NA SESSÃO DA NOITE VEREMOS O ANJO AZUL DE JOSEF VON STERNBERG

Continuamos a mostrar filmes que se situam a montante da eclosão do cinema negro e que constituem, por assim dizer, a genealogia de um género cujos limites temporais e cuja lista de títulos não merece o consenso da comunidade de historiadores e de críticos de cinema. Hoje, apresentaremos O Anjo Azul , de Sternberg.

Josef von Sternberg nasceu em Viena em 1894 e morreu em Hollywood em 1969. Tal como Fritz Lang e  Michael Curtiz, é considerado um dos precursores do cinema negro. Um dos elementos fulcrais desse género que temos estado a estudar – género que não surgiu por milagre ou por geração espontânea. Foi a chegada a Hollywood de realizadores europeus, muitos deles fugidos so terror nazi. Antes de que John Huston apresentasse o seu The Maltese Falcon, em 1941, filmes como o que hoje vamos apresentar, com a exploração do erotismo, por exemplo, iriam criar condições para que o filme noir surgisse.

 O Anjo Azul (Der Blaue Engel), foi realizado por  Josef von Sternberg em 1930. O guião foi adaptado do romance ‘Professor Unrat’, de Heinrich Mann. É um clássico do cinema expressionista alemão e narra a história de Immanuel Rath – interpretado por Emil Jannings, um dos principais actores alemães e por Marlene Dietrich.

HOJE, À UMA HORA “O ANJO AZUL”

Leave a Reply