Category Archives: Geral

Sobre as razões que estão na base dos focos de tensão entre a China e os Estados Unidos. Texto introdutório 4 – Exclusivo: A China voltou atrás em quse todos os aspetos do acordo comercial com os EUA. Por David Lawder, Jeff Mason, Michael Martina

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Texto introdutório 4. Exclusivo: A China voltou atrás em quse todos os aspetos do acordo comercial com os EUA Por David Lawder, Jeff Mason, Michael Martina Publicado por  em 8 de maio de

Sobre as razões que estão na base dos focos de tensão entre a China e os Estados Unidos. Texto introdutório 4 – Exclusivo: A China voltou atrás em quse todos os aspetos do acordo comercial com os EUA. Por David Lawder, Jeff Mason, Michael Martina

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Texto introdutório 4. Exclusivo: A China voltou atrás em quse todos os aspetos do acordo comercial com os EUA Por David Lawder, Jeff Mason, Michael Martina Publicado por  em 8 de maio de

Sobre as razões que estão na base dos focos de tensão entre a China e os Estados Unidos. Texto introdutório 3 – Trump tentou explicar o que a China vai fazer a seguir e aquilo que disse soa a inveja. Por Linette Lopez

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Texto introdutório 3. Trump tentou explicar o que a China vai fazer a seguir e aquilo que disse soa a inveja Por Linette Lopez Publicado por Business Insider, em 14 de maio de

Sobre as razões que estão na base dos focos de tensão entre a China e os Estados Unidos. Texto introdutório 3 – Trump tentou explicar o que a China vai fazer a seguir e aquilo que disse soa a inveja. Por Linette Lopez

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Texto introdutório 3. Trump tentou explicar o que a China vai fazer a seguir e aquilo que disse soa a inveja Por Linette Lopez Publicado por Business Insider, em 14 de maio de

Sobre as razões que estão na base dos focos de tensão entre a China e os Estados Unidos – Texto introdutório 2. Acordo ou não acordo, por Doug Nolan

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Texto introdutório 2. Acordo ou não acordo  por Doug Nolan Publicado por , em 10 de maio de 2019 (texto original aqui) O que é que correu mal? Claramente, todas as conversas positivas

Sobre as razões que estão na base dos focos de tensão entre a China e os Estados Unidos – Texto introdutório 2. Acordo ou não acordo, por Doug Nolan

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Texto introdutório 2. Acordo ou não acordo  por Doug Nolan Publicado por , em 10 de maio de 2019 (texto original aqui) O que é que correu mal? Claramente, todas as conversas positivas

Sobre as razões que estão na base dos focos de tensão entre a China e os Estados Unidos. Texto introdutório 1 – Os estímulos económicos aplicados pela China mostram sinais de estabilização da economia. Por Don Weinland e Sherry Fei Ju.

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Texto introdutório 1. Os estímulos económicos aplicados pela China mostram sinais de estabilização da economia Mantêm-se as preocupações de que a recuperação seja frágil com a guerra comercial e a fraca oferta de

Sobre as razões que estão na base dos focos de tensão entre a China e os Estados Unidos. Texto introdutório 1 – Os estímulos económicos aplicados pela China mostram sinais de estabilização da economia. Por Don Weinland e Sherry Fei Ju.

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Texto introdutório 1. Os estímulos económicos aplicados pela China mostram sinais de estabilização da economia Mantêm-se as preocupações de que a recuperação seja frágil com a guerra comercial e a fraca oferta de

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte I – Grandes planos sobre uma União Europeia em decomposição. 3º Texto – A União Europeia na vanguarda do suicídio ocidental

(Jean Claude Werrebrouck, 23 de Abril de 2019)

O Ocidente, na sua fase ascendente, conhecia os Estados com regras que produziam a homogeneização no seu espaço politico. Tendo atingido uma maturidade incapaz de dar conteúdo aos direitos humanos, os Estados fracassados estão agora a produzir apenas heterogeneidade. A pequena cidade do Ocidente emergente era autodeterminante. O grande Estado do Ocidente de hoje já não sabe para onde vai e está desprovido de qualquer desejo real de agir.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte I – Grandes planos sobre uma União Europeia em decomposição. 3º Texto – A União Europeia na vanguarda do suicídio ocidental

(Jean Claude Werrebrouck, 23 de Abril de 2019)

O Ocidente, na sua fase ascendente, conhecia os Estados com regras que produziam a homogeneização no seu espaço politico. Tendo atingido uma maturidade incapaz de dar conteúdo aos direitos humanos, os Estados fracassados estão agora a produzir apenas heterogeneidade. A pequena cidade do Ocidente emergente era autodeterminante. O grande Estado do Ocidente de hoje já não sabe para onde vai e está desprovido de qualquer desejo real de agir.

Sobre as razões que estão na base dos focos de tensão entre a China e os Estados Unidos. Introdução, por Júlio Marques Mota

por Júlio Marques Mota em 15 de maio de 2019 Há uns meses atrás, em Outubro de 2018, organizámos uma série de textos sobre as relações EUA-China. Não a publicámos então, deixámos o tempo assentar o pó que pairava no

Sobre as razões que estão na base dos focos de tensão entre a China e os Estados Unidos. Introdução, por Júlio Marques Mota

por Júlio Marques Mota em 15 de maio de 2019 Há uns meses atrás, em Outubro de 2018, organizámos uma série de textos sobre as relações EUA-China. Não a publicámos então, deixámos o tempo assentar o pó que pairava no

SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN – II COLÓQUIO INTERNACIONAL NA FUNDAÇÃO GULBENKIAN, DE 16 E 17 DE MAIO

Decorre amanhã e depois o II Colóquio Internacional Sophia de Mello Breyner Andresen. Poderá assistir em directo:

SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN – II COLÓQUIO INTERNACIONAL NA FUNDAÇÃO GULBENKIAN, DE 16 E 17 DE MAIO

Decorre amanhã e depois o II Colóquio Internacional Sophia de Mello Breyner Andresen. Poderá assistir em directo:

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte I – Grandes planos sobre uma União Europeia em decomposição. 3º Texto – A Europa, peça central no declínio do Ocidente – O afogamento do Ocidente na finança

(Jean Claude Werrebrouck, 1 de Abril de 2019)

E quando o Ocidente fica atolado num mar de liquidez para: salvar os seus bancos, acelerar fusões e aquisições sem investimentos e, portanto, sem crescimento além da reavaliação de ativos, para permitir recompras ilimitadas de ações, etc.; a China, equipada com um Estado forte, transforma as suas economias em investimentos reais, que amanhã abanarão os restos do que foi a glória do Ocidente.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte I – Grandes planos sobre uma União Europeia em decomposição. 3º Texto – A Europa, peça central no declínio do Ocidente – O afogamento do Ocidente na finança

(Jean Claude Werrebrouck, 1 de Abril de 2019)

E quando o Ocidente fica atolado num mar de liquidez para: salvar os seus bancos, acelerar fusões e aquisições sem investimentos e, portanto, sem crescimento além da reavaliação de ativos, para permitir recompras ilimitadas de ações, etc.; a China, equipada com um Estado forte, transforma as suas economias em investimentos reais, que amanhã abanarão os restos do que foi a glória do Ocidente.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte I – Grandes planos sobre uma União Europeia em decomposição. 2º Texto – Os Coletes Amarelos pedem respeito, o poder responde-lhes pelo insulto

(Entrevista a Christophe GuilluyDaoud Boughezala, Elisabeth Lévy e Gil Mihaely) (Dezembro de 2018)

A divisão entre a elite e o povo está a aumentar. Nunca na história estes dois mundos foram tão estranhos um ao outro.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte I – Grandes planos sobre uma União Europeia em decomposição. 2º Texto – Os Coletes Amarelos pedem respeito, o poder responde-lhes pelo insulto

(Entrevista a Christophe GuilluyDaoud Boughezala, Elisabeth Lévy e Gil Mihaely) (Dezembro de 2018)

A divisão entre a elite e o povo está a aumentar. Nunca na história estes dois mundos foram tão estranhos um ao outro.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte I – Grandes planos sobre uma União Europeia em decomposição. 1º Texto – As onze questões sobre a União Europeia, de Coralie Delaume e David Cayla

(Jacques Sapir, 16 de Março de 2018)

Sobre a questão de Portugal, Coralie Delaume e David Cayla analisam de forma muito interessante, em poucas páginas, tanto o sucesso (relativo) da estratégia do governo português como as suas limitações. Mostram de forma convincente que aquilo a que agora se chama um “sucesso” nos círculos de “esquerda” se baseia, na realidade, numa emigração massiva e numa estratégia desenvergonhada de dumping social e fiscal [19]. A conclusão a que chegam é que Portugal adotou uma estratégia “parasitária”[20], uma estratégia que seria chamada, na linguagem de um economista (e entusiasta da teoria dos jogos), uma estratégia de passageiro clandestino.

Ano de 2019, ano de eleições europeias. Parte I – Grandes planos sobre uma União Europeia em decomposição. 1º Texto – As onze questões sobre a União Europeia, de Coralie Delaume e David Cayla

(Jacques Sapir, 16 de Março de 2018)

Sobre a questão de Portugal, Coralie Delaume e David Cayla analisam de forma muito interessante, em poucas páginas, tanto o sucesso (relativo) da estratégia do governo português como as suas limitações. Mostram de forma convincente que aquilo a que agora se chama um “sucesso” nos círculos de “esquerda” se baseia, na realidade, numa emigração massiva e numa estratégia desenvergonhada de dumping social e fiscal [19]. A conclusão a que chegam é que Portugal adotou uma estratégia “parasitária”[20], uma estratégia que seria chamada, na linguagem de um economista (e entusiasta da teoria dos jogos), uma estratégia de passageiro clandestino.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 19. A Europa alemã vai ser confirmada e muito rapidamente

(Hélène Nouaille. 16/03/2019)

Na União Europeia tal como ela se tornou, os cidadãos britânicos preferiram deitar a toalha abaixo. Por toda parte, outros, que prefeririam estar juntos, porém, e que conhecem sua utilidade no mundo como ele é, rugem para se sentirem desconfortáveis em um navio que lhes parece vagar em perdição sem bússola e sem mapa. Um navio que foi dessalinizar, alemão ou não.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 19. A Europa alemã vai ser confirmada e muito rapidamente

(Hélène Nouaille. 16/03/2019)

Na União Europeia tal como ela se tornou, os cidadãos britânicos preferiram deitar a toalha abaixo. Por toda parte, outros, que prefeririam estar juntos, porém, e que conhecem sua utilidade no mundo como ele é, rugem para se sentirem desconfortáveis em um navio que lhes parece vagar em perdição sem bússola e sem mapa. Um navio que foi dessalinizar, alemão ou não.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 18. O euro tem 20 anos: quem são os perdedores? quem são os ganhadores? – Parte II

(Alessandro Gasparotti et Matthias Kullas, Fevereiro de 2019)

Conclusão: Portugal apenas beneficiou marginalmente do euro nos primeiros anos após a sua introdução. Nos anos seguintes, o euro conduziu cada vez mais a perdas de prosperidade. No seu conjunto, deu origem a uma quebra de prosperidade de 424 mil milhões de euros, ou seja, 40 604 euros per capita. Só em França e em Itália é que as perdas foram maiores.

Em 1999, uma criança nasceu, de parto prematuro e com deformidades congénitas: o Euro 20 anos depois – alguns textos sobre a sua atribulada existência. Texto nº 18. O euro tem 20 anos: quem são os perdedores? quem são os ganhadores? – Parte II

(Alessandro Gasparotti et Matthias Kullas, Fevereiro de 2019)

Conclusão: Portugal apenas beneficiou marginalmente do euro nos primeiros anos após a sua introdução. Nos anos seguintes, o euro conduziu cada vez mais a perdas de prosperidade. No seu conjunto, deu origem a uma quebra de prosperidade de 424 mil milhões de euros, ou seja, 40 604 euros per capita. Só em França e em Itália é que as perdas foram maiores.

HOJE É DIA DA MÃE por Luísa Lobão Moniz

Quando era criança o Dia da Mãe era no dia 8 de Dezembro. Na escola não nos era permitido ter sentimentos sobre a Mãe que pudéssemos expressar por palavras, por desenhos ou por trabalhos manuais de nossa iniciativa. Era-nos dado

HOJE É DIA DA MÃE por Luísa Lobão Moniz

Quando era criança o Dia da Mãe era no dia 8 de Dezembro. Na escola não nos era permitido ter sentimentos sobre a Mãe que pudéssemos expressar por palavras, por desenhos ou por trabalhos manuais de nossa iniciativa. Era-nos dado

SUMMERTIME, de GEORGE GERSHWIN e DUBOSE HEYWARD, por NORAH JONES, e no piano, MARIAN MCPARTLAND

Obrigado a westdens e ao youtube Para ler sobre Summertime clique em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Summertime_(George_Gershwin) https://pt.wikipedia.org/wiki/Summertime_(George_Gershwin) E para ler sobre Norah Jones clique em: https://en.wikipedia.org/wiki/Norah_Jones Nota comentário de 1ElCondor: The excellent accompaniment on piano, is an extraordinary English jazz pianist and composer

SUMMERTIME, de GEORGE GERSHWIN e DUBOSE HEYWARD, por NORAH JONES, e no piano, MARIAN MCPARTLAND

Obrigado a westdens e ao youtube Para ler sobre Summertime clique em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Summertime_(George_Gershwin) https://pt.wikipedia.org/wiki/Summertime_(George_Gershwin) E para ler sobre Norah Jones clique em: https://en.wikipedia.org/wiki/Norah_Jones Nota comentário de 1ElCondor: The excellent accompaniment on piano, is an extraordinary English jazz pianist and composer

Os Estados-Unidos contribuíram para afundar a Venezuela no caos – e a política de mudança de regime de Trump garantirá a persistência desta situação. Por Mark Weisbrot

Texto publicado originalmente por , em 2 de fevereiro de 2019 (ver aqui) O presente texto foi traduzido a partir da versão francesa publicada por em 22 de abril de 2019 (ver aqui)     Washington tenta derrubar o governo da

Os Estados-Unidos contribuíram para afundar a Venezuela no caos – e a política de mudança de regime de Trump garantirá a persistência desta situação. Por Mark Weisbrot

Texto publicado originalmente por , em 2 de fevereiro de 2019 (ver aqui) O presente texto foi traduzido a partir da versão francesa publicada por em 22 de abril de 2019 (ver aqui)     Washington tenta derrubar o governo da