CRÓNICAS DO QUOTIDIANO – QUEM TEM MÃO NO PRESIDENTE MARCELO? – por Mário de Oliveira

quotidiano1

Está confirmado. Ninguém tem mão no PR Marcelo Rebelo de Sousa. O comentador semanal já não está mais confinado a um canal de tv. Agora é o comentador de serviço diário em todos os canais. Uma perigosa banalidade, portanto. Sempre com aquela áurea de infalível. Vestido de presidente da república que em boa verdade sempre foi, quando era comentador e professor de Direito Constitucional. Corre Ceca e Meca para entrar todos os dias nas casas e nos cafés do país. Não porque goste das pessoas. Porque gosta dele. Quando fala de afectos, faz propaganda. Campanha eleitoral. Como aqueles actores publicitários já com idade para serem reformados que dizem um ao outro que têm um amigo secreto que os faz rejuvenescer, não envelhecer. Deixam a impressão de que lhes interessa o produto. Interessa-lhes o dinheiro que ganham, ao darem a cara por ele. O PR Marcelo é simultaneamente o produto e o publicitário do produto. Dois em um. Sempre foi assim desde a infância-adolescência. Nasceu colonialista ou ultramarino e hoje é o PR de Portugal, o chefe de Estado, o Comandante supremo das Forças Armadas e de Segurança. Pau para toda a colher. Correu a visitar o Papa de Roma. Desfez-se em mesuras e saiu da audiência com uma áurea semelhante à do Moisés bíblico, quando desceu do Sinai, como se tivesse acabado de estar com deus, o dos católicos. Antes disso e logo no dia da tomada de posse, fez questão de estar com Alá, o deus dos muçulmanos e dos jihadistas, num culto ecuménico. Já viajou até Moçambique, com todos os canais de tv na comitiva e, durante uns dias, foi o presidente dos moçambicanos da Frelimo e da Renamo, um feito que nem o presidente de Moçambique conseguiu até agora. Dançou com crianças, encantou as mulheres, ao ponto de algumas dizerem às tvs que nunca o presidente de Moçambique foi assim tão próximo delas como ele. Quando já se pensava que ele ia ser o presidente de Portugal e de Moçambique, apressou-se a regressar a Lisboa. Sabe que Moçambique e Angola foram colónias de Portugal no tempo do seu paizinho e podem continuar a ser com ele, seu filho, só que agora com a máscara de dois Estados independentes. O colonialismo está-lhe no sangue, como o catolicismo cristão. Os que o elegeram e os que não, que se cuidem. O Governo de Portugal é ele. O Parlamento de Portugal é ele. A igreja católica em Portugal é ele. A UE é ele. O papa de Roma é ele. Se duvidam, só têm de esperar para ver!

27 Maio 2016

https://www.youtube.com/watch?v=F4WG9WyPj1Y

Leave a Reply