ISIDORE DUCASSE, CONDE DE LAUTRÉAMONT, NASCEU EM 4 DE ABRIL DE 1846

Dedicamos hoje este espaço aum  poeta que viveu pouco tempo, mas que marcou indelevelmente a poesia do futuro – Isidore Ducasse, Conde de Lautréamont.

Dele é a expressão «A poesia deve serFicheiro:Lautréamont by Vallotton.jpg feita por todos, não por um». Precursor do surrealismo, morreu com apenas 24 anos de causa desconhecida,  durante os trágicos  acontecimentos da Comuna de Paris.  Houve quem o designasse por «demónio do absurdo».

Nasceu a 4 de Abril.

Isidore Lucien Ducasse, mais conhecido pelo pseudónimo literário de Conde de Lautréamont , nasceu em Montevideu no dia 4 de Abril de 1846 e morreu em Paris em 1870. São escassos os dados sobre a sua vida. Nasceu no Uruguai,  filho de um chanceler do Consulado Francês em Montevideu. Sua mãe,também  francesa, morreu quando Isidore tinha vinte meses.Em 1859 foi para França. Estudou num colégio interno de Tarbes e, depois, no colégio de Pau. Em 1977, foi descoberta em Espanha  uma edição da Ilíada com a seguinte inscrição na folha de rosto: “Propriedad del señor Isidoro Ducasse nacido en Montevideo (Uruguay) – tengo tambien “Arte de hablar” del mismo autor. 14 Avril 1863.

Há quem atribua o pseudónimo Lautréamont ao nome de um romance de Eugene Sue – “Latréaumont” (note-se que há uma leve diferença na grafia da palavra); a atribuição do título de Conde Imagem2poderá ser uma referência ao Marquês de Sade.Há quem dê uma explicação esotérica – Lautreéamont seria uma contracção das palavras l’autre est Amon ~”o outro é Amon”, referência a Amon, o deus egípcio da vida e reprodução com cabeça de carneiro, ainda que não existam quaisquer provas de qualquer destas duas teses. Lautréamont morreu aos 24 anos de idade, em 24 de novembro de 1870, às 08h00 – no atestado de óbito foi dado “não há nenhuma informação”. Provavelmente, nenhum médico o observou, pois muitos tinham medo de epidemias, enquanto Paris foi sitiada durante a Comuna, com milhares de cadáveres insepultos.

Imagem3

O seu poema Les Chants de Maldoror (“Os Cantos de Maldoror), constituído por sessenta estrofes, é considerado uma obra seminal no campo da literatura fantástica, ainda que hoje escape a qualquer classificação. Isidore Ducasse é um precursor do movimento surrealista que, pela mão de André Breton, eclodiaria em Paris no ano de 1924.

Leave a Reply