Pentacórdio para Domingo 30

por Rui Oliveira

 

 

   Neste Domingo 30 de Setembro ainda são mais escassos os eventos de interesse.

 

   O Grupo  Percussões da Metropolitana, antecipando as comemorações do Dia Mundial da Música (a 1 de Outubro), leva ao Largo Camões, às 16h, o músico Sandro Andrade marimba o qual, com a participação especial do próprio Ney Rosauro, irá tocar música deste compositor, nomeadamente  Abertura Japonesa,  Concerto para Marimba e Ensemble de Percussão,  Mother Earth, Father Sky,  Sambamarimba Blues e Fred no Frevo.

   Ouçamo-lo aqui no conhecido tema seu Paisagem Brasileira :

 

 

 

    Mais tarde, no Cinema São Jorge, às 18h, no âmbito do Ano do Brasil em Portugal  e em coprodução com a Embaixada do Brasil, a Orquestra Metropolitana de Lisboa (sob a direcção musical de Cesário Costa) acompanhada de Ney Rosauro no vibrafone executará um programa onde constam de Camargo Guarnieri  Abertura Concertante, de Ney Rosauro  Concerto para Vibrafone e Orquestra, de Clarisse Assad  Impressions, de Heitor Villa-Lobos  Bachiana brasileira n.º 9 e de César Guerra-Peixe  Mourão.

   O concerto, de entrada livre, será comentado por Rui Campos Leitão.

 

 

 

   Entretanto, na Sala de Espelhos do Palácio Foz, incluido nas Jornadas Europeias do Património de 2012 sob o tema “O Futuro da Memória”, há às 15h30m um “Recital de Poesia e Música” baseado no livro “Memórias de Uma Executiva” com Domingos António ao piano.

   O programa ainda não é conhecido.

 

   Às 18h, no mesmo espaço do Palácio Foz, a “Iniciativa Música no Museu” promove um “Recital de Violão, percussão e Piano”  intitulado “O Som do Mundo da Fala Portuguesa” pelo Almendrix Trio  (Paulo Pedrassoli  violão, Karla Bach percussão e João Carlos Assis Brasil piano) com obras de compositores ainda a anunciar.

   É este o seu som registado recentemente em Paris na Cancion del Fuego Fatuo de Manuel de Falla :

 

 

 

   Quem apreciar música mais ligeira terá de deslocar-se p.ex. ao Passeio Marítimo de Algés onde decorrerá o designado Mega Festival de Musica Africana, evento comemorativo dos 15 anos do programa “Música Sem Espinhas” da RDP África, onde está confirmada a presença de artistas como Paul G, Tito Paris e Nancy Vieira. Irão ainda actuar outros nomes conhecidos da música africana como Tabanka Djaz, Manecas Costa, Konde, Patche di Rima, Otis, Dino de Santiago, Dulce Neves, Filipe Santos, entr e outros.

   O Festival tem início às 14h e a entrada é gratuita.

 

 

   Já ao amador de arte moderna sugere-se no Centro de Arte Moderna (CAM) da Fundação Gulbenkian uma das duas exposições inauguradas no passado dia 21 de Setembro e que ali permanecerão até 6 de Janeiro de 2013 (a outra é Imagens ou Sombras de Gerard Byrne).

   Referimo-nos à exposição antológica de Carlos Nogueira  “O Lugar das Coisas”, sita no Hall, Sala A e B, Nave e Galeria -1 do CAM, cuja curadora é Catarina Rosendo.

   A mostra deste artista (nascido em Lourenço Marques, 1947) apresenta uma selecção abrangente da sua produção artística, desde o início da sua actividade (1968) até aos dias de hoje, articulando a prática da performance dos primeiros tempos com a escultura de anos mais recentes. Ao mesmo tempo, realça-se a importância do projecto na sua obra, mediante uma selecção de desenhos e fotografias que atestam a relevância e a constância destes processos ao longo do seu percurso.

   “Se nos primeiros anos (ligados à performance) lhe interessava explorar questões associadas à transitoriedade, ao encontro directo com o espectador e à desmontagem do estatuto autoral da obra de arte, nos últimos anos (através da escultura), a sua obra tem procurado a permanência, a construção de sentido por parte do público e a criação de relações com os lugares onde se instala…”.

                      

O artista com 99 pombas de brincar para outros tantos usadores (performance de 1973)      Desenho de céu (s.d.)

 

 

 

 

   Por último, aos interessados no debate sobre cultura política, lembramos como evento de hoje, Sexta, 28 de Setembro, o debate lançado na sede do ISCTE-IUL (Avenida das Forças Armadas, Lisboa), às 18h no Auditório B203, sobre o livro «A Esquerda Radical em Portugal e na Europa: Marxismo, Mainstream ou Marginalidade?», de Luke March e André Freire, contando com a presença de António Filipe (Deputado PCP, Vice Presidente da AR), Ana Drago (Deputada BE), Pedro Delgado Alves (Deputado do PS, Líder da JS), Rui Tavares (Eurodeputado Verdes Europeus) e Cipriano Justo (Dirigente da Renovação Comunista) e moderado por Reinhard Naumann (da Fundação Friederich Ebert).

   Segundo a pré-publicação do Público de hoje introduzindo o tema, “A esquerda radical europeia está para ficar. … A (sua) principal raison d’être… (embora não dos partidos de extrema-esquerda) já não é a revolução, mas a preservação e valorização do consenso tradicional social-democrata em torno do Estado Social, embora com uma orientação mais ambientalista, eurocéptica, feminista e extraparlamentar. … A longo prazo, o apelo da esquerda radical não pode ser separado de problemas mais amplos, quer na EU e nos sistemas políticos nacionais, quer no seio da social-democracia contemporânea. As suas principais causas são o sentimento antissistema, o sofrimento socioeconómico e a percepção de que os principais actores políticos – sobretudo os partidos social-democratas – são cada vez mais tecnocratas e quase idênticos, e de que os cidadãos estão indefesos perante as forças da globalização na EU de hoje. …”

   Amplo campo para o debate !…

 

 

(para as razões desta nova forma de Agenda ler aqui ; consultar a agenda de Sexta aqui )

 

1 Comment

Leave a Reply