POESIA AO AMANHECER – 254 – por Manuel Simões

poesiaamanhecer

ALBANO MARTINS

( 1930 )

FLOR DA PAIXÃO

Sei agora

que a paixão

é azul e coroada

como o sangue e a cabeça

das rainhas. Que tem

nome de flor

e é ímpar. Porque,

se o não fosse,

não seria paixão.

(de “Castália e Outros Poemas”)

Um dos fundadores da revista “Árvore”, colaborou também em “Nova Renascença”. Da sua vasta obra poética destacam-se os livros: “Secura Verde” (1950), “Coração da Bússola” (1967), “Paralelo ao Vento” (1979), “A Margem do Azul” (1982), “Poemas do Retorno” (1987), “A Voz do Olhar”” (1998), “Castália e Outros Poemas” (2001), “Palinódias, Palimpsestos” (2006).

Leave a Reply