivo português inteiramente dedicado à divulgação e valorização da arquitectura e deverá estar concluído este ano. É actualmente uma associação cultural sem fins lucrativos que envolve não só arquitectos mas pessoas de várias áreas que decidiram incentivar e apoiar um projecto em que acreditam.

A seu cargo está a gestão do Centro de Documentação Álvaro Siza (CDAS) e a obtenção de espólios de diversos arquitectos.

CASA-DA-ARQUITECTURA_matosinhos
Podem sintetizar a sua missão nestes pontos:

– Acautelar, arquivar e dar a conhecer, por diversos meios, os Espólios entregues à Casa da Arquitectura.
– Promover a investigação e a pesquisa no domínio da arquitectura.
– Realizar ou promover cursos e sessões de formação, bem como a realização de conferências, colóquios, debates, e quaisquer outras actividades relacionadas com a arquitectura e as artes em geral.
– Editar e publicar, sob qualquer forma, obras relacionadas com a arquitectura, portuguesa ou universal.
– Promover o intercâmbio com instituições congéneres nacionais ou estrangeiras no domínio das suas actividades.
– Promover a cooperação com instituições de ensino, museus, entidades culturais e empresariais cujo fim seja a valorização da arquitectura e da Casa da Arquitectura.
– Administrar, gerir, promover e divulgar o futuro Edifício CASA DA ARQUITECTURA.

Um edifício devoluto em Matosinhos Sul começará a ser reabilitado em breve para acolher aquele que será o futuro ‘Cais’ – Museu da Diáspora e da Língua Portuguesa. Dedicado à emigração e ao português, vai ficar numa rua do concelho que se chamará a rua dos Museus. A sua coordenação está a cargo de Isabel Pires de Lima.

A programação prevê o acolhimento de espectáculos teatrais de companhias galegas em itinerância, tanto no Cine-Teatro Constantino Nery, como enquadrados nos festivais Cena Contemporânea de Matosinhos em Português, Fazer a Festa ou o FITEI.

A Orquestra Jazz e o Quarteto de Cordas de Matosinhos deverão assumir-se como embaixadores do evento, que acolherá 15 exposições de artes plásticas, fotografia e design, coorganizadas com instituições da Galiza. Ficamos à espera de novas notícias.

Leave a Reply