NESTE DIA…, 15 de ABRIL de 1843, nasceu HENRY JAMES

Neste dia... - João - II

Henry James - retrato a óleo por John Singer Sargent
Henry James – retrato a óleo por John Singer Sargent

Henry James nasceu em Nova Iorque. Era filho de um casal abastado, com cinco filhos. O pai foi um eminente teólogo e filósofo, discípulo de Swendenborg, que procurou que os filhos tivessem uma educação cosmopolita e diversificada. Proporcionou-lhes professores em casas, a frequência de escolas, uma intensa vida social e longas viagens à Europa. O irmão mais velho, William James, tornou-se um filósofo de reputação mundial, considerado como o pai da psicologia norte-americana. Henry James, aos 19 anos, frequentou por pouco tempo a faculdade de Direito de Harvard, que deixou para se dedicar a escrever histórias e artigos para revistas. Em 1863 estreou-se a publicar com uma crítica de teatro, e em 1865, publicou pela primeira vez um conto, A Tragedy of Error, na Atlantic Monthly, dirigida por Wiiliam Dean Howells, também escritor e seu grande amigo pessoal. Por essa altura publicou também um ensaio sobre Walter Scott, o primeiro trabalho que lhe valeu uma retribuição. A partir de 1869, passou a viver a maior parte do tempo na Europa.

Henry James foi extremamente prolífico. Escreveu durante 51 anos, até á sua morte, 20 romances, 112 contos, peças de teatro, uma enorme e notável correspondência e numerosos trabalhos de crítica literária. Destes últimos, o mais notável será The Art of Fiction, publicado em 1888, numa colectânea de ensaios intitulada Partial Portraits, em que se insurge contra as tentativas de estabelecer regras para a ficção, reclamando para o autor a liberdade de escolha do tema e da maneira de o tratar. Escreveu também estudos sobre autores como Hawthorne, Balzac, George Eliot e outros. Em geral, defendeu que uma história devia ser contada da maneira o mais realística que possível, de modo a que o leitor nela pudesse encontrar a vida como ela é. Na sua obra explorou os conflitos entre a inocência supostamente dominante no novo mundo, e a sabedoria e experiência que seriam próprias do velho. Daisy Miller (1878), que consolidou a sua reputação internacional, e The Portrait of a Lady (1881) estão nesse caso. Em The Bostonians e The Princess Casamassima aborda temas como o feminismo e o anarquismo. Mas em The Turn of the Screw parece querer retomar a tradição da literatura gótica, contando a história de dois irmãos que acham ser perseguidos por fantasmas. Outras obras famosas serão The Wings of Dove (1902),  The Ambassador (1903), a sua favorita, e The Golden Bowl (1904), o seu último romance.

Henry James faleceu em Londres, em 28 de Fevereiro de 1916, devido a um derrame cerebral. Tinha adquirido a nacionalidade britânica em 1915, que tinha solicitado em protesto contra a relutância dos Estados Unidos declararem guerra à Alemanha. Exerceu  enorme influência sobre outros escritores, desde Virginia Woolf a Hemingway, e são incontáveis as referências e apreciações que lhe foram feitas.

Propomos que vejam os links seguintes:

http://www.pbs.org/wnet/americannovel/timeline/james.html

http://www.henryjames.org.uk/

http://www.theguardian.com/books/2008/jun/13/henry.james

Leave a Reply