PRECÁRIOS INFLEXÍVEIS – 4 EM 10 JOVENS SEM DINHEIRO PARA ESTUDAR

banner_pi_verde

13 de Janeiro de 2014

universitarios-pobres-sofrem-com-dificuldades-financeiras-e-pedagogicas-durante-o-curso1290600853-300x220

De acordo com um estudo da Comissão Europeia que foi apresentado hoje, Portugal tem uma das mais altas taxas de jovens que pretendiam continuar os estudos, mas que não podem porque não têm dinheiro.

38% dos jovens portugueses não conseguem prosseguir os estudos por razões económicas e apontam as propinas – superiores a 1000€/ano – e a mudança da área de residência como os fatores mais decisivos, até porque 45% dos jovens têm de sair da sua cidade para continuar a estudar.

Entre os jovens que trabalham, 31% dizem que não têm tempo de lutar e trabalhar, o que representa o valor mais alto entre os países analisados.

Este estudo da McKenzi, intitulado “Educação para o Emprego: Pôr a Juventude Europeia a Trabalhar”, analisou mais de 5.300 jovens, 2.600 empregadores e 700 escolas de Inglaterra, França, Alemanha, Itália, Espanha, Grécia, Portugal e Suécia, onde se concentram 75% do desemprego jovem na UE28.

A notícia aparece no mesmo dia em que se sabe que o Investimento no Ensino Superior decresceu 380 milhões desde 2010 e que em 2012 representava apenas 0,3% do PIB. A queda do gasto total por aluno no Ensino Superior decresceu para um mínimo histórico de 2652,4 €/anuais, bem abaixo dos valores de há uma década.

Notícia aqui.

Leave a Reply