TEATRO NACIONAL SÃO JOÃO, DIA 7 DE MAIO, FILME “PÁRA-ME DE REPENTE O PENSAMENTO”

Documentário cinematográfico de Jorge PelicanoPára-me de repente o pensamento, dia 7 Maio no Teatro Nacional São João. No Teatro Nacional São João, Porto, a sessão é única com a presença do realizador e protagonistas, seguindo depois para o Cinema City Alvalade (Lisboa) e UCI Arrábida Shopping (Gaia).

7 maio porto

O filme propõe-nos um olhar isento de condescendência sobre a condição de homens e mulheres internados no Centro Hospitalar Conde de Ferreira, no Porto, primeiro hospital construído de raiz para o tratamento psiquiátrico em Portugal. Ao longo de três semanas, o ator Miguel Borges imerge no dia-a-dia desse antigo “hospital de alienados” fundado em 1883 – partilhando as refeições, as terapias, o café e o cigarro com os utentes – para criar uma peça de teatro sobre a loucura. No grupo de teatro terapêutico, ensaiam um espetáculo sobre os 131 anos do hospital, no qual Miguel Borges interpreta o papel de Ângelo de Lima, poeta louco que viveu quatro anos internado no Conde de Ferreira. Terceira longa-metragem de Jorge Pelicano, Pára-me de repente o pensamento toma de empréstimo, precisamente, o primeiro verso de um poema de Ângelo de Lima publicado há 100 anos na revista Orpheu, olhar sobre esse “abismo súbito rasgado” que é a esquizofrenia. A lucidez e a loucura vivem juntas.

Jorge Pelicano nasceu na Figueira da Foz em 1977. É licenciado em Comunicação e Relações Públicas e pós-graduado em Comunicação e Jornalismo na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Foi repórter de imagem da SIC Televisão de 2001 até 2012.

Estreou-se no documentário com “Ainda há pastores?” (2006) com o qual ganhou mais de uma dezena de prémios nacionais e internacionais. “Pare, Escute, Olhe” (2009), sobre a desativação da linha ferroviária do Tua, foi outro documentário igualmente premiado.

Em 2012 Jorge Pelicano foi um dos criadores e realizador da série de documentários “Momentos de Mudança”, um programa que quebrou o formato tradicional do jornalismo televisivo através da introdução do conceito de jornalismo cinematográfico. É igualmente um dos autores do livro “Câmara de reflexão – Uma imagem, mil palavras”, publicado pela Plátano Editora em 2010.

Desde Fevereiro de 2013 que desenvolve o seu trabalho como realizador de documentários na produtora Até ao Fim do Mundo.

Leave a Reply