CECL – HOJE, 24 DE SETEMBRO DE 2014 ÀS 18H, NO AUDITÓRIO DO MUSEU COLECÇÃO BERARDO: “BRUTALIDADE EM PEDRA: DA BRUTALIDADE DA RUÍNA” – CONFERÊNCIA por CATARINA PATRÍCIO

logo - II

Brutalidade em pedra: da brutalidade da ruína

Brutalidade em pedra - conferênciaDia 24 de Setembro de 2014 às 18h, no Auditório do Museu Colecção Berardo, realiza-se mais uma conferência no âmbito do “”IV Ciclo de Conferências ECATI/MCB sobre Cinema, Arquitectura e Media”. A conferência intitulada “Brutalidade em Pedra: da brutalidade da ruína” terá como oradora a Professora Catarina Patrício.

Quando Abel Gance compara o filme ao hieróglifo, fá-lo porque a fotografia e a filmografia preservam a aparência da coisas – e todas as batalhas, todos os corpos, todos os impérios e até todas as arquitecturas, por mais imperecíveis que possam parecer, anseiam por essa ressurreição. Agora, tal como outrora a múmia egípcia fintava a morte, aquilo que a guerra desfaz, a câmara de filmar imortaliza. No contexto da crescente mobilização e aceleração da vida moderna, o encontro entre arquitectura e cinema constitui-se como algo de novo. A estabilidade da arquitectura confronta-se com a leveza e velocidade das imagens em movimento que, simultaneamente, lhe concedem mais tempo face à sua «estética do desaparecimento». Com o cinema, o tempo que devora e destrói, constrói. Nenhum outro filme parece tratar deste encontro como Brutalidade em Pedra (Brutalität in Stein, 1961) de Alexander Kluge e Peter Schamoni. E o filme começa assim: «Toda a estrutura que nos foi legada pela história expressa o espírito do seu construtor; mesmo se depois de utilizada para outras finalidades. Os edifícios abandonados do Partido Nazi servem como testemunhos de pedra para um tempo que foi palco dos mais terríveis eventos da história alemã». É que a História consome, devora, queima e sacrifica. E a arquitectura é o palco do seu luto (Trauerspiel) e da inconsolável ironia sobre qualquer ideia de origem e de fim da História.

Nota biográfica: [Dezembro, 1980] Artista Plástica, investigadora em Cultura Contemporânea e Novas Tecnologia, docente na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias [ULHT]. Licenciou-se em Pintura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa [FBA-UL: 1998-2003], tendo estudado fotografia e gravura na Fachhochschule Bielefeld [2000]. Em 2008 concluiu o mestrado em Antropologia dos Movimentos Sociais na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa [FCSH-UNL], onde é doutoranda em Ciências da Comunicação pelo Centro de Estudos de Comunicação e Linguagens [CECL] com Bolsa individual da Fundação para Ciência e Tecnologia .

Mais informações em: http://pt.museuberardo.pt/educacao/atividades/brutalidade-em-pedra-da-brutalidade-da-ruina

Leave a Reply