PALCOS INSTÁVEIS – OUTRO EM MIM QUE EU IGNORO, DIA 16 DE JANEIRO, ÀS 21H30, NO TEATRO MUNICIPAL DO PORTO

SÁB 16 JAN ⁄ 21H30

ANA JEZABEL & ANTÓNIO TORRES

AUDITÓRIO TM CAMPO ALEGRE

Criação Ana Jezabel e António Torres 
Interpretação Ana Jezabel e António Torres
Figurinos Ana Jezabel e António Torres 
Música Corpo sem corpo 
Fotografia Joaquim Leal 
16.1 palcos

Um breve estudo sobre o Homem e o meio social, numa microescala, sem esquecer parte do que somos.

Um corpo que pretende explorar e perceber tudo aquilo que ignora, algo que desconhece, procurando uma outra densidade paralela. Um debate sobre o próprio corpo, sobre as suas características, sobre a personalidade que oveste, aspectos que pretenderia esquecer, ocultar, e que contudo perduram e incontrolavelmente emergem, expondo-se paradoxalmente a uma larga escala, que quem convive com esse corpo deliberadamente conserva.

Ana Jezabel nasceu em Lisboa, em 1990. Licenciou-se em Dança, na Escola Superior de Dança, em 2014. Fez ERASMUS na Fonthys University (Tillburg, Holanda), trabalhando com Eddy Bequart e Gabriela Maiorino. Participou em 2013 no festival Ao Gosto onde apresentou a sua co-criação com Duarte Valadares Silent Mercy. Em 2015 trabalhou com Marco da Silva Ferreira interpretando um excerto da peça “Hu(r)mano”, e com a Cia. Instável fazendo parte do elenco da peça Cribles de Emmanuelle Huynh. É estagiária na Cia. Paulo Ribeiro e interpreta a peça FESTA da Insignificância.

António Torres nasceu em Esposende, em 1987. É licenciado na Escola Superior de Dança (2014), e em Artes Performativas na ESTAL (2009). Integrou FALL, de Victor Hugo Pontes (2014), interpretou CLOUDS AFTER CRANACH, de Esther Balfe (Cia. William Forsythe) e BLUR, com Clarissa Omiecienski (em 2014). Intepretou This is not a love story, de Maurícia Neves (CCB, 2015) e Eternuridade, de Amélia Bentes (2015).

Leave a Reply