POESIA AO AMANHECER – 134 – por Manuel Simões

poesiaamanhecer

JORGE DE RESENDE

Cantiga

Meus olhos, quando partistes

me fizestes conhecer

cuidados, lembranças tristes,

suspiros e padecer.

Todo prazer me roubastes,

não sei quando vos verei,

nem quando descansarei

desejos que me leixastes.

Fizestes meus dias tristes,

dobrastes meu padecer.

Meus olhos, pois que partistes

não me queirais esquecer.

Mais uma cantiga que trata também o tema da separação. De notar que aqui a metonímia “meus olhos” designa a mulher amada que partiu. Há, pois, analogias com a cantiga de João Roiz de Castelo Branco, embora o ponto de vista do sujeito seja diferente.

ora”.

Leave a Reply