Pentacórdio para Segunda-feira, 24 de Junho

por Rui Oliveira

 

 

 

 

   Nesta Segunda-feira, 24 de Junho é prestada no Teatro Nacional de São Carlos, às 21h, uma Homenagem a Bernardo Sassetti recentemente falecido, através da projecção mariadomar_cartaz_640x906na sua Sala Principal do filme mudo “Maria do Mar”, realizado em 1930 por Leitão de Barros.

   Sob a direcção musical de Vasco Pearce de Azevedo, a música de Bernardo Sassetti será interpretada ao vivo pela Sinfonietta de Lisboa, com Francisco Sassetti ao piano e Filipa Pais na narração.

  Trata-se duma iniciativa da Casa Bernardo Sassetti e da Cinemateca Portuguesa — Museu do Cinema, com o apoio do Teatro Nacional de São Carlos.

   O seu clip de divulgação pode ver-se aqui , mas se o leitor não conhece a versão original desse realizador português “influenciado por Eisenstein” (segundo Benard da Costa), ei-la :

 

 

 

 

   Também na Segunda-feira, 24 de Junho realiza-se na Sala dos Espelhos do Palácio Foz (Praça dos Restauradores, Lisboa), às 18h com entrada livre, uma Conferência – Tertúlia – Concerto por iniciativa do Tribunal da Relação de Lisboa em que o Juiz Conselheiro José Souto Moura discursará sobre “ S. João, o Baptista, em Solstício de Verão” – Abordagem estética e musical a partir de Caravaggio [c. 1571-1610].

corelis%20foto1   Seguir-se-á um debate, bem como um interlúdio musical prestado por “Corelis”– Coro da Relação de Lisboa, dirigido por Victor Roque Amaro. Esta formação, existente desde 1993, já gravou um álbum (“Acordes e Acórdãos, 2002) centrado em temas de música portuguesa, tanto tradicional como antiga realçando-se, em termos de divulgação e de proposta interpretativa, o villancico “Quem tem farelos”, peça anónima do séc. XVI cujo manuscrito se encontra na Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra. (ver aqui vídeo do tema)

   O seu repertório é, contudo, eclético, sendo composto por peças musicais variadas desde canções populares nacionais e europeias, espirituais negros, hinos, motetos e villancicos do Renascimento e do Barroco, de matriz principalmente ibérica.

   Mostramo-los num tema clássico de música antiga “Stella Splendens in monte…” do Llibre Vermell de Montserrat :

 

 

 

 

   Quanto a cinema fora dos circuitos, a iniciativa da Fundação Gulbenkian (comissariada por António Pinto Ribeiro) Cinemateca Próximo Futuro arranca nesta Segunda-feira, 24 de Junho no seu Anfiteatro ao Ar Livre, às 22h, com a projecção , em estreia mundial, de “Cadjigue” (Guiné-Bissau, 2013 – língua original crioulo) de Sana Na N’Hada e Luís Correia.

kadjikesite

   Sinopse : Tal como no paraíso original, os habitantes do arquipélago de Bijagós vivem de acordo com as tradições ancestrais e em absoluto respeito pela natureza até que, um dia, um bando de traficantes de droga ocupa as suas ilhas sagradas.

   Quando o feiticeiro da aldeia morre, tudo parece estar perdido, mas o seu jovem aprendiz aceita ser o seu sucessor e decide lutar contra os invasores para salvar a aldeia.

 

 

 

   Outro filme de exibição única nesta Segunda-feira, 24 de Junho pertence ao ciclo de Comédias Francesas que o Institut Français de Portugal vem projectando, sempre às 19h.

todo-brilla   Desta vez é “Tout ce qui brille” (França, 2010) de Géraldine Nakache e Hervé Mimran, com Leïla Bekhti, Géraldine Nakache, Virginie Ledoyen e Linh Dan Pham nos papéis principais.

   Um resumo do entrecho simples seria :           

tout-ce-qui-brille-24-03-2010-1-g   Ely e Lila são como irmãs. São amigas de infãncia, partilham tudo e sonham juntas com uma outra vida e com os sapatos da última moda. Vivem em Puteaux, do outro lado da ponte que as separa de Paris, apenas dez minutos. Mas hoje, Ely e Lila não querem estar a dez minutos das suas vidas. De pequenas trapalhadas a mentira grossa, elas vão fazer de tudo para entrar num mundo que não é o delas, um mundo dos happy few e onde tudo lhes parece possível.

   Um clip musical deste clima pode ser ouvido aqui e este é um seu filme anúncio :

 

 

 

 

17485_10151570877238393_2089918235_n

   Quanto a conferências/debate, é nesta Segunda-feira, 24 de Junho que o Maria Matos Teatro Municipal recebe na sua Sala Principal, às 18h30, Tim Jackson que nos vem falar sobre desenvolvimento sustentável.

   Professor da Universidade de Surrey (Reino Unido), onde dirige o “RESOLVE”, organização que estuda as relações entre o estilo de vida, os valores sociais e o ambiente, irá abordar um dos temas centrais do seu trabalho, a tensão latente entre as preoupações com a sustentabilidade e a demanda pela prosperidade, tensão que é tanto mais notória quanto o conceito de propriedade se baseie na acumulação materialista.

   A conferência, de entrada livre, termina em debate, seguido de beberete e lançamento do livro “Prosperidade sem crescimento” de Tim Jackson, editado pela Tinta da China, com o apoio do nosso Teatro.

 

 

 

   Por último, lembramos COM ATRASO que termina HOJE, Sábado 22 na Praça do Martim Moniz, às 23h30m, o Festival “Lisboa Mistura – Músicas do Mundo” organizado pela Associação Sons da Lusofonia e integrado na celebração das Festas de Lisboa, que tem alternadoomar_souleyman2 entre aquela praça e o Castelo de São Jorge.

   O artista prestigiado que o encerra é Omar Souleyman, lenda da folk-pop na Síria, com mais de 500 álbuns gravados em cassete, cuja música é um reflexo da amálgama sonora do país, com tradições que vão do canto mawal ao dabke sírio e ao choubi iraquiano. As influências turcas, curdas e árabes juntam-se com uma abordagem electrónica repleta de cordas e percussão.

   Para compensar o leitor que lá não vá por esta notícia atrasada, disponibilizamos-lhe (agradecendo mais uma vez ao YouTube) o registo integral dum seu concerto Live at Glastonbury 2011 :

 

 

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Sábado aqui)

 

 

 

1 Comment

Leave a Reply