“OS MEDOS VÊM DO NOSSO PENSAMENTO!”, CONCLUSÃO DE MENINOS A PROPÓSITO DO DIA DAS BRUXAS por clara castilho

Ter medo? Gozar com o medo? Exorcizar o medo ?

 Na cidade, as bruxas que as criança conhecem são as das histórias dos livros e filmes. Com aspecto terrífico e facilmente identificáveis. Não como as que nas aldeias eram consideradas terem pacto com o maléfico… aquelas que se tornavam indispensáveis na sua comunidade pelo cruzamento com o maravilhoso, com o Bem e o Mal, entre misterioso e sagrado…

Hoje, vemos os media e as montras cheias de abóboras e bruxinhas, a assinalar o dia 31 de Outubro, véspera do dia de Todos os Santos. Com origem no povo celta, em que se pretendia afugentar os espíritos que saiam dos cemitérios, transformado depois de na Idade Média ter passado a ser dia das bruxas, deixou de ter esse significado. E para lutar contra as ideias pagãs, a igreja católica cristianizou a festa, criando o Dia de Finados (2 de Novembro).

Ainda tivemos o Pão por Deus, resultado da situação catastrófica vivida depois do terramoto de 1755. Que qualquer dia teremos de novo …

Mas porquê o TER MEDO? GOZAR O MEDO? EXORCIZAR O MEDO?  Porque, aproveitar esta data para fazer com que as crianças pensem nos seus medos, pode ser uma forma de fugir ao convencionado, tendo alguma utilidade para as próprias.

E elas concluem:

 

 E O QUE FAZER PARA VENCER O MEDO?

 

O espanto de verificar que os colegas têm o mesmo medo e a partilha dessas angústias,  tranquiliza as crianças. Que ficam a rir das suas patetices, o que não anula os referidos medos. Mas ficam mais capazes de os suportar quando os voltarem a sentir.

Leave a Reply