EDITORIAL –  UMA IDOSA NO ALABAMA

Imagem2

Há muitas maneiras de olhar para o mundo. A mais habitual é pelos noticiários, pelos grandes títulos, e assim tomamos conhecimento dos acontecimentos mais relevantes na política, na vida social ou no espectáculo. Por vezes, informam-nos de crimes ou de outras histórias chocantes, que obtêm relevo pela crueldade ou violência que implicam, e que se gostaria que fosse excepcional. É a maneira mais usual de sabermos o que se vai passando, e o que vai afectando os países e as sociedades em geral. Outra maneira possível de acompanhar o mundo é através de histórias de indivíduos, famosos ou não. Trazem-nos elementos que podem dar uma ideia sobre o estado da sociedade em que estão inseridos, de uma maneira diferente das notícias relativas aos grandes acontecimentos, que afectam directamente muita gente.

Assim, hoje, de um modo diferente do habitual, vamos falar de uma senhora idosa que vive no estado norte-americano do Alabama, muito falado ultimamente pelos violentos incidentes que levaram à morte vários rapazes de ascendência africana, às mãos da Polícia. Neste estado vive uma senhora, que hoje conta 88 anos, que em 1961 foi galardoada com o Prémio Pulitzer, por ter escrito um romance, precisamente sobre racismo e violação, To Kill a Mockingbird (traduzido para português como Por Favor, Não Mates a Cotovia). Nelle Harper Lee, que ficou mundialmente conhecida como  Harper Lee, nunca quis dar continuidade à história, apesar dos muitos pedidos nesse sentido. Nunca publicou mais nada de relevante. Mas recentemente, foi anunciado por uma editora a publicação de outro romance, Go Set a Watchman, com saída prevista em Julho próximo. Levantaram-se dúvidas sobre as condições em estará a ser feita esta publicação, e houve mesmo um inquérito público sobre as condições em que Harper Lee terá dado o seu consentimento para a publicação desta segunda obra.

Harper Lee encontra-se actualmente numa cadeira de rodas, com dificuldades de visão e auditivas. Recentemente, sofreu um acidente vascular. Terá ficado muito perturbada pelas referidas dúvidas sobre as condições em que deu a autorização para a referida publicação. Entretanto uma irmã, Alice Finch Lee,  que tratava dos seus assuntos faleceu em Novembro passado. Harper Lee vive num lar (assisted living facility) em Monroeville, sua cidade natal. Refira-se que em 2007 foi condecorada com a Presidential Medal of Freedom, e em 2010, com a National Medal of Arts.

 

http://www.theguardian.com/books/2015/mar/12/harper-lee-elder-abuse-investigation-alabama-report

 

 

 

 

Leave a Reply