ISABEL RUTH DEDICA POEMA A MÁRIO VIEGAS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No seu livro “Fotopoesia” *, Isabel Ruth dedica um poema a Mário Viegas.

A Mário Viegas

Querias amigo
que eu escrevesse
palavras sobre mim
que tecesse um manto
de quimeras de verdade
falasse outro tempo, outra idade
memórias de era uma vez…
desencantasse do fundo
de mim mesma
outra realidade de que gostavas
querias graça “clairs de lunes”
graças que já em ti
eram costume
mas eu não sabia
que os dois
éramos da mesma raça
querias amigo
ler em mim
palavras que sabias de cor
e eu senti dor ao ver-te perdido
de copo na mão
bebendo de um trago
o teu sentido de tanto amor
eufórico, destemido
falavas pertinente
e mal te conhecendo
eu sabia que não falavas
de mim somente
julgo as palavras hoje
pelo ouvido
e fazem-me sentido
recordo-te agora
quando o tempo de ver-te
já passou
mas o tempo não muda
escuta
somos o Verbo
um só
quem anda por aí
quem nos habita?
quem senão nós
acredita na voz
que nos dita e descreve
desde que fizeste greve”

*edição: Editora Guerra & Paz, novembro de 2006  ‧  isbn: 9789898014177  ‧

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: