No Palácio Foz dia 18 de Abril 2016 às 19:00 Concerto de Flauta e Piano com Mário Caroli e Roberto Cominati

No Palácio Foz – Sala dos Espelhos dia 18 de Abril às 19:00

Concerto de Flauta e Piano com Mario Caroli e Roberto Cominati

piano e flauta

MARIO CAROLI (flauta)

ROBERTO COMINATI (piano)

PROGRAMA

Wolfgang Amadeus Mozart

Sonata em Fa Maior KV 13 para flauta e piano

Allegro

Andante

Minueto I / Minueto II

Franz Schubert

Introducão, tema e variações sobre %lsquo;Lied Trockne Blumen’

op. 160, D. 802

Richard Strauss

Sonata em mi bemol maior op. 18 para violino e piano

(versão para flauta e piano)

Allegro, ma non troppo

Improvisação:  andante cantabile

Final: andante / allegro

Mario Caroli iniciou o estudo da flauta com 14 anos, tendo conseguido o diploma de solista aos 19 anos. Três anos depois vence o histórico Prémio internacional “Kranichstein” em Darmstadt, iniciando assim uma importante carreira que o tornará um dos principais solistas da sua geração. O seu vasto repertório revela uma singular e autêntica aproximação à profissão e uma trajetória artística absolutamente pessoal. Caroli pertence ao restrito círculo de artistas capaz de executar o mais clássico dos concertos e a mais ousada composição contemporânea com o mesmo virtuosismo e a mesma vívida musicalidade. É por isso que o seu recital de estreia no Concertgebouw de Amsterdão foi acolhido por uma standing ovation e, por ocasião do recital na Société Philarmonique de Bruxelas, a crítica escreveu: “o público ficou literalmente deslumbrado perante a sua técnica, a sua força, a sua poesia e a sua musicalidade”, enquanto que o seu primeiro recital no Théâtre du Châtelet de Paris foi aclamado pela sua “extraordinária força evocativa”.

Mario Caroli toca regularmente nas maiores salas de concerto do mondo, tais como a Philharmonie de Berlim e di Colonia, o Concertgebouw de Amsterdão, a Royal Festival Hall de Londres, o Lincoln Center de Nova Iorque, a Ópera City House de Tóquio, etc. Tocou também em concertos para flauta e orquestra – de Vivaldi a Sciarrino, passando por Mercadante, Ibert ou Jolivet – com a Orquestra Sinfónica Nacional da RAI Televisão italiana, a Philharmonia Orquestra de Londres, a Orquestra Nacional da Bélgica, e outras.

Tornou-se rapidamente o solista preferido dos maiores compositores contemporâneos, executando com Les Percussions de Strasbourg, o Ensemble Contrechamps de Genebra, a Schola Heidelberg, etc. sob a direção de Pierre Boulez, Peter Eötvös, Heinz Holliger, Lothat Koenigs, Christian Mandeal, Kazushi Ono, Pascal Rophé, Oswald Sallaberger. Atualmente é o único flautista a executar em concertos monográficos as integrais flautísticas de compositores como Sciarrino, Ferneyhough e Jolivet que lhe mereceram a menção de “fenómeno”.

A sua discografia conta com mais de vinte títulos, tendo recebido reconhecimentos por parte da crítica internacional pelas suas gravações de óperas flautísticas de Jolivet e de Sciarrino. Este último disse acerca do Caroli “Este jovem Paganini da flauta será exemplo para outros músicos famosos. Ele possui uma técnica que não se limita ao repertório habitual, mas a um atitude amorosa que, graças à música, nos transforma a nos próprios e ao que está à nossa volta”.

No que concerne à atividade didática, Mario Caroli é convidado para masterclasses e como artista em residência em prestigiadas instituições e, há vários anos que leciona na Académie Supérieure de Musique de Strasbourg-HEAR e no Conservatório Superior da Suíça Italiana de Lugano. Nos seus concertos, Mario alterna uma flauta de ouro de Maramatsu com uma de platina de Miyazawa.

http://www.mariocaroli.it/biography.html

Roberto Cominati venceu o primeiro Prémio no Concurso Internacional “Alfredo Casella” de Nápoles em 1991. Em 1993 recebeu a atenção da crítica e das maiores instituições concertistas europeias graças ao primeiro Prémio no Concurso “Ferruccio Busoni” de Bolzano. Em 1999 venceu o Prix Jacques Stehman do público da RTBF e da TV5 France, no âmbito do Concours Reine Elisabeth de Bruxelas.

Toca nas mais importantes instituições concertistas italianas e nos principais Teatros, tais como La Scala de Milão, Fenice de Veneza, Maggio Musicale Fiorentino, São Carlo de Nápoles, Carlo Felice de Génova, Academia de Santa Cecília de Roma, Orquestra Sinfónica Nacional da RAI Televisão italiana e outros.

A nível internacional tocou no Theatre Chatelet de Paris, Kennedy Center de Washington, Concertgebouw de Amsterdão, Sydney Opera House, Melbourne Concert Hall, Festival de Salisburgo, Teatro Colon de Buenos Aires, Staatoper de Dresda, Royal Festival Hall de Londres e muitos mais em Inglaterra, Japão, Bélgica, Holanda e Finlândia.

Colaborou com famosos Diretores de Orquestras entre os quais Sir Simon Rattle, Andrey Boreyko, Daniel Harding, Daniele Gatti, David Robertson, Aleksander Lazarev, entre outros.

Em janeiro de 2015 estreou-se no Concertgebouw de Amsterdão na série Meesterpianisten e, em fevereiro de 2016, no Royal Festival Hall de Londres com a Philharmonia Orquestra dirigida por Daniele Gatti.

Entre os seus próximos concertos, destacam-se as atuações com a Orchestre Philarmonique de Montecarlo, a Netherlands Philarmonic Orchestra de Amsterdão e a Philarmonic Orchestra de Istambul.

No dia seguinte ao seu recital no Festival de Salisburgo, a “Salzburger Nachrichten” escreveu “…inesgotáveis são os seus toques suaves quando aprofunda a preciosidade de Debussy na sua encantadora atmosfera de som, fascinante a mistura de calor e de técnica elegante no Tombeau de Couperin de Ravel, inesquecível a sua frieza passional na flutuante e transcrição pouco profunda da valsa…”.

http://www.robertocominati.com/index.php?target=bio&lang=ITA

Print

*Entrada Livre condicionada à lotação da sala.

As portas abrem às 18H30.

Entrada Livre*

Leave a Reply