COLECÇÃO PENSAMENTO CONTEMPORÂNEO – dirigida por Fernando Pereira Marques

Imagem1

Hoje o nosso espaço dedicado ao livro e aos livros, vem falar-vos de uma nova colecção dirigida pelo argonauta Fernando Pereira Marques e, particularmente de um livro recentemente lançado – O Gosto de viver e mais cem crónicas, de Comte-Sponville. Esta obra foi editada pela primeira vez em 2010 e constitui uma boa síntese do pensamento do autor, tanto mais rico quanto libertoImagem1 de excrescências académicas e na medida em que no seu cerne se reencontra a concepção primordial da Filosofia como “uma forma de sabedoria” e do filosofar como maneira “de pensar a vida e de a viver como ela é pensada”. Este livro ilustra, ainda, além da presença de Comte-Sponville em publicações especializadas, a intervenção intelectual e cívica que mantém ao colaborar regularmente em títulos de referência de grande difusão (Le Monde, Libération, L’Express, Le Nouvel Observateur, etc.) e noutras publicações como Le Monde des Religions ou o semanário Challenges.

 Sobre o autor:  André Comte-Sponville nasceu em Paris, em 1952, e autodefine-se como “filósofo materialista, racionalista e Imagem1humanista”. Estudou na célebre Escola Normal Superior ( da capital francesa), tem a agregação e é doutor em Filosofia. Título que lhe foi também atribuído honoris-causa pela Universidade belga de Mons-Hainaut. Lecionou durante muito tempo na Universidade de Paris I (Panthéon-Sorbonne), de que se afastou em 1997 para se dedicar à escrita e às conferências. É membro do Conselho Consultivo Nacional de Ética. A sua vasta obra está traduzida em vinte e quatro línguas e nela será de realçar, sobretudo, a dimensão humanista. Facto que se manifesta, nomeadamente, através da reflexão sobre as questões éticas na vida quotidiana e concreta das pessoas em sociedade (Petit traité des grandes vertus, 1995 ou Le capitalisme est-il moral?, 2004), sobre temas como o amor ou a felicidade, ou ainda sobre a necessidade de uma espiritualidade sem Deus, em particular num mundo como aquele em que vivemos (L’esprit de l’athéisme-Introduction à une spiritualité sans Dieu, 2008). De destacar também os seus trabalhos de divulgação das grandes correntes e dos grandes temas da Filosofia (Présentations de la philosophie, 2000, Dictionnaire philosophique, 2001).

Leave a Reply