MILLÔR FERNANDES, ESCRITOR, POETA E HUMORISTA por Clara Castilho

Lembremos hoje Millôr Fernandes, escritor, poeta e humorista brasileiro (16 de Agosto de  1923-2012).

É apresentado com a seguinte biografia:

Foi um desenhista, humorista, tradutor, escritor e dramaturgo brasileiro. Escreveu nas revistas “O Cruzeiro e “O Pasquim”.

O grande incentivador da carreira de Millôr foi o seu tio, Antônio Viola, que o levou a publicar desenhos no periódico “O Jornal”. Com 15 anos já se empregara como repaginador e contínuo na revista “O Cruzeiro”. A primeira oportunidade de exibir seu talento foi com a convocação para preencher o espaço vago de publicidade em quatro páginas da revista “A Cigarra”. Ele deu o nome de “Poste-Escrito” ao conjunto do trabalho.

Millôr assinava como “Vão Gôgo”, alcunha que usaria inclusive em seu período áureo na revista O Cruzeiro, entre 1945 e início dos anos 60.

Como desenhista, dividiu o primeiro lugar com o americano Saul Steinberg, num concurso realizado na Exposição Internacional do Museu da Caricatura de Buenos Aires, em 1956. No outro ano, ganhou exposição individual em obras apresentadas no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Durante quase uma década, entre os anos e 1964 a 1974 , teve uma página de humor semanal no jornal português Diário Popular, enviando os textos do Brasil.

Millôr teve uma prolífica actuação como colunista da revista Veja, de 1968 a 1982, e em uma segunda fase, de 2004 a 2009. Ajudou a criar O Pasquim, o tablóide incendiário que fustigava a ditadura militar. No governo de Leonel Brizola fez propaganda política na sua secção da revista Veja.

Millôr Fernandes também atuou como dramaturgo e tradutor, nesta última atividade, traduziu obras de Shakespeare, Molieré, Brecht e Tennessee Williams.

Faleceu no Rio de Janeiro, vítima de parada cardiorrespiratória, no dia 27 de março de 2012.

Num artigo do jornal “Público”, de 25/07/2014, é apelidado de “Humorista furibundo, pistoleiro da frase curta e paradoxal”. E relembram: “durante quase uma década, num arco que vai de Setembro de 1964 a Abril de 1974, Millôr Fernandes, humorista carioca e furibundo, foi o grandematchmaker da relação Brasil-Portugal. Sempre às quartas-feiras, e sempre na página 17, publicou uma página semanal de textos e desenhos humorísticos no vespertino português de maior audiência naquele período, o Diário Popular, num total de quase 500 números. Chamava-se O Pif-Paf”.

Excelente entrevista feita por Anabela Mota Ribeiro em : http://anabelamotaribeiro.pt/millor-fernandes-142776

One comment

  1. Maria de sa

    ” *Humorista furibundo, pistoleiro da frase curta e paradoxal”.”-excelente.* Maria

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: