CORRENTES D’ESCRITAS NA PÓVOA DO VARZIM, DE 21 e 25 DE FEVEREIRO

livro&livros3

 

Escritores portugueses e espanhóis juntar-se-ão em Póvoa de Varzim para a 18ª edição do festival literário Correntes d’Escritas que decorrerá entre os dias 21 e 25 de Fevereiro, as serão 13 as nacionalidades de línguas hispânicas e portuguesa.

Esperam-se 30 autores que participarão nas Correntes pela primeira vez, numa edição que vai contar com Francisco Pinto Balsemão na cerimónia de abertura, momento em que será anunciado o vencedor dos vários prémios Literário e do Prémio Casino da Póvoa. Serão lançados 31 livros durante o evento.

A estrutura do festival será dominada por uma série de debates que começam logo na quarta-feira, 22, com José Carlos Vasconcelos a moderar Eugénio Lisboa, Hélia Correia, Ignácio de Loyola Brandão, Mário Cláudio e Valter Hugo Mãe.images

Quinta-feira

10.00 Tema: Nós só jogamos com as palavras que nos deram”

Cristina Norton, Ignácio del Valle, Karla Suarez, Teolinda Gersão, Tony Tcheka e Carlos Quiroga.

15.00 Tema: devo ter cuidado com as palavras”

Alberto Barrera Tyszka, Alexandre Marques Rodrigues, Júlia Nery, Manuel Rui, Raquel Ribeiro e Manuel Alberto Valente.

17.30 Tema: se as torturarmos as palavras acabarão por confessar”

Cláudia Piñeiro, Fernando Perdigão, Germano Almeida, Luís Carmelo, Rui Zink e Pedro Teixeira Neves.

Sexta-feira

10.00 Tema: sempre tudo esteve escrito desde sempre”

António Brito, António Mota, David Machado, Goretti Pina, Marina Perezagua e Onésimo Teotónio Almeida.

15.00 Tema: toda a palavra será sempre um jogo por inventar

Gaspar Hernández, Paula de Sousa Lima, Rita Taborda Duarte, SelvaAlmada, Tatiana Salem Levi e Henrique Cayatte.

17.30 Tema: apenas a certeza de que nenhum verso salvará ninguém”

João de Melo, Miguel-Manso, Ondjaki, Sérgio Godinho e Anabela Mota Ribeiro.

22.00 Tema: a única ciência é a realidade que as imagens inventam”

Álvaro Laborinho Lúcio, Clara Ferreira Alves, Gonçalo M. Tavares, Jordi Llobregat e Francisco José Viegas.

Sábado

10.00 Tema: de um jogo frágil de palavras se faz a literatura

Afonso Cruz, Carlos Morais José, Conduto Pina, Marta Bernardes, Mbate Pedro e João Gobern.

15.30 Tema: Porque não há nada em vez de tudo?

Ana Luísa Amaral, António Carlos Cortez, Inês Pedrosa, Juán Gabriel Vásquez, Júlio de Almeida, Onésimo T. Almeida e Maria Flor Pedroso.

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: