POESIA AO AMANHECER – 80 . por Manuel Simões

José Manuel Caballero Bonald – Espanha

( 1926  –    )

O CONTORNO DA HISTÓRIA

O que com mão incerta traça

do coração o próprio emblema

sobre o pó, também ali desenha

o vazio da sua história, sinal

de proféticos limites que se expandem

entre o cascalho da escravidão.

Glorioso é o instante

em que o amor confunde as suas fronteiras

com a vida; limite de onde o homem

circunda o fio da sua liberdade

com fugazes silhuetas opressoras,

imagem caída sobre um pouco

de terra, última forma inerte

desprendida do tempo, carnal

contorno esquivo da história.

(tradução de Egito Gonçalves)

Nasceu em Jerez de la Frontera. Estudioso do folclore espanhol, publicou “El cante jondo” e “El baile andaluz”. Obra poética: “Poesía” (1948), “Las adivinaciones (1948), “Memorias de poco tiempo” (1954), “Anteo” (1956), “Las horas muertas (1959), “El papel del coro” (1962).

Leave a Reply