FACA – FESTA DE ANTROPOLOGIA, CINEMA E ARTE, DE 10 A 12 DE MARÇO, NO ESPAÇO CARPE DIEM ARTE E PESQUISA

De 10 a 12 de Março – A FACA volta mais um ano a Lisboa para, durante três dias, celebrar o que de mais interessante se faz nos cruzamentos entre antropologia, cinema e a arte.

Organizada pelo Núcleo de Antropologia Visual e da Arte do Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA), este ano a Festa de Antropologia, Cinema e Arte (FACA) inicia-se às 18h no espaço Carpe Diem Arte e Pesquisa com a conferência “Questions of the Contemporary: Art, Film, Anthropology”. Antropólogo, professor do departamento de Antropologia Social da Universidade de Oslo e autor de obras como “Contemporary Art and Anthropology”, “Appropriation as Practice: Art and Identity in Argentina” ou “Film and Anthropology”, a comunicação de Schneider vai abordar a antropologia visual e das relações entre arte e antropologia.

facag

Seguidamente a artista Claire Buisson irá apresentar materiais seleccionados do seu projecto actual “Corps Archivés”, performance que explora a construção do sujeito, através da postura e dos materiais onde pode ser contido. Buisson trabalha sobre as condições sociais e corporais na construção do self, sobre o posicionamento do sujeito num processo de autodeterminação.

A programação de cinema deste ano, que decorre na Cinemateca Portuguesa durante os dias 11 e 12, está dividida em duas partes. Por um lado “A cidade em Foco” mostra o olhar de um grupo de estudantes de antropologia sobre o fenómeno urbano. Catarina Alves Costa apresentará uma sessão com trabalhos realizados por estudantes portugueses de Culturas Visuais, e Angela Torresan, convidada do Granada Center for Visual Anthropology, apresentará outra sessão com alguns dos melhores filmes produzidos naquela que é uma das mais importantes escolas de Antropologia Visual da Europa. Neste percurso encontraremos deambulações entre o Cais das Colunas, o Cemitério dos Prazeres, os bairros sociais de Santos ao Rego, a capital da Serra Leoa, ou o gueto de Kingston, na Jamaica entre outros cenários urbanos em diferentes partes do mundo.

A segunda parte, sob o título “Faca Convida”, apresenta uma pequena selecção de filmes internacionais que se têm destacado na produção etnográfica dos últimos anos. Na primeira sessão será apresentado o filme “Skin has Eyes and Ears”, uma exploração da experiência sensorial de espaço e tempo entre os Ambonwari, na Papua-Nova Guiné. No dia seguinte muda-se de continente para ver “A Place for Everyone”, filme que explora a geografia humana de uma aldeia ruandesa duas décadas após o genocídio através da vida de Tharcisse e Benoitte, dois jovens em busca de um lugar entre o amor e o ódio, a vingança e o perdão.

No dia 11 de Março realizar-se na FCSH/NOVA um encontro informal entre Arnd Schneider, Angela Torresan, na companhia de Catarina Alves Costa (CRIA/FCSH-UNL) e Filipe Reis (CRIA/ISCTE-IUL) com alunos, artistas, cineastas e antropólogos interessados nas intersecções entre Antropologia, a Arte e o Cinema. Os convidados estarão disponíveis para partilhar questões e experiências.  Nesta sessão serão apresentados um conjunto de trabalhos em curso seleccionados por uma convocatória prévia para um debate e partilha pública entre convidados e assistentes. O workshop é de entrada livre. Para assistir basta enviar um email para festafaca2016@gmail.com até ao dia 6 de Março de 2016.

No Arquivo 237, dia 12 de março, terá ainda lugar a conversa “Cadernos, observação e cumplicidades: entre a antropologia e o desenho”, orientada pela antropóloga Sónia Vespeira de Almeida, com a participação dos investigadores e artistas Ana Isabel Afonso, Eduardo Salavisa, Inês Belo Gomes e Joana Miguel Almeida.

Informações adicionais podem ser encontradas no website da FACA ou na página de Facebook do evento.

Leave a Reply