POESIA AO AMANHECER – 172 – por Manuel Simões

A Viagem dos Argonautas

poesiaamanhecer

ALMEIDA GARRETT

   (1799 – 1854)

BARCA BELA

            Pescador da barca bela,

            onde vais pescar com ela,

                        que é tão bela,

                        oh pescador?

            Não vês que a última estrela

            no céu nublado se vela?

                        Colhe a vela,

                        oh pescador!

            Deita o lanço com cautela,

            que a sereia canta bela…

                        Mas cautela,

                        oh pescador!

            Não se enrede a rede nela,

            que perdido é remo e vela

                        só de vê-la,

                        oh pescador!

            Pescador da barca bela,

            inda é tempo, foge dela,

                        foge dela

                        oh pescador!

(de “Folhas Caídas”)

Mais conhecido pelas obras imortais “Frei Luís de Sousa” ou “Viagens na minha terra”, o Autor deixou-nos duas colectâneas de poesia: “Flores sem Fruto” (1845) e “Folhas Caídas” (1853). Neste poema, cuja estrutura segue a tradição popular, desenvolve Garrett o tema dos…

View original post mais 16 palavras

About joaompmachado

Nome completo: João Manuel Pacheco Machado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: