UM CAFÉ NA INTERNET – O Primeiro de Maio, por Maria Browne

 

(1797 – 1861) 

Um Café na Internet

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Entra hoje o mês das flores,

Lindo Maio, o perfumado;

Em que todo o namorado

Dá um ramo aos seus amores!

A não serem dissabores,

Um também te houvera dado.

 

Dera-te uma bela rosa

Só meia desabrochada;

Inda de pranto banhada

D’aurora pura e formosa!

Imagem da desditosa,

Com meia vida roubada!

 

Um jasmim também te dera…

É tão alvo e delicado!…

Em seu cálix apertado

Doce lágrima se gera,

Que à memória te trouxera

Um peito nunca manchado!

 

Mas eu só tinha um amor,

Que encontrei murcho no chão!

Calcado sem compaixão,

Já não parecia uma flor!

Ah! quem não teria dor

De assim ver a perfeição?

 

O meu jardim acabou;

Já não tenho mais que dar:

Para dele me lembrar

Só uma silva ficou

Selvagem, que se criou

Para prender, e rasgar!

 

 

Fui buscar este poema a Alma Minha Gentil, Antologia da Poesia de Amor Portuguesa, organizada por José Régio e Alberto de Serpa. Portugália Editora, 1957. Maria Browne era uma senhora do Porto, de seu nome de solteira Maria da Felicidade do Couto. Em sua casa recebeu Camilo, Garrett, Arnaldo Gama e outras figuras notáveis da época. As suas obras incluem A Coruja Trovadora, Soror Dolores, Virações de Madrugada e outras.

Leave a Reply