“MATER – ÚTERO DE ROMÔ, DE RISOLETA PINTO PEDRO por Clara Castilho

Já há uns anos que ouvia falar da Risoleta (Pinto Pedro), pela sua amizade com amigos comuns. A minha sobrinha ofereceu-me um livro seu, “Útero de Romã” (Padrões Culturais, Junho de 2012) que, finalmente li, lamentando não o ter feito antes.

O personagem central vive numa teia de relações on-line, que depois se revelam serem pessoas fictícias, criadas para controlarem a sua vida, vamos vendo o seu dia-a-dia, as pessoas com quem se confronta, situações misteriosas, os seus medos e alegrias. Tudo numa leitura breve, que nos espanta, nos coloca questões que por vezes nos inquietam, até chegarmos a um final, se não previsto, pelo menos coerente. Um livro que nos acompanha, depois de o termos lido.

É apresentado assim pela editora:

“É um livro que conta a história de um obstetra e a sua relação com as crianças que ajuda a nascer e as memórias do seu próprio nascimento. Piero vai perceber que o medo que sente quando entra nos elevadores não é realmente medo dos elevadores nem medo do presente, o seu medo é antigo como o seu mundo, desde que se recorda, desde que se pressente. Compreende que o pânico que sente ao entrar no elevador nada tem a ver com o actual Piero, mas foi essa situação que o fez instantaneamente viajar, como numa cápsula do tempo, até ao momento inicial em que o sangue se lhe congelou e a emoção se cristalizou. E foi assim que nasceu. E viveu. Até hoje. Por isso dedicou a vida a libertar bebés. E um dia chegará também a sua vez de ser libertado… Este obstetra tem, com os bebés, uma relação especial. Como tantos obstetras. A acção passa-se entre Lisboa, Porto, Sintra, Vila Viçosa, Roma e Israel.”

Risoleta C. Pinto Pedro nasceu em S. Vicente e Ventosa, Elvas. Fez uma licenciatura em Literatura.

 Publicou os seguintes livros: A Criança Suspensa, Prémio Ferreira de Castro, de ficção narrativa, da Câmara de Sintra, 1996, O Corpo e a Tela, 1997, O Aniversário, Prémio Revelação APE/IPBL 1994, Ficção, 1998, A Compreensão da Lua, 1999, O Arquitecto,  2002, Venite In Silentio, Unicepe, 2004, Contos de Azul e Terra, romance, em co-autoria com Raquel Gonçalves,  2004, O Homem da Minha Vida,  2009, O Sol do Tarot de Sintra, 2009, Adelaide Cabete e a Palavra Encontrada, História de uma Fundadora,  2010, Útero de Romã, 2012 Happy Meal, Manjar sentimental, 2016, A Literatura de Agostinho da Silva, 2016, António Telmo- Literatura & Iniciação, 2018.

Foram-lhe atribuídos dois prémios de poesia da Sociedade da Língua Portuguesa.  Tem escrito para teatro (TE-ATO de Leiria), para música (compositor Paulo Brandão) e ainda em parceria com o compositor Jorge Salgueiro escreveu cantata, ópera, canção, musical e textos para bailado. Estes últimos textos foram criados para várias coreografias multidisciplinares da Companhia de Dança “Amalgama”. Assinou uma crónica semanal, Quarta-Crescente no Programa “Despertar dos Músicos”, da RDP – Antena 2. Participou ainda em diversas publicações. Tem escrito  para páginas electrónicas de literatura e artes, assim como tem tido participação em catálogos de artes plásticas, conferências e colóquios.

Criou o Curso multidisciplinar Cuidar (arte e terapia) e tem orientado oficinas de uma disciplina inédita: “Escrita e Cura Criativa” numa perspectiva artística e terapêutica inserida no projecto “O que Arte Cura” por si criado.
Foi membro dos corpos gerentes das Associações Fernando Pessoa e Agostinho da Silva, tendo então iniciado estudos sobre Agostinho enquanto escritor. Em preparação, um livro com as conferências e crónicas sobre o mesmo. Faz actualmente parte do Projecto António Telmo, Vida e Obra (PAT.VO)
Tem feito conferências sobre Fernando Pessoa, Agostinho da Silva, António Telmo e outros escritores, personalidades e temas.

Escreve no blog http://aluzdascasas.blogspot.com/

Leave a Reply