FESTIVAL – por Fernando Correia da Silva

Um Café na Internet

Em Agosto de 1953 volto a encontrar o Agostinho Neto, mas em Paris. Ali, entre portugueses e africanos somos dez. Num avião romeno, de Paris seguimos todos juntos para Bucareste, onde vai ocorrer mais um Festival da Juventude, de inspiração comunista.

 No cortejo inicial ele pretende desfilar sozinho empunhando um cartaz com o nome ANGOLA. Aviso:

 – Ó Agostinho, põe-te a pau, olha que vais ser um petisco para os fotógrafos. Para que a PIDE não te reconheça nos jornais, o melhor é usares óculos escuros e uma barba postiça muito comprida.

 Recusa:

 – Eu sou quem sou, nunca me disfarço.

– Tu lá sabes…

 Em Fevereiro de 1955, em Lisboa, durante um comício de estudantes, operários e camponeses, outra vez é preso pela PIDE. Mas ninguém me tira da ideia que o motivo principal dessa nova detenção foi a fotografia do seu desfile em Bucareste…

Leave a Reply