“FLOR DE FUMO”, POEMAS DA AFEGÃ ASSASSINADA, A PRIMEIRA EDIÇÃO EM LÍNGUA NÃO PERSA

Do site da editora Exclamação vemos a informação da publicação do livro “FLOR DE FUMO e outros poemas”, de Nadia Anjuman, a poeta e jornalista afegã, que morreu a 6 de Novembro de 2005 na cidade de Herate (Afeganistão), assassinada pelo marido aos 24 anos de idade.

Nadia Anjuman entre 1996 e 2001, sob o regime do Emirado islâmico do Afeganistão, fez parte dum círculo clandestino de mulheres estudiosas de literatura, Escola da Agulha Dourada de seu nome, sob a direção do professor Nasser Rahiyab. A pretexto de trabalhos de agulha aprovados pelos Talibãs, as seis estudantes praticavam uma atividade expressamente vedada às mulheres. Mais tarde, após a intervenção americana, Nadia Anjuman veio a inscrever-se na universidade e, em 2004, publicou Gul-e-dodi (Flor de Fumo), best-seller que terá vendido perto de 3.000 exemplares.

Em 2006 foi publicado postumamente Yek Sàbad Délhoreh / Um Cesto de Receios, e em 2007 Divâne Sorudehâye Nadja Anjoman / Os poemas completos de Nadia Anjuman.

A sua obra foi editada em Dari e Pashtun, sendo esta a primeira edição em língua não persa. Edição bilingue, em Português e Dari.

A tradutora, Regina Guimarães e  Nuno Gomes da editora Exclamação, estiveram na TSF  e contaram  que “É essa “aventura” que nos conta, e que só é possível, através da generosidade da poeta americana Diana Arterian, que em conjunto com Marina Omar, traduziram da língua persa para inglês, os poemas da autora afegã, sem nunca terem conseguido interesse ou vontade de qualquer editor em publicar a obra. Por isso se escreve, na tradução portuguesa publicada desde sexta-feira, em transposição e não em tradução. Semeando, como espera Regina Guimarães, novas vontades: “As traduções são efémeras e espero que possam surgir traduções mais próximas do original e mais esplendorosas. Um dia será possível, até porque há cada vez mais afegãos a viver em Portugal e poderão fazer esse exercício.”

Leave a Reply