OS MÉTODOS PEDAGÓGICOS – por António Mão de Ferro

Imagem2Curiosamente ainda parece haver quem não se tenha dado conta da importância dos métodos de ensino e daí que nem sempre se reflita com o devido cuidado acerca das consequências que advêm aquando da sua utilização. 

No entanto, o que acontece é que o ensino informa e os métodos formam. Assim, consoante os métodos pedagógicos utilizados pelo formador, ou professor, os que aprendem podem vir a ser assertivos ou não assertivos, responsáveis ou irresponsáveis, organizados ou desorganizados. A reflexão sobre a escolha dos métodos pedagógicos não só deve ser uma obrigação, como um dever ético, pois a sua utilização pode contribuir para que os que aprendem:
– obtenham a capacidade de memorizar ou interpretar;
– sejam conformistas ou tenham gosto pela descoberta;
– tenham uma visão alargada ou uma visão restrita;
-tenham o desejo de saber mais e de compreender os problemas do quotidiano ou a angústia de aprender para obter uma nota que lhe dê acesso ao canudo.

Tal como a competência de um responsável da produção se mede pelo modo como planeia e organiza e pela maneira como utiliza os equipamentos com vista ao desenvolvimento eficaz do seu trabalho, a do professor, ou formador, mede-se pela escolha dos métodos mais adequados àqueles a quem se dirige e aos objetivos a atingir. Que não ignoraram que os participantes estão englobados num ambiente que influencia os seus métodos de pensar, sentir e agir e que o ambiente fora dos locais de ensino, como os contactos pessoais, os museus, as viagens, as bibliotecas, os media e a família, ou a pesquisa nas redes sociais, são tão ricos que, por vezes, assumem uma importância tão grande como as informações que os educadores transmitem. E que por isso podem influenciar aquilo que os docentes dizem.

De acordo com os métodos utilizados, podemos dizer que os formadores, ou professores, pretendem que o participante:
– domine toda a matéria do programa sem se preocupar com a sua originalidade;
– responda sem refletir, como se fosse um autómato;
– siga um determinado modelo de raciocínio;
– desenvolva as capacidades intelectuais em detrimento das atitudes e emoções;
– considere o ensino um desafio e procure respostas ainda não encontradas.

Os acontecimentos do quotidiano são cada vez mais turbulentos. A situação económica está a deixar no desemprego muitos formadores e professores, e como se isto não bastasse, verifica-se um aumento exponencial de novas maneiras de ensinar através das redes sociais, sem profissionais do ensino a tempo inteiro. É por isso um imperativo que permanentemente se questione, analise, teste e examine o uso dos métodos pedagógicos e se tome consciência das implicações que os mesmos têm na vida das pessoas com quem eles são utilizados.

Leave a Reply