DOCUMENTÁRIO “ARtMENIA”, NA F. GULBENKIAN, DIA 14, às 21 horas

ÀS 21h00, pode deslocar-se ao  Grande Auditório da Fundação Gulbenkian, com entrada livre,  para ver o documentário sobre os arménios, uma abordagem transversal que nos leva da sua História às dificuldades do presente, revelando alguma da riqueza cultural e a capacidade de resistência que permitiram a este povo sobreviver, sem perder a identidade, a milénios de ocupações, guerras e massacres.

phpThumb_generated_thumbnailpng

ARtMENIA é também um filme sobre a força vital e revitalizante da cultura e da História, e sobre a responsabilidade de cada pessoa na vida e na construção do país. Está inserido num projecto apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian e é uma produção: Terra Líquida Filmes.

A equipa filmou na Arménia, em Nagorno-Karabakh, em Berlim e em Portugal, e falou com pessoas de diversos países, línguas e níveis sociais. Deste trabalho de mais de dois anos resultou um mosaico que, para além de espelhar o povo arménio, relembra algumas questões nucleares e urgentes do nosso tempo: a coexistência de várias culturas e religiões, e o trabalho de confronto com a História.

Sinopse:

Conta-se que quando Tamerlão chegou à região do mosteiro de Goshavank, na Arménia, exigiu que os habitantes lhe dessem todo o ouro que tinham. “Podes matar-nos”, responderam, “mas não terás o nosso ouro”. Furioso, Tamerlão mandou incendiar a biblioteca do mosteiro. Quando viram as chamas a chegar perto dos livros, os arménios correram a levar-lhe todo o ouro e as joias que tinham. Não se sabe se isto é verdade ou lenda, mas sabe-se que, no Museu dos Manuscritos Medievais em Yerevan, há um livro enorme que, em 1915, foi retirado de um mosteiro, partido ao meio e carregado por duas mulheres que fugiam para salvar a própria vida

 

Leave a Reply