No Palácio Foz dia 29 de Junho às 18,00 Recital de piano por Maria Helena Andrade

No Palácio Foz – Sala dos Espelhos – dia 29 de Junho às 18,00

Recital de piano por Maria Helena Andrade

pianista helena

MARIA HELENA DE ANDRADE, piano.
Nascida em Belém, diplomou-se em piano pelo Conservatório Carlos Gomes, onde fez parte do corpo docente do estabelecimento e foi diretora interina. Integrou o coral Ettore Bosio, participando de concertos sob a regência de João Bosco da Silva Castro, Waldemar Henrique e Nelson Nilo Hack, e o Duo Pianístico da UFPa, que atuou no Pará e em outros estados, participou da Rede Nacional da Música (FUNARTE) e publicou Bach- A Arte da Fuga e Beethoven- obra para piano a quatro mãos.Aperfeiçoou-se com Oriano de Almeida, Homero de Magalhães e Glória Maria da Fonseca Costa. Mestra em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde foi aluna de Jacques Klein e Heitor Alimonda, defendeu tese sobre Francisco Mignone, que escreveu uma suíte especialmente para o assunto de sua tese, que recebeu conceito máximo.Como solista e camerista, exerce intensa atividade, apresentando-se, com sucesso, nas mais renomadas salas de concerto do país e no exterior.  Tocou diversas vezes em Paris, tomando parte nas comemorações oficiais do Ano Internacional Villa-Lobos e do Ano do Brasil na França, com palestra e recital na Sorbonne. Em suas “tournées”, apresentou-se em Londres (Saint Martin in the Fields), Amsterdam, Buenos Aires, Madri, Santiago de Compostela, Estocolmo, Cuenca, Vigo, Guadalajara, Zamora, Campo de Criptana, Almansa, Albacete e La Roda, algumas vezes como solista, outras, integrando o Duo Pianístico da UFRJ, que também realizou recitais nos Estados Unidos (Organização dos Estados Americanos e “Kennedy Center”), na Áustria, Suécia (Sala do Trono do Palácio Real de Estocolmo), França (Castelo de Brissac), México e Alemanha (Copa da Cultura).Tocou sob a regência dos maestros Alceo Bocchino, Henrique Morelenbaum, Armando Prazeres, Miguel Campos Neto, Roberto Duarte e André Cardoso.Gravou diversos discos, que receberam elogiosas críticas das colunas especializadas, inclusive da revista “Piano International” (Londres), além de programas para rádio (incluindo a BBC) e televisão. Com a pianista Sonia Vieira, lançou os CDs Sarau de Sinhá e Brasil a 4 mãos. Integrando o Trio d’Ambrosio, realizou o projeto FRANCISCO MIGNONE: documentação e registro sonoro da obra de seu heterônimo CHICO BORORÓ, e apresentou-se em Belgrado, Madri e San Lorenzo de El Escorial.Participou do júri de destacados concursos nacionais e internacionais, como o Concurso Internacional de Piano Pilar Bayona, em Saragoça, Espanha, e o XIII e XV Concursos Internacionais J. S. Bach, em Paris.Atuou na organização de eventos culturais como presidente e diretora artística da Associação dos ex-Professores da Escola de Música da UFRJ e Supervisora do Setor Artístico da mesma Escola, Diretora Artística do projeto “Ritmos Universais” (H. Stern), dos Seminários de Música Pro Arte e do Centro Cultural Francisco Mignone. Seu projeto “Do outro lado do Carnaval”, realizado no Centro Cultural Banco do Brasil, foi reapresentado na Sala Baden Powell e na Academia Brasileira de Letras.Lecionou nas Universidades Federais do Rio de Janeiro e do Pará. Atualmente, é professora dos Seminários de Música Pro Arte.Membro titular da Academia Brasileira de Arte e Sócia Correspondente da Academia Paraense de Música, recebeu diversos prêmios, medalhas e títulos.

CRÍTICAS

“Maria Helena de Andrade realiza com êxito a dionisíaca Festa no Sertão e à Valsa da Dor imprime a indispensável triste nostalgia. Todo o repertório brasileiro é interpretado com grande interesse e dificilmente poderia ser apresentado com mais autenticidade de estilo”.

Calum Mac Donald (“PIANO – Piano International “, Londres)

“Sua execução transmite garra e inteligência musical”.

Luiz Paulo Horta (“Jornal do Brasil”)

“Uma das mais bem dotadas e notáveis pianistas brasileiras”.
“Sem forçar a nota poética, pode-se chamar de lirial a musicalidade que espargiu na série de composições que apresentou em seu festejadíssimo recital, tal a pureza e a autenticidade das intenções interpretativas que a guiam”.

Eurico Nogueira França  (“Jornal do Commercio)

“Uma das mais exímias pianistas brasileiras”.
“Finura e elegância são os traços definidores da conduta instrumental que Maria Helena de Andrade vem mostrando em assíduas apresentações em palcos nacionais e estrangeiros”.

Carlos Dantas (“Tribuna da Imprensa”)

“Com um estudo aprofundado sobre a obra de Mignone, a pianista Maria Helena de Andrade junta a seus títulos de aplaudida recitalista o de mestra em música pela UFRJ”.

Zito Baptista Filho (“O Globo”)

“Seu Mignone é revelador.”

Ronaldo César Cerqueira Leite (São Paulo)

“Considero suas gravações da obra pianística do mestre carioca (Lorenzo Fernândez) das mais perfeitas, pela acuidade e sensibilidade.”
Luis Robero Trench (O Dia, São Paulo)

PROGRAMA: “DO CLÁSSICO AO CHORO”

ALBERTO NEPOMUCENO         Suíte Antiga op.11
1864-1920                                   Prelúdio
Minueto
Ária

FRANCISCO MIGNONE             Seguida
1897-1986                                  Temperando
Outra lenda sertaneja
Beliscando forte
Valsa que não é de esquina
Batuque batucado

VILLA-LOBOS                             Valsa da dor
1887-1959                                  Festa no sertão
Polichinelo

ERNESTO NAZARETH              Brejeiro
1863-1934                                 Odeon
Apanhei-te, cavaquinho

ZEQUINHA DE ABREU           Pintinhos no terreiro
1880-1935                               Branca (valsa)
Tico-tico no fubá

Pianista: Maria Helena de Andrade

Entrada Livre

 

Leave a Reply